Wraiths – Mestre pra quê?

Há tempos eu tenho procurado um sistema que dispense a necessidade de um narrador/mestre/cara atrás do escudo. Bem, trago a vocês com exclusividade, direto do porão do próprio autor, WRAITHS.

Em Wraiths (Espectros) você é um agente do governo, especializado em missões de infiltração. Você invade armazém de contrabandistas internacionais, laboratórios de governos inimigos ou bases militares secretas. Você deve entrar executar a missão, e sair, sem que ninguém saiba.
O jogo é dividodo em dois momentos: Preparação e Missão.
Na preparação os jogadores definem seus personagens, o que eles carregam e o que são especialistas em fazer, bem como se farão parte do time de suporte, ou de solo. Nesta fase, os jogadores definem qual será a missão, seus objetivos, e desenha um mapa com possíveis ameaças, como patrulhas, sensores de movimento, cachorros, etc. Todos os jogadores definem pelo menos uma ameaça, de acordo com a especialidade do seu personagem, além de planejaram estratégias para se livrarem das ameaças.
Depois de tudo pronto, começa a parte da missão. O interessante, é que, nesta fase, tudo é em tempo real. Durante esta fase, os jogadores da equipe de suporte vão monitorar os equipamentos e fazer relatórios constantes sobre o que pode ameaçar ou ajudar a missão. No início da missão, cada jogador de suporte joga os dados para definir quando (em minutos de jogo) irá fazer seu relatório e e a qualidade deste (pode ser uma grande oportunidade de acabar a missão, pode ser uma grande ameaça, ou simplesmente um fato inofensivo) sempre antento ao fato de que seus relatórios tem a ver com a especialidade do seu personagem.
Já a equipe de solo, além de tentar se livrar de todos os perigos e completar a missão, sempre que eles chegarem a algum ponto onde havia sido marcado como uma ameaça na fase anterior, ele deverá “reportar” a seus colegas a real situação daquela ameaça, que pode ser Menos ou mais perigosa (depende da rolagem) do que o previsto.
O interessante do jogo é justamente este esquema em que todos vão narrando e todos ficarão surpresos conforme os relatórios de cada jogador forem acontecendo. Fora que forma um ambiente de tensão muito legal, pois, como é em tempo real, é muito importante planejar ,muito bem antes, e decidir rápido, pois a qualquer momento outro jogador pode fazer um relatório de algo muuuuito ruim.
O lado negativo, é que não possui um sistema, ao invés disso, ele permite que você use qualquer sistema para resolução dos conflitos, sejam combates ou outras habilidades espiãs. O autor sugere FUDGE como sistema, mas nada impede que você até mesmo crie o seu próprio.
Wraiths é um jogo de improvisação, tensão e certamente muita diversão, Criado por Ian Millington, Autor de “Game Physics Engine Development” e é trazido com exclusividade pelo Roleplayer, pois nem o próprio Ian conseguiu achar uma versão na internet!
Clique aqui para baixar o arquivo.
Abraços e bons dados!

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Nerun disse:

    Muito interessante.

  2. Masamune disse:

    Interessante mesmo, mas acho que só funciona direito com grupos bem experientes, senao vira uma zona.

  3. Alexandre disse:

    >Pois nem o próprio Ian conseguiu achar uma versão na internet!
    Hahahaha!!! Muito bom! Como você chegou até esse jogo?
    Caramba, parece muito bom, esse treco! Fiquei bem animado de tentar fazer algo assim.

  4. JEY disse:

    Então, eu entrei em contato com ele por e-mail, e ele me falou que procurou, procurou, e achou um CD antigo no porão de casa!
    Mais exclusivo impossível!

  5. Armageddon disse:

    A gente podia começar a traduzir de leve esses joguinhos underground, não?

  6. Alexandre disse:

    Cara, pior que podia. Tentei procurar esse treco mas não encontrei… achei só algumas citações e links quebrados.

  7. Alexandre disse:

    ARGH!!! O LINK TÁ NA MATÉRIA!!! HUAHUHAUHAUHA!!!!
    Tem que destacar isso!

  8. Armageddon disse:

    Se tu achou e vai traduzir, depois eu coloco em destaque hauhauha =)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: