Resultados Concurso Alphaversos 2018 – Avaliações do 17º, 18º e 19º colocados

Avaliação Completa – Reino do Caos

Presença dos Temas: 7,5

Lancaster: Os temas são construto, distopia e disputa de territórios. O primeiro é usado com mais fragilidade — ele é apenas mais um item, nivelado entre os lobisomens e a magia. Quanto à distopia, por incrível que pareça, o conceito está virtualmente… vago: o que temos é uma facção distópica (o Reinado) e mesmo assim não fica claro o quanto os outros são afetados por ela (talvez a resistência). No entanto, o conceito de guerra territorial está muito bem estabelecido e amarrado.

BURP: Apenas um dos temas foi usado plenamente (disputa de territórios). O dos construtos está num dos tipos de personagem, então está ok. Mas não sei o quanto dá pra considerar isso uma distopia.

Oriebir: Disputa de Território (em vez de “guerra territorial”, como o autor desatentamente propõe no texto submetido) é o tema mais fortemente utilizado. Elementos de Distopia estão presentes, mas não são explorados em profundidade, o que não é um problema, já que isso não era obrigatório. O mesmo ocorre com o tema Construtos, mas neste caso ele é bastante sub-aproveitado.

Armageddon: A disputa pelo território é o carro chefe do cenário, mas ela não ficou muito clara. Gostaria de saber mais sobre os motivos que levaram à invasão pelo exército de golens (talvez aquele reino seja rico em algum material importante para a criação de mais soldados, por exemplo). Esses elementos devem ser mantidos em segredo para os jogadores, mas o mestre precisa de mais para criar aventuras nele (o que, afinal, é a função de todo cenário). Também faltaram elementos distópicos pra mim.

Uso das Regras: 7,25

Lancaster: O autor provém bem e com correção suas ameaças e lideranças. Há pouco a dizer aqui.

BURP: Regras simples e diretas, embora ache que devesse explanar melhor como a diferença de pontuação entre as facções funciona (dá pra misturar? As facções só tem personagens nessas pontuações? etc).

Oriebir: O autor sugere o uso de personagens de pontuações diferentes de acordo com a facção que faz parte, mas deixa em aberto se a intenção é que as aventuras se passam apenas em uma facção de cada vez ou se é possível misturar personagens de facções diferentes como jogadores. Poderia ter sido melhor explorada essa questão, imaginando tanto para campanhas em apenas uma facção (é possível depreender que seja assim, mas isso não está claro) quanto campanhas de personagens com pontuações diferentes (e mecânicas para equilibrar um grupo com pontuações variadas — talvez algo como os Pontos de Destino, apresentados em Mega City?). Minha sugestão é de que ambas as possibilidades estejam previstas. No mais, senti falta de um mago nas fichas de antagonistas da Unidade de Libertação Mística.

Armageddon: Usar pontuações diferentes para personagens de facções diferentes é bacana, mas deve ser trabalhado com bastante cuidado porque gera desequilíbrio se não for bem explicado. Separar os grupos por facções também pode ter um efeito negativo de uniformidade de personagens em equipes. Cenários de 3D&T devem possibilitar uma variedade maior de heróis. Por fim, o sistema tem certos padrões na apresentação das regras que poderiam ter sido seguidos nas fichas no texto submetido.

Aspectos Gerais: 6,25

Lancaster: Esse me parece meio cru. Um tanto uninucleado e fechado em seu conceito.

De modo geral, ameaças sistêmicas são boas a longo prazo mas este cenário cai na “Armadilha Vampiro”: o livro recomenda que todos os jogadores façam parte do mesmo clã — e isso faz sentido — mas no final todos os grupos eram mistos porque todos querem ser diferentes dos demais jogadores e terem pontos fortes. A lógica sempre é prejudicada nestes casos e o cenário vira uma bagunça na mesa de jogo. E temos um caso parecido aqui: cada item de variedade está concentrado em um lado. E se um jogador quiser ser um golem, um quiser ter um companheiro animal, um querer ser um mago e outro um zumbi? O cenário faz questão de estimular os jogadores a encampar um dos lados, mas fatalmente teremos um monte de desertores na resistência para dar algum sentido à agregação de todo mundo.

O ideal para ele seria ter um esquema mais aberto de personagens e permitir que cada lado possa racionalizar de alguma forma a absorção de todas elas. Isso faria muitos conceitos serem reescritos. Precisa realmente voltar à prancheta.

BURP: Parecem mais notas de um mestre para uma campanha do que uma apresentação pra alguém de fora. Parece muito cru, e o tema não é exatamente original.

Oriebir: De modo geral, o texto passa a impressão de ter sido escritos às pressas, o que se reflete no uso de temas e regras e nas próprias propostas do cenário. É preciso pensar no texto como material de apoio para outros mestres e jogadores, e não só como notas de campanha. Sugere-se uma reescrita estruturando melhor o material nesse sentido. O texto submetido precisa de uma forte revisão, mas é possível entender o que se propõe. Ressalta-se a desatenção do autor, que escreveu errado mesmo alguns títulos de seção propostos no regulamento do concurso.

O tema Construtos também poderia ser melhor aproveitado — talvez seja interessante propor que cada facção tenha seus próprios construtos, com especificidades próprias, de acordo com seus desígnio. Algo como mechas para o Reinado; construtos de madeira mágica para o Antigo Império, robôs recauchutados na Resistência e golens de magia negra para a Unidade de Libertação Mística, por exemplo.

Armageddon: O que primeiro me impactou negativamente foi a falta de revisão no texto. Ele está repleto de erros de digitação e a apresentação ficou comprometida por isso. Mesmo tendo um prazo apertado para enviar, uma revisão final poderia ter sido feita. Novamente, pesou um pouco a falta de informação para o mestre poder trabalhar o cenário em seus jogos. Ainda assim, é um bom começo para se trabalhar.

Nota Final: 7,0

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Lucas disse:

    Sou o cara do cenário akutoku, e agradeço o feedback. Honestamente foi um cenário feito as pressas mesmo “de uma sentada só”, como diria o outro. Honestamente achei que fosse ficar em alguma posição mais baixa. As críticas me deram mais vontade de trabalhar nos defeitos dele. Mas valeu a experiência.

    • Edu Guimarães disse:

      Bom saber que você curtiu a experiência, essa é uma das metas do Concurso. De Akutoku eu gostei bastante do resumo ser a fala de um samurai, que de cara revela a pegada do cenário.

  2. Alexandre José de Carvalho disse:

    Gosto muito do conceito de NEXUS acredito que a ideia deste mini cenário com uma metropole planar situada numa encruzilhada dos planos pode render um excelente tema para futuras campanhas envolvendo ” crossovers ” entre vários diferentes mundos e aventureiros do Multiverso igual por exemplo aos cênarios de RPG de Fantasia Medieval criados aqui no Brasil durante a febre do D20 System como o mundo de fantasia medieval oriental de Lieh de ” Mítica-Os Caminhos do Oriente ” , os mundos de Valaris e Raxx de ” Equinox ” , o mundo de Tagmar com sua fantasia medieval tolkeniana e seu cenário inspirado nos filmes antigos de ” Conan ” e em animes como ” The Record of Lodoss War ” , Tormenta com os já clássicos aventureiros do mundo de Arton se aventurando para outras orbes do Multiverso e mesmo mundos clássicos do D&D como Toril , Krynn , Athas , Oerth , Mystara e os demais Planos do Multiverso como por exemplo ” O Plano Astral ” , ” O Plano das Sombras ” , ” Os 9 Infernos ” , ” O Abismo ” , ” Limbo ” , ” Hades ” , ” Arcádia ” , ” Celestia ” , ” Elísio ” , ” Geena ” , ” Arborea ” , ” Bytopia ” , ” Carceri ” , ” Mechanus ” os ” Planos Elementais da Água , Ar , Fogo , Terra , Luz e Trevas ” os Semiplanos como ” Neth ” , ” Ravenloft ” , o ” Plano Vivo ” , o ” Observatório “, ” O Plano que Tudo Vê ” e ” Consenso ” , onde são negociadas tréguas e outros planos como ” O Reino dos Sonhos ” , ” O Plano de Espelhos ” , ” O Mundo dos Espíritos “, ” O Plano Elemental do Gelo ” , ” O Plano Elemental da Madeira “, ” O Plano da Energia Temporal ” , ” Agrestia das Fadas “, ” O Reino Distante ” , ” Cosmologia das Miríades dos Planos “, ” Cosmologia dos Sósias “, ” Cosmologia do Planetário “, ” Cosmologia da Estrada Tortuosa ” e ” Anomalias Planares ” muito embora praticamente qualquer plano imaginado pelo Mestre possa ser incluído . O autor só necessita fazer uma pequena revisão na parte que cita a ” sujeira ” da cidade de Nexus e incluir elementos de intriga , corrupção , traição , manipulação , violência etc como aqueles encontrados no videogame ” Planescape: Torment ” além de apresentar uma lista de raças de criaturas extraplanares exclusiva da Cidade de Nexus não encontradas em mais nenhum lugar do Multiverso dar uma trabalhada nos tipos de constructos e no nível tecnológico que cada um teria ( desde Golens de Adamantino e de Mithral até Nanomorfos iguais os ” T-3000 ” e ” T-5000 ” de ” Terminator Genisys ” passando por coisas como um ” Drolem-Rei / Golem Dragão-Rei ” e outros adversários de nível épico que somente os mais poderosos aventureiros do universo poderiam ousar enfrentar ) … vejam só fiquei tão entusiasmado que já estou dando ideias absurdas . Mas enfim eu realmente torço para que o autor de Nexus desenvolva este cenário e suas possibilidades . Abraços .

  3. Luis Carlos Remus disse:

    Obrigado pelas críticas construtivas, lamento ter deixado a desejar em alguns aspectos(deve ser por ter sido feito em um dia). Tentei dar o tema de Distopia pelo fato de não haver um governo central(monarquia ou democracia, muito comuns em cenários de fantasia) e sim grupos econômicos rivais e/ou inimigos entre si, as guildas(assim como as corporações em um cenário Cyberpunk). O tema Construtos eu tentei encaixar com premissa do uso maciço de golens como força de trabalho “braçal”. A inclusão de Traição e Sobrevivência, admito seria excelente. Quanto ao uso das regras, agradeço, pretendo trazer elementos narrativos e vantagens únicas(raças) novas para dar mais coesão ao cenário. Realmente me inspirei em Sigil e União, e pela história de NEXUS na época do concurso ainda ser somente uma “semente”, ela pode ser melhorada e ficar mais autêntica e “germinar”. Enfim, concordo que deve ser retrabalhado, uma ou outra coisa deve ser retirada e/ou alterada e muito a acrescentar. Agradeço aos avaliadores Lancaster, BURP, Oriebir, Armageddon e ao Edu Guimarães pela iniciativa. Alexandre José de Carvalho que bom que entendeu a premissa do Nexus, obrigado pelas sugestôes, e sim pretendo desenvolver o cenário.

    • Edu Guimarães disse:

      Valeu Remus ^_^ Espero que possamos trabalhar nessas melhorias para o PDF.
      Quanto a distopia, foi um tema difícil de trabalhar mesmo. Não existe uma fórmula, mas se eu pudesse arriscar, acho que o segredo seria mostrar que “as coisas deram muito errado e você tá lascado”.

