Diabos e Demônios

O artigo mais recente da coluna Design & Development do site da Wizards of the Coast concentra-se nas diferenças entre demônios e diabos. “Ao longo da existência de demônios e diabos no jogo D&D, as semelhanças entre eles têm sido mais fortes e numerosas que as diferenças… Cada membro de ambas espécies tem um largo leque de poderes sobrenaturais similares (e muitas vezes supéfluos).”
O artigo nos conta que na 4ª Edição os Nove Infernos tornaram-se “um domínio astral entre outras abadias divinas no Mar Astral”, com Asmodeus como a divindade residente. Asmodeus segue o modelo “anjo caído”, bem como seus seguidores.
O Abismo, por outro lado, “abre-se como uma chaga apodrecida na geografia da Tempestade Elemental”. Demônios são seres elementais que aproximaram-se demais e ficaram presos.
Os diabos são manipuladores sagazes, buscando ganhar influência entre os mortais; enquanto os demônios são “selvagens e destemidos motores da aniquilação”. Os lordes demoníacos ainda existem, não há mais estrutura ou hierarquia.

O que uma distinção mais clara entre as duas principais espécies de criaturas abissais significa para seu jogo? Se você precisa de um abissal diabólico que busca almas e trabalha em esquemas de longo-prazo, use um diabo. Entretanto, para carnificina liberada, sofrimento sem sentido e devastação aterrorizante, chame um demônio.

Fonte: EnWorld.org

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Diego disse:

    Pra mim isso não passa de muita conversinhas e poucas mudanças. Por serem caóticos e maus os Demônios nunca foram organizados, só entendem o idioma da força, então… “acha que governa aquele que têm poder pra governar”
    aff… pra mim isso tá sendo mais do mesmo. Só o propósito de Diabos serem anjos caídos e Demônios elementais que se aproximaram demais é novo. E pessoalmente, o segundo não me agrada em nada.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: