Resultados Concurso Alphaversos 2018 – Avaliações do 11º, 12º e 13º colocados

Avaliação Completa – Edopunk Presença dos Temas: 9,0 Lancaster: Os temas são Distopia, Constructos e Disputa de territórios — tudo corretamente executado (se pensarmos em territórios como um conceito menos literal), […]

Avaliação Completa – Edopunk

Presença dos Temas: 9,0

Lancaster: Os temas são Distopia, Constructos e Disputa de territórios — tudo corretamente executado (se pensarmos em territórios como um conceito menos literal), sem realmente muito destaque para esses elementos um em relação ao outro.

BURP: Estão todos bem encaixados e aproveitados.

Oriebir: Distopia e Construtos estão muito bem amarrados ao cenário. Disputa de Território fica em segundo plano. Estranhei não usar Japão Feudal como tema, acho que encaixaria melhor do que a Disputa de Território.

Armageddon: Os três temas estão aqui, apesar de sentir que Japão Feudal foi trocado por Disputa de Território no último segundo, o que é uma pena, encaixaria melhor na proposta.

Uso das Regras: 8,5

Lancaster: Não há realmente nada de errado, mas senti que o conceito poderia ter sido mais trabalhado nesse sentido, com inclusão de mecânicas extras.

BURP: Não houve necessidade de adições, o que eu sempre considero um ponto positivo. A sugestão de uma pontuação fora do padrão do sistema (8 pontos) chama a atenção, mas não é um defeito.

Oriebir: Vai direto ao ponto e cita quando é sugerido algum material que não está presente no Manual Básico.

Armageddon: Fiquei curioso com a escolha da pontuação sugerida.

Aspectos Gerais: 7,0

Lancaster: Essencialmente é um universo cyberpunk clássico, com um contexto no qual conceitos como samurais, ninjas e daimyos voltou a fazer sentido. É mais cosmético do que qualquer outra coisa. Os coadjuvantes são úteis, mas não especialmente marcantes. De modo geral, até funciona.

BURP: É um cenário cyberpunk bem feijão com arroz, embora focado na recriação de um ambiente geopolítico do Japão sengoku. A caracterização dos novos samurais e ninjas foi uma sacada bem legal. Mas senti que faltou realmente um pouco mais de “vida” – não só descrever o ambiente geral, mas oferecer personagens definidos e situações com as quais interagir, como um vilão ou NPC com nome e função.

Oriebir: Apesar de ser um tema que não me chama muito a atenção, o texto bem escrito e claro me fez ter vontade de jogar ao menos uma aventura. Acho que tem potencial, mas ainda precisa trazer algum plot mais original, que o diferencie de suas próprias referências.

Armageddon: Cyberpunk girando em torno de batalhas entre ninjas soa muito legal. O cenário não abre espaço para o protagonismo dos personagens, mas isso é deixado bem claro, com uma promessa de um final trágico a todos, o que combina também com a premissa. Ainda que muito bem descrito, faltou talvez um grande antagonista, provavelmente uma das corporações responsável pela tecnologia de criação de ninjas, para tornar o cenário mais carismático.

Nota Final: 8,2

Pages: 1 2 3 4

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.