A guerra invisível pela liderança do Panteão em Tormenta

Este artigo contém spoilers da DragonSlayer 28, dos romances de Tormenta, do Tormenta RPG e do futuro suplemento Guerras Táuricas, siga por conta e risco.
Vamos direto ao ponto? Odiei a vitória de Tapista nas Guerras Táuricas. Odiei que Tauron seja o novo líder do Panteão. Mas não acho, como muita gente por aí, que esta ascensão seja repentina ou que outros deuses foram deixados de lado quando mereciam o posto mais que este boi divino super-desenvolvido.

A Queda de Norm

Primeiro vamos começar explicando porque Khalmyr, o deus mais bunda mole de todos os tempos, acabou perdendo a liderança. Já foi dito diversas vezes ao longo dos últimos dez anos que os deuses de Arton obtém poder através da importância de seu portfólio divino no mundo.
Khalmyr é o Deus da Ordem e da Justiça, e como qualquer um que tem acompanhado os eventos do cenário nos últimos anos pode comprovar, a ordem natural em Arton estava indo para as cucuias desde que a Tormenta apareceu em 1390. Os lefeu consomem a realidade artoniana, quebrando conceitos fundamentais da existência como a Ordem e o Caos, e portanto enfraquecendo o poder de Khalmyr (e Nimb).
Mas o momento decisivo em que o poder do deus da justiça se tornou frágil foi a Queda de Norm e da Ordem da Luz. Neste evento fatídico ocorrido em 1403 a maior ordem de cavaleiros de Khalmyr foi quase obliterada por forças da Tormenta.

A Corrida pela Liderança

Khalmyr diversas vezes já provou que pode colocar-se em desvantagem para que o que é justo prevaleça. Portanto, quando numa situação frágil e incapaz de liderar da melhor maneira, não é estranho que Khalmyr abdique de sua posição para um outro deus que se prove mais apto. E não duvido que tenha sido isto que aconteceu.
Se prestarmos atenção nos últimos eventos em Arton, está acontecendo uma verdadeira guerra invisível pela liderança do Panteão entre os possíveis candidatos.

A Queda de Glórienn

Eu andei pensando muito sobre isto, e acho que a agora Deusa Menor dos Elfos não foi a única a ganhar alguma coisa na relação de escravidão que firmou com Tauron.
Ao colocar Glórienn sob sua proteção, o Deus da Força, da Coragem e dos Minotauros se tornou também um Deus dos Elfos. Com a adição destes ao seu portfólio, Tauron se tornou mais poderoso do que visto na última edição d’O Panteão, se tornando um competidor mais forte pela liderança.

Contra Arsenal

O primeiro dos deuses a fazer seu movimento foi Keenn, a quem muitos dizem que deveria liderar o Panteão, mas se esquecem do fracasso da operação de Arsenal.
Não acham estranho que depois de décadas de procura Mestre Arsenal tenha conseguido completar sua máquina de guerra justamente após a Queda de Norm? Sim, acho que Keenn deu o empurrão final no plano de seu sumo-sacerdote, e com a falha deste perdeu espaço na corrida pela liderança.

Guerras Táuricas e a Aliança Negra

Após o fracasso de Arsenal e Keenn, foi a vez de Tauron fazer sua jogada através de Tapista e das Guerras Táuricas. Provou que a Força e a Coragem prevalecem sobre a Justiça. Venceu.
Mas e aí, acabou a disputa? Não. Ainda há um último competidor pronto para fazer sua jogada. O mega-evento de 2010-2011 será também a última disputa pelo trono dos deuses de Arton: Aliança Negra. Ragnar está chegando.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

52 Resultados

  1. Pablo Urpia disse:

    Cara, eu concordo em parte algumas coisas que tu escrevesse.
    Só não acho que Tauron tenha se tornado o "deus dos elfos". Glorien continua viva, embora muitos, a maioria, tenham desistido de cultuá-la.
    Khalmyr se "enfraqueceu" muito depois do retorno de Sszzaas e Valkaria. E agora do Terceiro! Além claro de sua ordem ter perdido grande parte do seu poder no mundo. Uma coisa que eu acho que os devotos da justiça deveriam tentar era a unificação das ordens: a de Khalmyr e a Ordem da Luz.
    Até comentei mais ou menos isso que tu escreveu lá no fórum da Jambô.
    De resto, Tormenta RPG vai chegar recheado de bons plots pra se aventurar!

