Grunts, os Minions do 3D&T

O artigo de hoje faz parte das colunas Improviso e Oficina. Em campanhas longas, hão de encontrar momentos em que um oponente que o mestre acreditasse não causar tantos problemas ao grupo, faz um estrago razoável, causando algumas baixas. A primeira solução seria reduzir os pontos do NPC de uma forma que os personagens consiga derrotá-lo sem causar muitos problemas. Mas isso acabaria por deixar os combates monótonos e cansativos com a talvez “fácil” vitória dos protagonistas. Já pensou em usar Grunts na sua aventura?

Em alguns animes, séries e jogos vemos Grunts e talvez você nunca tenha percebido. Exemplos como os Krybots de Power Rangers… Aqueles treinadores de Pokémon que querem combate com um simples contato visual… Ou ainda por meio dos Encontros Aleatórios que vemos em um monte em alguns MMORPGs.

Sabendo que em seu plantel de inimigos não há nenhum em que as vantagens, características e estratégias do grupo de personagens seja páreo para ele, você pode de certa forma “dividir” este inimigo em várias partes.

Assim como os Minions de D&D, os Grunts tem o papel de ajudar os personagens a se desenvolverem quando um desafio mais relevante pode ser um problema e tanto.

Faremos então um modelo — levando algumas características como base –, para que possa criar seus próprios grunts na campanha.

  • Grunts só podem utilizar um tipo de ataque: Corpo-a-corpo ou à distância. Logo, ou Força ou PdF estarão zerados. Simplificar é essencial.
  • O dano e a defesa serão sempre estáticos. Considere uma rolagem 3 para a FA e FD não tendo assim trabalho para rolagem de dados excessiva.
  • Qualquer ataque que ultrapasse a FD de um Grunt destrói um Grunt. :'(
  • Os Pontos de Experiência será sempre 1/3 dos pontos que um inimigo não-grunt poderia ceder.
  • Em geral, Grunts podem possuir apenas uma vantagem.
  • Considere o nível de seus personagens como revisão final para a pontuação.
Como podemos ver, o objetivo de tal modelo de oponentes é terminar o combate cada vez mais rápido. Como já pode ter notado, você vai ter que utilizar 10 ou mais grunts em um combate para ter o efeito desejado.
Ao lado um exemplo da ficha grunt dos Krybots de Power Rangers. O 10 Un significa que quando entram em combate estão em 10 unidades.
Os Pontos de Experiência adquiridos ao detonar estas criaturas seria 3 (10 criaturas de menos de 10 pontos equivalem a 1 ponto cada. Divida por três e arredonde para baixo). Deu pra entender?
É bem básico, mas se usado de forma errada pode prejudicar o grupo.
Grunts são, de certa forma, lacaios de um personagem de maior poder. Então, se for usá-los em sua campanha, lembre-se de colocar por trás (ui!) alguma ameaça maior e mais poderosa para seu grupo.
Se seu grupo for daqueles que gostam de extrair informações de qualquer coisa que eles deixem com 0 PVs mas que esteja consciente, saiba que Grunts morrem automaticamente ao alcançarem os 0 PVs. Sem direito a Teste de Morte.

Você ainda pode acrescentar peculiaridades aos grunts, como invulnerabilidades, fazer com que todos tenham a vantagem Parceiro e unir suas forças para combater o grupo de “igual para igual”, isto é, com PVs normais, e não como Grunts.

Tem um app maneiro para a criação dos Minions, do D&D: http://dndminion.appspot.com/ e você pode usar para criar os grunts.

______________
LIPE SOARES acha que os grunts também são gente e merecem seus direitos!

As imagens deste artigo são screenshots de Power Rangers e Pokémon.

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. CalionNunes disse:

    Gostei muito da idéia, nunca me ocorreu usar isso numa aventua
    Irei experimentar utilizar mais de 1 tipo de grunt para dar a ideia de q o jogo n eh repetitivo nesses importunuos
    (normalmente eu uso goblins, kobolds ou humanos dependendo do universo da campanha para servir como oponentes mais fracos)

  2. BURP disse:

    Eu gosto de usar o modelo dos mooks do Wushu RPG… Basicamente, tu faz uma ficha só pra pra o conjunto de “minions” inteiro, que tem direito a um ataque contra cada personagem dos jogadores mas tem uma contagem de PVs só pro grupo todo, e eles podem se descrever matando/nocauteando/imobilizando quantos inimigos quiserem durante o combate. No fim fica meio aqueles combates épicos de filmes de kung fu mesmo, com o Jet Li detonando dúzias de figurantes aleatórios, ou algo meio Dynasty Warriors também.

  3. Mestre kame disse:

    escrevi há algum tempo algo sobre isso, confiram:
    http://3detroots.blogspot.com/2009/09/minions-em-3d.html
    abraços.

  4. Pedro disse:

    Os grunts em sua maioria foram rotulados como “inimigo de super sentai”, mas isso está muito errado. Preparei uma aventura cujos herois devem matar uns 20 grunts dependendo dos rumos da aventura (e olha que era medieval). Um grunt pode ser até uma pessoa normal (tirando é claro as inaptidoes a fala e pensamentos) ou coisas do genero. Grande materia XD.

  5. grunts são gente sim!!!!(mesmo que criados por sombras ou sendo humanos com fantasias terrivelmente toscas, mas, são gente)
    eles protegem as criaturas contra os jogadores e merecem respeito.
    grunts podem ser todo o tipo de criaturas só que sempre vêm em grupos grandes e qualquer ataque os mata ^^

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: