Retrospectiva do RPG em 2010

Este ano foi o mais diversificado e movimentado em lançamentos para RPG em pelo menos uma década. Enquanto títulos mainstream como D&D 4e, Tormenta RPG, GURPS 4e e 3D&T Alpha ganham as lojas e os corações da grande massa RPGística nacional, duas pequenas editoras e até mesmo um blog nacional correm por fora para lançar títulos indie no Brasil: a Secular Games, com a fanzine Mamute e o jogo Busca Final, e a Retropunk Game Design, com seu Rastro de Cthulhu e a promessa de vários títulos indie internacionais como Spirit of the Century e Esoterrorists, e por último o blog Paragons com seu Old Dragon. Confira um pequeno (e tão preciso quanto minha memória permite) cronograma do ano de 2010 para o RPG.
Janeiro: DragonSlayer 28 (Editora Escala e Jambô Editora);
Março: Criatura Selvagem (Jambô Editora); Mago, o Despertar (Devir Livraria)
Abril: Agentes da Liberdade (Jambô Editora); A Cidade dos Ladrões (Jambô Editora); DragonSlayer 29 (Editora Escala e Jambô Editora); D&D 4e: Livro do Jogador 2 (Devir Livraria);
Maio: Livro das Raças: Draconato (Devir Livraria); Labirinto da Espiral do Trovão (Devir Livraria);
Julho: Tormenta RPG (Jambô Editora); DragonSlayer 30 (Editora Escala e Jambô Editora); Mamute (Secular Games);
Agosto: Guerras Táuricas (Jambô Editora);  Nova Orleans: Cidade dos Amaldiçoados (Devir Livraria); ReOps (Confraria dos Observadores);
Setembro: Manual do Aventureiro Alpha, (Jambô Editora);
Outubro: A Cripta do Feiticeiro (Jambô Editora); GURPS 4e: Guia de Personagens (Devir Livraria); O Livro da Magia (Jambô Editora); Nova Orleans: Cidade dos Amaldiçoados (Devir Livraria);
Novembro: DragonSlayer 31 (Editora Escala e Jambô Editora); Forgotten Realms 4e, Guia do Jogador (Devir Livraria); Old Dragon (Independente, Paragons);
Dezembro: Dragon Age RPG (Jambô Editora); Valkaria, Cidade Sob a Deusa (Jambô Editora); Rastro de Cthulhu (Retropunk Game Design); Midgard 2ª edição (versão normal e Box, Conclave Editora).
A Jambô Editora foi a mais ativa este ano, com 14 lançamentos: 3 para a linha Fighting Fantasy, 2 para a linha Mutantes & Malfeitores, 3 para a linha Tormenta RPG, e 1 cada para as linhas 3D&T Alpha e Dragon Age RPG, além de 4 revistas DragonSlayer em conjunto com a Editora Escala. A editora gaúcha pretende aumentar ainda mais o número de lançamentos em 2011, chegando a 20 títulos, quase 2 por mês.
A Devir Livraria ressuscitou uma antiga linha com a chegada de GURPS 4e: Guia de Personagens, além de continuar focando na 4e de D&D com a chegada de novos títulos como Livro do Jogador 2 e Forgotten Realms Guia dos Personagens. O Novo Mundo das Trevas voltou a ganhar lançamentos este ano após o retorno de sua editora da licença-maternidade. No total, a editora paulista teve 7 lançamentos este ano: 4 para o carro-chefe D&D 4e, 2 para o Novo Mundo das Trevas e 1 para GURPS 4e.
Uma surpresa neste fim de ano foi a volta da Conclave, que de repente apareceu com seu Midgard 2ª edição, adaptando as terras nórdicas para D&D 4e e sendo a primeira (e provavelmente única) editora Brasileira a se arriscar com a GSL. E olha, apesar de não me interessar pela 4e, o box do cenário impressiona pela quantidade de quinquilharia legal pelo preço bacana (R$ 75,00).
A grande promessa para 2011 fica por conta da Retropunk, cujo catálogo de licenças inclui realmente muita coisa legal do mercado indie de RPG dos EUA. Fala-se em novos títulos para Rastro de Cthulhu, 3:16 Carnage Among the Stars, Spirit of the Century, Don’t Rest Your Head e mais. Se conseguir realizar metade dos planos, tem tudo para ser um marco no mercado nacional.
A experiente Secular Games, que já publicou títulos no mercado estadunidense de PDFs, lançou seu fanzine Mamute na RPGCon e promete pelo menos o Busca Final para 2011, apesar de que a tradição desta pequena editora é não fazer alarde sobre quaisquer lançamentos que não estejam bem encaminhados ou prontos. Só ficamos sabendo do Mamute cerca de uma semana antes da RPGCon!
E por falar na RPGCon, o evento mais bacana dos últimos tempos se consolidou e já está se tornando uma referência para o RPGista Brasileiro. No início do ano, quando a data do evento foi confirmada, a hashtag #RPGCon chegou a ficar algumas horas nos Trendings Topics do Twitter, mesmo competindo com o enxame de hashtags sobre o Big Brother Brasil 10, que estava em suas semanas finais na época.
EDIT: O Talude me informou do lançamento do ReOps também este ano, em agosto. ReOps é a nova encarnação do antigo sistema Opera, e pode ser adquirido aqui.
 

Você pode gostar...

15 Resultados

  1. Mestre Urbano disse:

    Foi um ótimo ano para o RPG, espero que ano que vem seja tão bom, pois superar vai ser foda….
    Feliz ano novo a todos.
    abs http://mestreurbano.wordpress.com

  2. Talude disse:

    Faltou o Old Dragon e o ReOps, títulos que são vendidos via POD mas que estarão em livrarias tb, em 2011.

  3. malkavfelipe disse:

    Esse ano realmente foi foda. Lançamentos para todos os gostos.
    E a crise do rpg mais uma vez foi pro espaço xD

  4. '-' disse:

    Mas (paraminhainfelicidade) a Jambô meio que abandonou a linha Reinos de Ferro, nenhum lançamento neste ano, sendo que havia sim livros dos reinos de ferro lá fora que podiam ser trazidos ( liber mechanica, cinco dedos e até o monsternomicon 2 ), então eu me pergunto se for realmente sair aquele alardeado sistema de Reinos de Ferro a Jambô virá a publicar ou se realmente o titulo ficará abandonado . . .
    Mas tirando isso, foi um ano realmente bom para o RPG.

  5. '-' disse:

    Mas (paraminhainfelicidade) a Jambô meio que abandonou a linha Reinos de Ferro, nenhum lançamento neste ano, sendo que havia sim livros dos reinos de ferro lá fora que podiam ser trazidos ( liber mechanica, cinco dedos e até o monsternomicon 2 ), então eu me pergunto se for realmente sair aquele alardeado sistema de Reinos de Ferro a Jambô virá a publicar ou se realmente o titulo ficará abandonado . . .
    Mas tirando isso, foi um ano realmente bom para o RPG.

  6. '-' disse:

    Mas (paraminhainfelicidade) a Jambô meio que abandonou a linha Reinos de Ferro, nenhum lançamento neste ano, sendo que havia sim livros dos reinos de ferro lá fora que podiam ser trazidos ( liber mechanica, cinco dedos e até o monsternomicon 2 ), então eu me pergunto se for realmente sair aquele alardeado sistema de Reinos de Ferro a Jambô virá a publicar ou se realmente o titulo ficará abandonado . . .
    Mas tirando isso, foi um ano realmente bom para o RPG.

  7. Puppet disse:

    Não acho que foi assim tão diversificado Nume, tivemos 17 títulos voltados para a fantasia medieval, contra 9 que não são voltados, isso contando os lançamentos para sistemas genéricos.
    Se removermos os sistemas genéricos, e focarmos somente livros básicos, tivemos apenas duas publicações que não são para a fantasia medieval: Mago e Rastro de Cthulu, sendo que o último é parte desse ano, parte de 2011.
    Não tem mais ninguém aí que gosta de as vezes dá um tempo na fantasia medieval? Me lembro de quando jogava GURPS Fantasy, de tempos em tempos puxávamos o Viagem Espacial ou o Horror da prateleira, ou algum título da Daemon, tínhamos até mesmo o Paranóia.
    Não sei espero que 2011 seja mais rico em gêneros, principalmente entre os RPGs de pequeno porte, espero que o TRON ressuscite um pouco do ciberpunk, sci-fi.

  8. Michel disse:

    Eu ainda estou esperando o primeiro título para Rastro de Cthulhu, em dezembro só saiu o pdf, nada do livro impresso até agora.

  9. Domênico disse:

    Teve o lançamento do Mighty Blade no RPGcom. A editora Coisinha Verde (que nome…) andou prometendo mais livros pra esse ano.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: