Resultados Concurso Alphaversos 2018 – Avaliações do 17º, 18º e 19º colocados

Avaliação Completa – Akutoko Presença dos Temas: 7,5 Lancaster: Os temas são Sobrevivência, Japão feudal, Conquista de território e Distopia. Os temas estão todos presentes, mas a forma sintética com […]

Avaliação Completa – Akutoko

Presença dos Temas: 7,5

Lancaster: Os temas são Sobrevivência, Japão feudal, Conquista de território e Distopia. Os temas estão todos presentes, mas a forma sintética com que eles são apresentados meio que nenhuma em especial parece se destacar.

BURP: Apostar em quatro temas poderia ser arriscado, mas estão todos bem aproveitados, ainda que sem muito destaque com exceção da caracterização nipônica.

Oriebir: É fácil declarar que vai abordar quatro temas e depois apenas citá-los no decorrer do texto. Eles estão presentes, mas apenas estão ali. Praticamente não há desenvolvimento maior a respeito.

Armageddon: Três temas já são difíceis de trabalhar sem que um diminua a importância do outro. Com quatro então, a dificuldade aumenta muito. Apesar de tudo estar ali em algum momento, não são de fato essenciais para a criação do universo.

Uso das Regras: 7,5

Lancaster: As regras escolhidas são simples e básicas e os antagonistas criados para a ambientação não são maus. Para a proposta, funciona.

BURP: Em princípio estão bem usadas. Mas alguns antagonistas usam “vantagens” que não existem, e são na verdade poderes de kit, o que precisaria de uma explanação de como funciona.

Oriebir: O autor sabe o que quer em termos de regras, mas há vantagens inexistentes e elementos de outros livros que não o Manual Básico, que deveriam estar referenciados, além de fichas com pontuações erradas.

Armageddon: Faltou um pouco de cuidado para compor as fichas, várias delas contém erros ou citam poderes em lugares incorretos.

Aspectos Gerais: 7,0

Lancaster: Samurais encontram Gamma World. Há pouco a dizer. Simples mas efetivo, embora ele seja menos um mini-cenário do que uma semente de cenário. Poderia ter mais desenvolvimento (embora algumas das influências citadas pelo autor também tenham seu grau de minimalismo). Com mais detalhamento e uma linha narrativa de verdade, ele pode render bastante. Por enquanto, basta dizer que funciona.

BURP: Eu achei a premissa interessante, mas faltou explicar melhor o cenário. As descrições são muito corridas e apressadas; fala que é um cenário pós-apocalíptico, mas não explica direito de onde vem esse apocalipse (podemos supor que seja nucelar). Mas tem uma ideia interessante, mesmo assim.

Oriebir: O cenário apresenta uma ideia com bastante potencial, mas não entrega. Há pouquíssimo desenvolvimento, dando a impressão de que foi tudo escrito às pressas e sem revisão. Eu gostaria de ver este cenário melhor desenvolvido, as facções melhor trabalhadas, explicações melhores sobre a presença dos deuses-imperadores (eles são de fato deuses? São inteligências artificiais corrompidas? Isso é algo que é intencionalmente deixado em aberto para que o mestre decida?) e de ter uma noção mais apurada da gama de personagens que o cenário sustenta.

Armageddon: Quando temos uma limitação severa de espaço para criar, precisamos focar ao máximo para trazer informação relevante em poucos caracteres. Pelo texto, dá pra notar que esse mundo é muito mais rico do que foi apresentado, mas ao querer mostrar um pouquinho de tudo, acabou ficando rasteiro demais.

Nota Final: 7,3

Pages: 1 2 3 4

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.