  2. Hiken Hinomura disse:

    Faz muito tempo que esperamos por um material desse porte para a AN. De fato,produzimos o PAN justamente por essa frustração. Mas agora, com essa reviravolta ,tenho novamente esperanças de que um material com a qualidade Jambô estará disponivel no mercado logo logo

  3. Emanuel Braga disse:

    Concordo com tudo escrito acima! Espero que a aliança negra ataque logo, pois com certeza isso vai ser uma mega aventura épica! Estou esperando por isso desde a terceira edição de Tormenta.

  4. Filipi disse:

    O problema da Aliança Negra e do próprio Ragnar é que estão fadados ao fim quando tal profecia se concretizar. Sem Ironfist a Aliança Negra não existe. Como a propria Tenebra falou (acho que foi ela sim), Ragnar é idiota de colocar todo o seu poder num bando fadado ao fim como a Aliança Negra. Acho que Ragnar fez isso por acreditar no tudo ou nada, uma grande guerra que trará muita morte em seu nome e tal.

  5. Pablo Urpia disse:

    Outra coisa legal que iremos ter daqui pra frente serão as novas alianças entre os deuses.
    Uma coisa curiosa: já que o tabuleiro de Arton mudou de dono, será que Tauron irá deixar que Nimb mova as peças por ele?

  6. Eu não acho que o Nume se engano quanto aos elfos adorarem o Touro em Chamas, agora. Na verdade, acho que ele acertou na mosca. Se antes os elfos tinham apenas uma mãe, agora tem um pai, um deus patrono masculino.
    Claro que a maioria dos elfos não vai admitir abertamente a verdade, que sua deusa é uma escrava, e sim que ela é a escolhida de Tauron, o novo líder do Panteão. Isso pode até refletir de forma positiva para a raça, se antes era um povo triste e sem esperança, talvez achem que com a união seu povo posso prosperar novamente, pelo menos até a ficha cair, eles perceberem que são apenas escravos, e um grupo de heróis desafiar Tauron pela liberdade da deusa élfica. ^^

  7. Acabei enviando o comentário sem querer… Nem tinha terminado de digitar… xD
    Enfim, agora sobre a liderança do Panteão. Devido ao que aconteceu, que no Nume citou muito bem cada detalhe, está bem claro que o melhor candidato ao cargo de líder do panteão, atualmente, é Tauron. Não porque Khalmyr enfraqueceu ao ponto de perder a liderança, mas porque a justiça dele é implacável mesmo com ele próprio, e ele falhou como líder, por isso saiu do trono para que um novo líder surja. Isso não que dizer que ele ainda não posso cortar o chifre do Touro caso ele se torno um tirano ao invés de um líder.
    Agora sobre a Queda do Reinado, foi ridículo. O Reinado nunca cairia da forma como foi. Eu acredito que os minotauros obrigariam o Reinado a propor um trégua, porque se a guerra continua-se devastaria o continente, mas nunca como foi.
    São dezenas de reinos, alguns muito poderosos, contra Tapista. Os minotauros são fortes, estrategistas e determinados. Mas ele jamais lavariam o chão com a cara do Reinado dessa forma.
    Ainda bem que está em tempo da equipe da Jambô e cia trabalhar melhor essa história na DS e no suplemento.

  8. protagonist disse:

    Viram? O Nume detesta esse boi-da-cara-flamejante, mas nem por isso está dizendo que Arton virou bagunça.
    Ainda tem a possibilidade da guerra contra arsenal ter favorecido Tauron também. Se a guerra tomou o reinado é óbvio que a força tornou-se um conceito muito importante também. E, com a derrota de Arsenal, o culto de tauron poderiam muito bem arrebanhar eventuais devotos de Keen que perdessem a fé no deus da guerra.

  9. Tiago Lobo disse:

    "O Nume detesta esse boi-da-cara-flamejante".
    Eu gosto do Boitatá.