    • Alexandre José de Carvalho disse:

      Eu é quem devo lhe agradecer por responder meu comentário . Realmente fico muito feliz e agraciado por poder dar sugestões e ideias que possam ser uteis aos autores de um cenário de RPG . Gostei muito da proposta de NEXUS e acredito que possa se tornar um tema maravilhoso para unir os aventureiros de Arton com os de outros mundos conhecidos e amados dos RPGs de Fantasia Medieval . Eu sugiro a você dar uma trabalhada na parte da corrupção e nas intrigas entre as diversas personalidades e entidades que comandam as guildas existentes em NEXUS e os jogos do poder que existiria na cidade envolvendo raças e personalidades como por exemplo Lorde NEXUS . Por exemplo quem é ele exatamente ? É um ” humano ” ou uma ” entidade ” como um Extraplanar , Semideus , Deus Menor ou uma Divindade Maior Esquecida de algum plano distante do Multiverso ? Qual é o Mapa da Cidade de NEXUS e onde estão localizados os portais para os diferentes mundos do Multiverso igual : Arton , Lieh , Valaris , Raxx , Ereth ( do RPG ” Necropia-A Terra dos Mortos ” de Newton ” Nitro ” Rocha ) , Tagmar , Hi-Brazil , Toril , Krynn , Athas , Oerth , Mystara , Rokugan , Immoren Ocidental ( O mundo do cenário de ” Reinos de Ferro RPG ) , Azeroth ( de ” World of Warcraft RPG ” ) , Spelljammer , Eberron , a Galaxia dominada pelo Império Draconico de Dragonstar RPG e os planetas da Constelação do Sabre de ” Brigada Ligeira Estelar RPG ” ? Além dos locais que citou quais os pontos de maior interesse para aventureiros na Cidade de NEXUS onde potencialmente poderiam iniciar aventuras ? Quem é o Líder mais perigoso do Crime Organizado que existe em NEXUS ? Quem são as autoridades ou a autoridade militar que lideram as forças policiais que buscam manter a lei e a ordem na Cidade ? Quais outras figuras de destaque existem para ser encontradas em NEXUS ? ( Tipo o Líder Religioso mais proeminente – não precisa necessariamente ser de uma das Divindades do Panteão de Arton porque existem outros infinitos Panteões pelo Multiverso ) , qual é o Bardo mais popular da cidade , qual os outros Magos de renome em NEXUS ( tipo o maior Ilusionista , os maiores Magos Elementaristas , o Maior Necromante , o Maior Conjurador , o Maior Mago Abjurador , o Maior Teurgista Mistico etc lembrando que não precisam ser todos ” humanos ” ou ” Elfos ” você pode por exemplo quebrar alguns paradigmas relacionados as escolas de magia que eu citei e tentar inovar com raças que ninguém esperaria ) , qual o Bárbaro ou Guerreiro mais fodão de NEXUS , quem tem a Biblioteca mais completa e repleta de tomos misticos e grimórios de magia da cidade ? Quem é o Assassino mais mortal e procurado de NEXUS com o maior premio em dinheiro pela sua captura vivo ou morto ? Quem é o herói aventureiro veterano mais lendário da cidade etc ? Sobre os construtos você pode usar praticamente qualquer tipo possível ou imaginável de construtos do Multiverso desde : Golens e Meio-Golens a Drolems e Meio-Drolems , Automatóis , Forjados de Guerra , Robôs Positrônicos , Droides , Androides , Mechas , Kishins , Transformers , Veículos Sencientes , Nanomorfos todos incumbidos de trabalhos braçais ou alguma atividade importante em NEXUS . Enfim desejo-lhe muita sorte e sucesso com seu cenário e que ele possa se tornar algo grande e maravilhoso . Abraços .

    • Alexandre José de Carvalho disse:

      Outra sugestão que eu daria seria para tornar as Ratazanas da cidade de NEXUS mais perigosas para os personagens . Uma ideia é que as Ratazanas poderiam ser monstros do tipo ” Ratazanas Gigantes ” tipo neste estilo https://i.pinimg.com/originals/61/70/63/617063c0862cbcf7c9783239d727272e.jpg que como se não bastasse ainda teriam o modelo ” Meio-Demônio ” sendo proles de um Demônio Uridezu http://thecreaturechronicle.tumblr.com/post/113350730014/demon-uridezu ou ” Ratazana Demônio ” que teria se infiltrado na cidade de NEXUS e criado uma verdadeira praga urbana de Ratazanas Meio-Demônios . Mas é só uma ideia maluca . Acredito que você deva ter outros planos . De qualquer forma fica a sugestão . Abraços .

    • Alexandre José de Carvalho disse:

      Uma coisa que eu acharia extremamente interessante de ser vista em Nexus seria se por acaso a Cidade Planar estivesse repleta de tons de cinza e nuances e sutilezas entre o ” Bem ” e o ” Mal ” tipo como se estes dois conceitos dependessem unicamente do lado em que se esta e das decisões morais e éticas tomadas pelos ” assim nomeados Heróis Aventureiros ” tipo mais ou menos do mesmo modo que acontece no videogame ” Fable ” e Nexus apresentasse a todo momento para os jogadores escolhas divergentes para tomarem que determinariam como eles seriam e o ” Bem ” e o ” Mal ” não fossem conceitos rotulados e estereotipados e pudêssemos encontrar coisas como um Lich bondoso e um Dragão de Ouro Grande Ancião perverso . Outra coisa que eu gostaria de ver seria liberdade para se escolher dentre as raças qualquer combinação possível . Tipo quer jogar com um Aggelus Minotauro Bardo que canta como um Plácido Domingo ? Pode . Quer jogar com um Elfo Meio-Gigante Bárbaro Berserker mais Mega Fodonico que Conan O Bárbaro https://i.imgur.com/OozbHxb.jpg ? Pode . Quer jogar com um Sleestak Meio-Dragão Verde Druida Super Bondoso e harmonioso com a natureza https://i.imgur.com/f8uxJra.jpg ? Pode . Quer jogar com um Halfling Sulfure Dançarino das Sombras mais mortífero que um Elfo Negro / Drow mas com um código de honra pessoal igual o de Frank Castle ? Pode . Quer jogar com um Mago Humano que sabe lutar e dar porrada nos inimigos igual Gandalf O Branco tão bem quanto usa magias ? Pode . Quer jogar com uma Vampira Paladina cheia de nobreza , altives e virtude https://i.imgur.com/ZuaSiMP.jpg ? Também Pode . Da maneira como eu imagino Nexus seria um cenário feito para campanhas de nível épico que fugiria do convencional e do lugar comum onde os heróis seriam quem menos se esperaria e os vilões se encontrariam nos lugares mais improváveis . Seria basicamente como se todas as raças não tivessem alinhamentos e fossem tão variadas e diversificadas quanto a raça humana podendo ser aquilo que desejarem e mais importante TERIAM BOAS RAZÕES PARA SEREM DO JEITO QUE SÃO ! Tipo o Chefe da Guarda de Nexus ser um tremendo dum ” Capetão ” Tanar’ri ou Baatezu super foderoso nos combates e no entanto ser o sujeito mais gente boa de bom coração que você já viu tipo um ” Demônio ” igual Hellboy vivido por Ron Perlman nos cinemas . Ou o Sumo Sacerdote de Bahamut em Nexus seria um Dragão de Diamante Negro ( um ” Dragão Psiônico ” único até onde se saberia no Multiverso ) https://i.imgur.com/kXG4zas.jpg Anátema . Isso para citar alguns exemplos mais marcantes . Enfim tenho ótimas expectativas quanto as possibilidades apresentadas aos jogadores em Nexus e realmente torço para ver algo grandioso vir a surgir .

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: