Resultados Concurso Alphaversos 2018 – Avaliações do 17º, 18º e 19º colocados

Foi dada a largada para os resultados do Concurso Alphaversos 2018! Hoje serão revelados o 19º, 18º e 17º colocados. Prepare-se para se aventura numa cidade extraplanar; tomar partido na […]

Foi dada a largada para os resultados do Concurso Alphaversos 2018! Hoje serão revelados o 19º, 18º e 17º colocados. Prepare-se para se aventura numa cidade extraplanar; tomar partido na guerra por um reino fantástico; ou lutar em becos escuros contra ninjas e samurais cyberpunks.


? 19º – Reino do Caos; por Yuri Feltrim. Em um mundo fantástico de golens, magos e druidas, quatro facções guerreiam pelo domínio do reino.

? 18º – Akutoko; por Lucas Conti. Num Japão pós-apocalíptico, escolha o seu lado entre facções de monges, ninjas e samurais, ou lute pela sobrevivência como independente.

? 17º – NEXUS; por Luis Carlos Remus. Uma cidade fantástica construída no cruzamento entre diversos planos, onde diversas guildas travam uma silenciosa guerra.

Os PDFs – contendo os mini-cenários completos (como submetidos) – podem ser acessados e baixados clicando nos títulos de cada cenário.


Concurso Alphaversos 2018 - Reino do Caos

19º. Reino do Caos

Autor: Yuri Feltrim (Piracicaba – SP). Temas: construtos, distopia, disputa de territórios.

Resumo: O cenário propõe uma guerra por um país, entre 4 facções , uma invasora que usou um exército de construtos, os antigos donos do território invadido, que buscam poder da natural para revidar, e 2 núcleos urbanos, um de pessoas comuns revidando e outro de magos, em um mundo onde a magia é sombria e maligna, muita guerra e caos, é o que cerca o cenário, contando com 4 núcleos no mesmo universo, com maneiras de jogar diferente, mas que de certa forma se combinam e se completam.

Avaliação: Reino do Caos se foca na guerra territorial entre quatro facções bem distintas entre si, mas acaba não desenvolvendo tão bem os outros dois temas escolhidos. O texto de regras também não orienta para possíveis problemas no uso de facções com pontuações diferentes, especialmente se jogadores e mestres quiserem misturá-las. Alguns jurados destacaram que, do modo como foram desenvolvidas, as facções tendem a limitar as opções de grupo e jogadores, de modo que a tendência natural seria misturá-las para gerarem grupos mais diversos e divertidos.

? Presença dos Temas: 7,5  “Apenas um dos temas foi usado plenamente (disputa de territórios).” – BURP. “No entanto, o conceito de guerra territorial está muito bem estabelecido e amarrado.” – Lancaster.

? Uso das Regras: 7,25 “Usar pontuações diferentes para personagens de facções diferentes é bacana, mas deve ser trabalhado com cuidado porque gera desequilíbrio se não for bem explicado.” – Armageddon.

? Aspectos Gerais: 6,25 “É preciso pensar no texto como material de apoio para outros mestres e jogadores, e não só como notas de campanha.” – Oriebir. “Ainda assim, é um bom começo para se trabalhar.” – Armageddon.

MÉDIA FINAL: 7,0

A avaliação completa de “Reino do Caos”, com comentários e sugestões de todos os jurados, encontra-se na página 2.


Concurso Alphaversos 2018 - Akutoku

18º Akutoku

Autor: Lucas Conti (Volta Redonda – RJ). Temas: sobrevivência, japão feudal, disputa de território, distopia.

Resumo: O mundo acabou. Bem punk, não acha garoto? Claro, o planeta terra ainda existe, mas tente achar alguém lá fora que não o mataria por um gole de água suja. Veja bem, algumas coisas impedem os homens de enlouquecer; por isso tentamos ao máximo nos apegar as antigas tradições. Se for um covarde pode ir se esconder nas sombras como aqueles ninjas; se for um sonhador que acredita que ainda há alguma paz  pode ir se juntar com os monges. Se for realmente um guerreiro que luta pra sobreviver, pegue uma espada que lhe ensino tudo que há para aprender sobre o bushido.

Avaliação: A escolha por quatro temas foi arriscada, e todos os jurados concordaram que eles estão presentes, mas acabaram sem destaque. As regras e restrições foram bem escolhidas, mas erros nas fichas fizeram perder pontos, assim como o uso de poderes de kit sem citação apropriada de suplementos (como pedido nas regras do concurso). A ideia interessante, mas todos concordam que faltou um desenvolvimento mínimo. Como comentou o Armageddon: talvez na tentativa de mostrar um “pouco de tudo”, o cenário acabou rasteiro demais.

? Presença dos Temas: 7,5  Três temas já são difíceis de trabalhar sem que um diminua a importância do outro. Com quatro então, a dificuldade aumenta muito. – Armageddon.

? Uso das Regras: 7,5 …há vantagens inexistentes e elementos de outros livros que não o Manual Básico, que deveriam estar referenciados.– Oriebir.

? Aspectos Gerais: 7,0 Samurais encontram Gamma World. – Lancaster. Eu achei a premissa interessante, mas faltou explicar melhor o cenário.– BURP.

MÉDIA FINAL: 7,3

A avaliação completa de “Akutoku”, com comentários e sugestões de todos os jurados, encontra-se na página 3.


Concurso Alphaversos 2018 - NEXUS

17º. NEXUS

Autor: Luis Carlos Remus (Curitiba – PR). Temas: distopia, disputa de território, construtos.

Resumo: NEXUS é uma grande metrópole em um bolsão dimensional na “encruzilhada” do Multiverso (no qual Arton também pertence). É uma proposta de cenário parecida com as cidades de Sigil (de Planescape) e de União (do D&D Livro dos Níveis Épicos); com vários elementos dos gêneros Fantasia Urbana, Tecnofantasy e Cyberpunk. Uma cidade extremamente mercantil, sendo uma distopia “corporativista” onde várias guildas competem entre si disputando territórios (e lucros), e com uma quantidade realmente numerosa de construtos. O bastante para iniciar, sediar, e concluir grandes aventuras e campanhas (principalmente aquelas que envolvam viagens dimensionais), cheias de possibilidades virtualmente infinitas.

Avaliação: Ao menos dois jurados não viram o tema distopia no cenário, e todos concordam que os temas poderiam ser melhor trabalhados. Várias cidades de fantasia tem seus problemas e sujeira, mas isso não as torna exatamente distópicas. O cenário carece de elementos que o tornem mais envolvente, o que poderia ser corrigido com um foco maior na história e dia-a-dia da cidade. Por fim, a grande liberdade no uso de regras e opções de personagens é algo positivo para a ambientação, algo que foi bem avaliado.

? Presença dos Temas: 6,5  Estão todos ali, embora faltou fazê-los interagirem mais.” – BURP. Eu não vi a Distopia aqui. – Lancaster. O tema Distopia está ausente.” – Oriebir.

? Uso das Regras: 9,5 “…este é um exemplo perfeito para explorar todas as possibilidades do 3D&T.– Oriebir.

? Aspectos Gerais: 6,25 Faltou trabalhar um pouco mais na cidade em si– Armageddon. É uma boa ambientação de tecnofantasia, mas remete a qualquer grande cidade, no que tem de perigoso e sujo. Nisso, deixou a dever.” – Lancaster.

MÉDIA FINAL: 7,4

A avaliação completa de “NEXUS”, com comentários e sugestões de todos os jurados, encontra-se na página 4.


As imagens usadas neste artigo pertencem a Jambô Editora.

Pages: 1 2 3 4

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.