  10. Kendi disse:

    A idéia de alguém com cara de boi dominando o reinado, pra mim, não é das mais animadoras.
    Olha Nume, este post seu ficou bom cara, mas alguns dos argumentos que você citou não achei que eram tão esclarecedores.
    “A Queda de Norm” – concordo com você que a Tormenta deu uma bagunçada em Arton, apesar de achar meio estranho que a queda de Norm tenha contribuido tanto para a queda de Khalmyr (importante foi, mas na minha opinião, não a tal ponto).
    “A Corrida pela Liderança” – acho difícil que Khalmyr, representante máximo de sua própria crença, ache que outra pessoa tem mais juízo para governar Arton. Lembre-se que para Khalmyr, a coisa mais importante é a ordem e não o poder (ou pelo menos espero que seja).
    “A Queda de Glórienn” – não há uma obrigação de seus devotos continuarem seguindo a deusa dos elfos ou mesmo Tauron. Muitos podem passar a cultuar outros deuses, como Alihana, ou mesmo abandonar a religião. Fora que Glorienn não tinha muitos devotos mesmo.
    “Contra Arsenal” – esse é plausível.
    “Guerras Táuricas e a Aliança Negra” – ainda não vi muito sentido para os minotauros terem ganhado a guerra e “dominado” o reinado, fazendo com que, então pouco tempo, Tauron em especial tenha se tornado o deus mais importante para os mortais. Ragnar, por exemplo, não perdeu quase nenhum devoto com tudo isso, logo ele poderia ser o líder a ser destronado por Tauron e não o inverso. Porém gostei bastante da idéia da Aliança Negra contra O Império de Tauron.
    Enfim, espero muito as repostas para todas essas perguntas.

    • 1) A Queda de Norm foi mais um motivo, não o motivo. Foi isso que o Nume quis dizer.
      2) Khalmyr é o deus da justiça, isso significa que nada está acima da justiça, nem ele mesmo. Se ele acha que falhou como líder, ele sairia do cargo de bom grado.
      3) Poderia, mas foi explicado que isso não ocorreu. Muitos elfos foram para Tapista, um reflexo do que aconteceu entre os deuses.
      4) Contra Arsenal deveria ter a atenção que as Guerras Táuricas está tendo, e deveria ter trabalhado mais a questão de ser uma tentativa de Keen assumir o poder. Além disso, deveria justificar porque o Reinado estava tão fraco. Após várias batalhas contra a Tormenta, e parte das forças do Reinado está em Tyrondir, ainda houve várias batalhas em Contra Arsenal.
      5) Admito que foi tosco a forma como o Reinado de rendeu, mas o poder de um deus não importa tanto quanto você imagina. Porque Tauron e não Ragnar o líder? Simples, porque é o Panteão quem decide quem é deus. Khalmyr não era o líder apenas porque podia, mas porque a maioria do Panteão concordava. Para ser o líder é preciso ter a maioria dos votos, e com certeza dentre as opções, Khalmyr (como outros deuses) escolheu Tauron.

  11. kendi disse:

    1- "Mas o momento decisivo em que o poder do deus da justiça se tornou frágil foi a Queda de Norm e da Ordem da Luz. "
    2- Eu já tinha entendido o raciocinio do nume e continuo discordando.
    3- Não vi onde isso foi explicado. De qualquer forma, não obriga ninguém a cultuar Tauron.
    5- Ainda não vejo por que Khalmyr escolheria Tauron para ser o líder do Panteão ainda mais sabendo das tendências de Tauron.
    De qualquer forma, prefiro esperar um pronunciamento oficial do pessoal da Jãmbo explicando tudo.

  12. wefferson disse:

    Eu acho que nunca vou conseguir entender como a deusa maior dos ELFOS decidiu ser escrava do deus dos MINOTAUROS ao invés de tentar uma aliança com a deusa da MAGIA…
    Que venha Ragnar…

    • protagonist disse:

      sei lá. Por que ela não tentou um acordo com o próprio Khalmyr então? Formar uma aliança geralmente envolve uma troca de benefícios. O que uma deusa tão enfraquecida teria para oferecer à deusa da magia ou qualquer outro membro do Panteão? Na última vez que os outros deuses ajudaram Glórienn foram levados a permitir a invasão da Tormenta. Então, por que fariam isso de novo?

    • Spartanus disse:

      Talvez porque Tauron seja Leal e Neutro e Wynna Caótica e Neutra.

    • Gruingas disse:

      Ora essa, porque foi Tauron quem ofereceu ajuda. Foi ele quem foi ao seu plano oferecer sua força para protege-la.
      E acho que ele é o único deus com motivos para acolhâ-la.
      Khalmyr segue a justiça, e a queda de Glórienn certamente foi justa, ela pouco fazia por seu povo há muito tempo, não merecia mais o posto de deusa maior, qual a importância do conceito "elfo" para o universo de Arton? Certamente é bem menor que a importância dos dragões ou da própria Tormenta.
      Wynna seria uma opção…

      • Dan Ramos disse:

        Eu juro que eu não entendo essas de vocês de que os deuses precisam pegar os mortais no colo. Porque Glórienn falhou com o povo dela? O que ela tinha que fazer, dar armas épicas aos soldados? Manipular a sorte? Não me lembro de Tauron ter feito nada pelos minotauros além de dar poder aos clérigos, o resto é só fé. Eles venceram porque são fodas. Por isso também não entendo essa de Khalmir ter perdido lugar porque "falhou com os seguidores", já que eu realmente não vejo muita coisa que ele poderia fazer. Os mortais precisam andar com as próprias pernas, é o que eu acho.

        • protagonist disse:

          Bom, o poder de um deus está ligado ao número de devotos, então é natural que eles queiram dar alguma proteção a eles. Sem falar que entre os deuses deve rolar algo similar a um sentimento paterno/materno com relação aos mortais.

          • Dan Ramos disse:

            Sim, mas até quando pode ir a interferência de um deus no destino dos mortais? O que poderia Glórienn fazer, segundo esse paradigma, contra uma raça "protegida" por outro deus? É uma questão bem complexa pra se pensar. Acho que Glórienn se enfraqueceu porque os elfos foram patetas/ os goblinóides foram fodas, e não o contrário. Veja, não estou condenando o fato da maioria dos emos artonianos pensarem que Glórienn os abandonou – é só que muitas vezes a gente pensa em um mundo de fantasia como um mundo certinho, onde cada coisa acontece rápida e globalmente por uma razão simples, sem as complicações que tornam cada cenário mais interessante.

        • Spartanus disse:

          Deve ser consequência do mau uso de deuses élficos em vários cenários de RPG.
          Sim, estou escrevendo sobre Corellon!
          XD

  13. protagonist disse:

    Uma coisa que eu estava pensando:
    O pessoal anda preocupado com o aumento supostamente repentino no número de devotos do boizão. Porém, eu não lembro de ter sido dito que o deus mais popular será, necessáriamente, o líder do Panteão. Pode ser que ele tenha atraído mais devotos (e, portanto, acumulado mais poder) depois de assumir o trono. Afinal, fé envolve obediência, então é natural que a maioria queira seguir aquele que tem autoridade sobre os outros deuses.
    Aliás, pode ser que a escolha do chefão independa dos mortais. Ele pode ser nomeado pelo Panteão como um todo ou até pelas entidades cósmicas. em ambos os casos, o desempenho da divindade em questão falaria mais alto que o número de devotos.
    Também pode ser que Tauron tenha sido escolhido por causa de sua tendência. Lembrem-se que antes havia uma divisão entre bem (Khalmyr) e mal (Kallyadranoch). Quando Kall saiu, o eixo mudou para ordem e caos (Nimb). No entanto, o deus da justiça ainda tem a parcela bondosa em sua tendência e Nimb é caótico puro. Pode ser que alguma autoridade (o Panteão como um todo ou as entidades cósmicas) tenha chegado à conclusão de que esta “impureza” no equilíbrio tenha sido a razão pela ineficiencia de Khalmyr e, então, tenha determinado que o deus da justiça deveria ser substituído por uma divindade leal e neutra. como Tauron tem se destacado nos últimos tempos, foi escolhido para ser este substituto.

    • Dan Ramos disse:

      Taí, achei essa teoria bem plausível. Não existe bem sem mal, nem ordem sem caos. E um mundo onde ordem e caos são conflitantes e não há uma divisão entre bem e mal é muito mais interessante.
      Tomara que não exista detecção de tendências em TRPG. =P

  14. protagonist disse:

    recentemente o cassaro disse que "Tauron não está ali para ser amado, pode confiar" (http://www.formspring.me/MarceloCassaro ). Isso pode significar que o boi de fogo não foi eleito líder do Panteão por popularidade (tanto entre mortais quanto em deuses). Se for isso, é mais uma razão pela qual a ascensão dele pode não ter sido "repentina" nem nada assim.

  15. Mamorra disse:

    Estava teorizando algo aqui hoje. E tive algumas ideias:
    1- Quem disse que Khalmyr falhou? Ele é aliado de Thyatis (para quem não conhece ele é o Deus da Ressurreição e PROFECIA), o que quer dizer que cada movimento dele poderia ser analizado as consequências várias e varias vezes. A prova que ele sabia da "Tempestade de Glórienn" foi que quando ela foi pedir ao Panteão, ele disse não.
    2- Imaginem a situação que o Khalmyr se encontra: Pressionado por todos os lados para que ele saia da liderança, com provas de suas "falhas" sendo mostradas a todo momento. Outros tantos querendo o seu "titulo". Isso lhes lembra alguém? O que esse mesmo alguém fez? O Khalmyr é o MAIOR estrategista da "realidade Artoniana" e com o tempo e o conhecimento necessário para se preparar, foi a escolha mais sábia.
    3- A queda de Norm deixou o Deus da Justiça frágil? Se uma ordem de cavalaria fosse a única coisa no mundo que pudesse levar a justiça, aí sim o Khalmyr estaria em maus lençois. Mas é muito pelo contrario. A Ordem da Luz estava corrompida até os cabelos, tinha virado a Ordem dos Nobres Pomposos ao invés da Ordem da Luz. Com isso, a queda de Norm só serviu para separar a água do vinho. Agora a Ordem poderá ser o que ela deveria ser. E serviu ainda para a criação dos "Cavaleiros do Corvo" (O BOPE de Arton) que mesmo com o seu lider procurando apenas vingança, eles ainda trilham sob o ideal "Das trevas traremos a Luz.". Ou seja, a Ordem mais fod… digo poderosa atualmente em Arton é leal ao Deus da Justiça.
    4- A queda da Glórienn. E quem disse que Khalmyr não podia fazer nada quanto a isso. Pensem bem, mesmo a Glórienn dizendo que não queria ninguem no plano dela, o Tauron entrou. O que quer dizer que se o Khalmyr quisesse, ele chutaria o pau da barraca e entraria no plano dela com a Rhumnam na mão e destruindo tudo. Como novamente ele não fez "nada" demonstra que a queda dela também faz parte de sua estratégia para acabar com o Ragnar, que é seu inimigo.
    5- Contra Arsenal. Como a própria Valkaria disse ao Arsenal: "Nós queremos saber como isso vai acabar", demonstrando assim o conhecimento sobre os planos dele e tendo em vista a queda do Keen, Khalmyr "deixa" Arsenal fazer o que fez, também fazendo parte de seus planos.
    6- Guerras Táuricas. Como já foi dito, elas acabaram de começar, ninguém sabe como isso vai acabar. Tauron não venceu Khalmyr. pensem bem, Doherimm fica embaixo de todo o Reinado, se novamente o Khalmyr quisesse colocaria os anões pra cima (ou por baixo, como vocês quiserem dizer) dos bois e adeus Guerras Táuricas.
    O que indica que o Deus da Justiça tem também suas armas e ainda não usou-as. Quando fizer… Só Khalmyr terá piedade de suas almas. Por isso, meus caros companheiros, eu realmente acredito que o Khalmyr não falhou em nenhum momento com Arton, mas sim pensou no bem maoir. Imaginem se ele tivesse matado a Valkaria, não existiria a humanidade. Se ele tivesse acabaco com o Sszzaas, o Arsenal não poderia dar uma de Kratos contra o Deus da Guerra (Mesmo porque Arsenal não acha que uma guerra desenfreada é o melhor para o mundo).

    • Gruingas disse:

      Porque os anões atacariam os minotauros? Eles respeitam bem mais os boizões do que os humanos…
      E se tem uma coisa que o Império de Tauron vai precisar são armas e armaduras… assim como o outro lado…
      Acho que Doherimm só tem a lucrar $$ com as guerras táuricas!
      Mas o avanço dos minotauros sobre o reinado não é totalmente anti-Khalmyr, os minotauros são em geral leais.
      Um continente dominado pelos chifrudinhos será muito mais ordeiro que um dominado por humanos, foras as ruas que não serão lá muito retas…

    • Caaaaramba, mano!
      Achei seu comentário sensacional!
      Não tenho acompanhado Tormenta já há um bom tempo, mas tenho ouvido os rumores. =D
      Não sei se "Khalmyr nunca falhou" cola, mas que ele poderia estar fazendo "retiradas estratégicas" pra um retorno poderoso isso seria. Hey! Será que teremos uma saga chamada "O Retorno do Rei" ?? ahuehauhe
      Gosto muito da concepção de um Khalmyr como uma divindade que preza pelo heroísmo, mas esse Transtorno Obsessivo-Compulsivo dele me dá nos nervos. Eu ia defender que o argumento de que ele deveria tomar vergonha na cara e "evoluir", colocando a Ordem em 2º plano em prol da Bondade (em 2º plano e não algo descartável). Ser bonzinho não significa ser estúpido – há maneiras honradas e honestas de lidar com vilões como Szass sem se permitir ser manipulado por eles devido a uma fraqueza tão óbvia. Afinal, ele tb tem a inteligência (e como vc ressaltou, capacidade estratégica) de um deus não?
      E subestimar Khalmyr parece ser o esporte favorito de Arton (vide o Paladino que pensava que Khalmyr não o enfrentava por medo).
      falow!
      braços!
      té +!

    • klebersm17 disse:

      O que Mamorra disse tem todo sentido.
      Agora Khalmyr vai se focar em exercer o seu lado Justiça, deixando a Ordem em segundo plano (coisa que Trio devia ter feito a muito tempo). É bem provável que Khalmyr não veja com bons olhos a Tormenta em Arton, mas como líder do Panteão ele fica de mãos atadas. Agora ele pode ser mais participativo.
      Khalmyr está fraco? Acorda gente, com tudo isso que está acontecendo o que mais tem em Arton é gente clamando por Justiça, e o deus está vendo isso.
      Acredito que Khalmyr e Tyrael andaram batendo um papo e o Arcanjo ensinou algumas coisas ao deus.

  16. kendi disse:

    Resta saber também porque a alta cúpula de Tormenta (trio+Jâmbo) resolveu escolher Tauron para ser o novo líder.

    • protagonist disse:

      popularidade dos minotauros entre jogadores

    • Nume Finório disse:

      Ódio, provavelmente. Os minotauros provocam a ira dos jogadores por simplesmente estarem *errados* sobre diversos assuntos que já damos como resolvidos há gerações. São escravistas, racistas e valentões natos. Feitos sob medida para serem vilões.

      • protagonist disse:

        Mas não dá pra negar que muito jogador adora eles 😛

      • Spartanus disse:

        Vilões natos?
        Creio que não.
        O povo de Yuden é racista e é bajulado em virtualmente todas as mesas. Elfos também são racistas. E os dois, elfos e yudenianos, são muito mais racistas que os minotauros.
        Anões têm escravos, assim como os yudenianos e também são bem racistas com os elfos e em menor grau com as outras raças (a desconfiança racial deles não passa de racismo)..
        Virtualmente todas as raças em Tormenta são compostas por "valentões".
        O negócio, para mim, é que os minotauros não são "bonitnhos" então, fica legal "jogar para a arquibancada" e reclamar deles.
        Ninguém chama os anões ou os elfos de vilões. E os yudenianos, um povo de vilões, provavelmente será revisto, já dá para notar isso no 3º romance.
        Então, para mim, tem muita "birra" infundada com os minotauros mesmo.

        • @caioviel disse:

          Yuden sempre foi vista como vilã sim (antagonista na verdade). Mitkov era um dos maiores vilões de Arton até o final de O Terceiro Deus, o rival de Thormy e de Deheon.
          O traço escravista dos anões não é uma característica principal da raça, nem deve ser a pratica padrão da raça, apenas de alguns indivíduos.
          Elfos são odiados pela maioria dos jogadores de RPG sim, mas nunca vistos como vilões a não ser em raros casos.
          Sobre o racismo das raças em fantasia, quase sempre esta ligada a fatos históricos. Além de dar alguns elementos legais para o Roleplay. Mas não significa que uma raça veja outra como inimiga, talvez apenas não confiável.
          Agora os minotauros tem como uma das característica mais importantes o escravismo, um conceito que a sociedade contemporânea não considera *errada* como disse o Nume. Logo, para a maioria dos jogadores, eles são inimigos perfeitos sim, e possivelmente de todas as raças (em Arton, menos os anões).
          Como o Cassaro disse, Tauron não virou líder do panteão para ser amado. Nem os minotauros conquistaram parte do Reinado para serem idolatrados. Eles foram elevados ao titulo de principais antagonistas do cenário. Veja bem que não são vilões (como AN ou a Tormenta), são antagonistas.
          Sobre Arsenal. Bem, concordo, ele é um dos personagens preferidos do cenário sim, mas isso de deve a ligação e tradição dele dentro do cenário. Ele foi apresentado na revista Dragon 1, inimigo do Paladino de Arton, personagem importante em HA, apareceu em O Inimigo do Mundo.

          • Spartanus disse:

            Miktov não era um dos principais vilões do cenário. Eu, pelo menos, não conheço muitas aventuras que o envolvesse, nem que fosse indiretamente. Aliás, não conheço nenhuma aventura que o envolva. Mas, deve exisitir pelo menos uma.
            Quanto ao traço escravista, em Doherimm criminosos (ladrões especificamente) são condenados à escravidão, assim como em Tapista (aqui ladrões sã mutilados).
            O teu pararágrafo sobre escravidão não deu para enteder.
            Concordo quanto ao antagonismo. E concordo que antagonista é diferente de vião, mas os principais antagonistas do cenário não são os minotauros, mas sim os humanos descendentes dos refugiados de Lamnor, que massacraram as populações nativas e entram em choque com as outras raças, todas elas.

          • protagonist disse:

            Bom, o Mitkov nunca foi um vilão muito ativo, mas também nunca foi um cara lá muito popular.

  17. protagonist disse:

    Não sei se é uma informação muito relevante, mas por desencargo de consciência:
    “Qual seu Deus preferido do Panteão Artoniano?”
    “Valkaria. Se um dia destes ela chegar à liderança, não fiquem surpresos.”
    ( http://www.formspring.me/MarceloCassaro )
    Se for o caso, espero que o mandato de tauron seja beeeeem curto.

  18. Acho que "Ragnar está chegando" vai se tornar a assinatura dos meus e-mails/posts/comentários… 🙂

  19. wraith disse:

    Olá
    Cara não concorda em absolutamente nada que voce pos no seu resumo.
    Glorien é escrava de tauron e não aliada.e ela tinha SD1, os poucos elfos
    que ainda a admiravam não admiram mais depois que ela fugiu de medo em
    seu próprio reino.
    E duvido que esses minimos devotos deem poder a tauron.
    Guerras tauricas vai ser uma merda..Valkaria era a grande capital do mundo
    quando a deusa tava presa e seus herois não tinha poderes, ai ela é liberta
    e o que acontece agora que todos os seguidores dela estão todos cheios
    de si com a volta da deusa, eles são arrasados, nada haver isso
    e uma besteira sem tamanho.
    Tauron ser lider do panteão e ao que tudo indica sozinho, o que nunca
    houve antes e um erro, assim como khalmir (deus mais odiado de arton)
    ter sido o lider antes era um erro maior ainda, ele ter ficado mais forte
    após os eventos atuais ok, mas dai a ser o novo lider é demais.

  20. wraith disse:

    Sobre Contra-Arsenal, ele fez tudo sozinho sem ajuda de Keen ou qualquer
    deus como ele mesmo cita no conto introdutório,
    dizer que com o fracasso dele Keen fracassou e muita parcialidade,
    tormenta corrigiu um erro (khalmyr lider) e fez outro pior colocando
    o tauron, que pelo menos ele tenha um rival como sempre existiu, pq
    se ele for lider sozinho séra uma burrada terrivel..

  21. protagonist disse:

    Hum… já ví esse filme antes, já falei o que penso dele e sei como vai acabar, então só vou falar para ter paciência e esperar para ver como Tauron vai realmente se tornar líder (enquanto não for publicado em algum livro, não terá acontecido oficialmente) antes de condenar.

  22. Salem.noiR disse:

    Eu discordo da parte de Tauron se tornar um “Deus dos Elfos”, não existe mais um deus maior dos elfos, existe uma deusa menor dos elfos E escravos, Glórien. Os elfos são des da queda de Lenórien uma raça sem fé, e é muito improvavel que so por que a deusa dos elfos caiu eles vão se aproximar de Tauron, seria mais provavel se aprocimarem de Wynna, Tenebra e Allihanna, talvez deuses de ira como Keen, mas é bem improvavel que se aproximem logo do deus que escravisou sua ex-deusa OU que tenha se aliado com a deusa que os traiu. Sobre a queda de Norm, realmente, a queda pode ter feito o poder de Khalmyr diminuir, mas lembre-se que depois os cavaleiros que sobraram, junto com o Exercito do Reinado contra atacaram o exercito da tormenta, e norm foi reerguida(lembrando que a Ordem da Luz é uma ordem de cavalaria mais politica, se fosse a ordem de Khalmyr, que tem um fundo mais religioso, seria uma queda maior. Keen não deve ter ajudado Arsenal, por não ser do feitio de nenhum dos dois, até por que o passo seguinte de Arsenal seria tentar conquistar o lugar de Keen, por isso que ele manteve a Holy Avanger escondida. Mas sim, com certeza Tauron tentou tomar o comando do panteão, mas o que tem que se perceber é que o motivo mais claro pra essa tentativa é que o panteão estava, e ainda esta, desequilibrado, de forma que esse era o momento perfeito pro bovino(desculpa a piada) resolver tomar as rédias(trocadalho não intencional) do panteão pra colocar ordem na casa. Dai vemos que as Guerras Tauricas são talvez um reflexo da atitude de seu deus. Sim, possivel que no momento ele esteja tomando conta do panteão, mas as guerras tauricas ainda não acabaram, talvez tenhamos alguma reviravolta.
    Sobre o “Aliança Negra”, por mais que saibamos que tormenta tem uma tendencia a vitoria de vilões, mas Ragnar não seria pareo para Tauron, ou mesmo Khalmyr. Aliança Negra vai ser um grande evento, mas ainda temos muitas coisas para acontecerem, e enquanto o panteão não estiver equilibrado novamente não saberemos se algum dos deuses que esta na “dianteira”(talvez por ser bovino o Tauron tivesse uma vantagem) sera o lider, e dependendo de quem “subir”(a não ser que você concidere que Kallyadranoch subiu no fim de O Terceiro Deus) a situação do panteão estará ainda mais caotica.
    Bizarro.

  23. odair José disse:

    Gostaria de saber se Mestre Arsenal Morreu , porque vi um spoiler dumna nova lista de sumo sacerdotes que tinha dos que já foram sacerdotes, e que morreram e o Mestre arsenal estava incluido nessa parte e tinha um nome de uma mulher nela , mas não lenbro o nome dela….se alguém souber responde no meu orkut
    http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=8527209876937300235

  24. AC disse:

    Khalmyr pode também. Vocês esquecem. Ter deixado Tauron ser o Líder do Panteão. Pois uma batalha contra o deus da força talvez o exaurice. E Vencendodo ou ganhando. Abriria espaço para deuses desonestos como Szass ataca-lo enquanto ele se recompunha. Afinal de contas Szass deu seus pulinhos para ajudar Tauron a se postar como candidato a Líder do Panteão. Eu me lembro bem que uma sombra negra se uniu a Arsenal muitos anos antes. E juntos, contrataram o Grupo do Mal, para atacar uma caravana que levava o próprio Princeps Aurakas e sua comitiva para uma discursão de tratados de aliança com Deheon e Doherinm. Fazendo assim com que Tapista se inclinasse negativamente para com Deheon ao menos. E dando mais um de muitos empurrõzinhos para o que ficou conhecido como as Guerras Tauricas. É apenas minha opinião. Mas acho que Khalmyr sabia que havia feito alguma jogada errada, que a única maneira de sair perdendo menos era apenas deixar Tauron fazer o que quisesse. O deus da justiça perdeu influência, mas não perdeu a guerra… E é provável que O Corruptor também tenha previsto isso. E tudo caminha para o momento culminante da guerra secreta os deuses. Mas é só minha opinião com poucos fundamentos, alguns dos quais nem sei se são oficiais. Então não defendo nada disso, mas acho interessante por na mesa.

  25. AC disse:

    Isso é o que eu chamo de Szascentrismo, uma teoria que põe Szass como centro de tudo que ocorre dentro do universo de Tormenta RPG. Como se tudo se resumisse a Khalmy lutando contra Szass no fim das contas. E o resto é detalhes , muitos e muitos detalhes intrincadamente complexos. Não sei se será assim no final. Mas tenho certeza de que aomenos os autores pensaram nessa possibilidade. Afinal em Tormenta os autores pensam no desfeixo primeiramente para apenas depois ir descrevendo como se deu tal acontecimento. Afinal assim é mais fáci de montar a trama. Mas nada que garanta tal pensamento. Apenas conjecturas pouco prováveis.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: