Heróis de Arton: Fugitivo

Você não gostaria de perseguir essa fugitiva?


Se vierem atrás de mim de novo arranco seus chifres e enfio nos seus rabos, entenderam?
Um lorde humilhado em busca de vingança. Um grande escravista minotauro. Um paladino que entendeu tudo errado (ou tudo certo). Um Dragão-Rei. Talvez suas próprias origens. Não importa do que seja especificamente, o importante é colocar a maior quantidade de chão entre isto e você mesmo. Arton é um mundo de problemas, e as vezes é mais fácil enfrentar estes problemas do que o seu próprio problema.
Aventuras: você vive aventuras para estar em constante movimento, jamais fixando-se num lugar, e assim evitando ser encontrado pela lei ou por inimigos poderosos. Suas aventuras te levam a lugares extremos, onde a civilização não alcança, e nem seus inimigos: Grande Savana, Deserto da Perdição, Montanhas Sanguinárias e mesmo os Reinos de Moreania são lugares que você não se importa em freqüentar desde que te levem para mais longe em sua fuga.
Fugitivos também se aventuram para se tornarem mais poderosos. Em uma vida de aventuras eles encontram itens mágicos, fazem amizade com senhores de terras, magos e clérigos, conseguem aliados e favores dos homens importantes do mundo. Assim, talvez, um dia possam estar do outro lado da caçada.
Personalidade: você é desconfiado das outras pessoas, sempre com medo de um assassino ou traidor em busca da sua recompensa. Ao mesmo tempo procura reunir poder pessoal e favores de homens poderosos, como uma forma de garantia para quando as coisas apertarem, ou talvez pistas para provar sua inocência perante a lei. Apesar disto é preso ao presente e raramente faz planos para o futuro, exceto quando envolve evitar seus perseguidores, pois muitas vezes duvida que irá sobreviver por muito mais tempo.
Maneirismos: você evita chamar a atenção em qualquer situação. Em uma taverna vai sentar no lugar mais escuro e afastado, e sempre de frente para a porta. Em combate, não faz bravatas, apenas mata. Mesmo quando realiza grandes feitos você recusa honrarias e, principalmente, corre de bardos como uma fada corre da Tormenta. De vez em quando você sente saudades da sua terra natal, se foi forçado a abandoná-la, e gosta de ouvir sobre ela.
Variante: sua família e entes queridos pagaram o preço quando você não pode ser encontrado, agora você é um vingador, empilhando cadáveres no caminho até seu inimigo jurado. Você se utiliza de métodos de guerrilha para enfraquecer um oponente maior até que ele esteja de joelhos e ao seu alcance, e então irá aproveitar cada segundo da sua vingança.
Considerações mecânicas: perícias como Acrobacia, Atletismo, Diplomacia, Enganação e Furtividade são essenciais para evitar ser descoberto e pego, também considere talentos como Corrida e Acrobacia Audaz para fugas especialmente espetaculares quando as coisas ficarem feias.

João Paulo Francisconi

Amante de literatura e boa comida, autor de Cosa Nostra, coautor do Bestiário de Arton e Só Aventuras Volume 3, autor desde 2008 aqui no RPGista. Algumas pessoas me conhecem como Nume.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Spartanus disse:

    Vai criar um estereótipo militar? 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: