Magos e Forgotten Realms

Rich Baker falou nos fóruns oficiais do Gleemax um pouco mais sobre as ordens de magos, implementos mágicos e seleção de magias. Parte disso em resposta às especulações dos fãs a respeito do artigo da coluna Design & Development acerca de Magos e Implementos Mágicos.

  1. As Ordens Mágicas. Elas não são especializações como ocorre com os magos especialistas da 3ª Edição; escolher uma não torna magias pertencentes a outra indisponíveis para você. Essencialmente elas são um mecanismo através do qual nós respondemos a pergunta: “Como seu mago aprendeu magia? Ele treinou numa academia mágica, teve um único tutor, etc., etc.”. Então, cada ordem providencia um leque de magias nas quais seu personagem é *melhor*, mas não substitui a noção de escola de magias das edições passadas.
  2. Implementos de magos agora dão ao seu personagem uma razão para importar-se com uma arma característica, de forma similar ao guerreiro, que deve importar-se com uma espada característica dele. Nós achamos isso uma coisa boa. Muitos outros implementos foram sugeridos, inclusive coisas como máscaras, adagas e (claro) tomos.
  3. Toda classe tem escolhas de poderes legais de “não-ataque”, bem como escolhas de poderes de ataque. Magos ainda poderão conjurar magias como Alterar-se, Saltar ou Levitação. É verdade que gostaríamos de “estreitar” um pouco os magos, e guardar (por exemplo) algumas magias de ilusão para uma classe de Ilusionista que realmente funcione mais à frente, ou de necromancia para um Necromante. Mas magos ainda poderão “brincar” com alguns poderes icônicos destes temas da magia. Por exemplo: magos ainda possuem Invisibilidade disponível para eles. Mas quando a classe Ilusionista sair, eles terão opções melhores de Invisibilidade.

Ele também menciona o panteão de Forgotten Realms:

Sim, nós gostaríamos de um panteão menor em FR. Entretanto, isso não significa que três-quartos das divindades serão chutadas para fora. Isso significa que vamos analisar muitas divindades marginais e nos perguntar: “Poderia esta divindade ser um semi-deus — uma figura divina que não possui uma igreja de influência continental com dúzias de templos devotados a ela?” Por exemplo: nós gostamos muito das divindades das raças semi-humanas como semi-deuses que andam por aí acompanhando ou trabalhando para os pesos-pesados como Moradin ou Corellon.

Fonte: EnWorld.org
—————-
Ouvindo: Belle & Sebastian – The blues are still blue
via FoxyTunes

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Diego disse:

    Eu até gostei do lance dos magos terem uma dependência maior de alguns equipamentos. Na atual versão, eles não precisam basicamente de nada. Só de nível de personagem, claro, ítens mágicos ajudam bastante nas tarefas diárias, mas eles o são poderosos mesmo sem eles.
    Mas esse lance de retirar algumas magias de ilusões e necromancia dos magos não soou bem aos meus ouvidos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: