A Fênix!

Esse é um post da INICIATIVA GURPS! Esses posts são sempre conjuntos, temáticos e periódicos. Assim, de 15 em 15 dias, você pode conferir a visão de vários autores sobre um mesmo assunto.

O tema desta edição da INICIATIVA GURPS é Criaturas Míticas!

A Fênix é um pássaro sagrado de fogo da antiga mitologia Fenícia.
Uma ave bonita e de plumagem avermelhada-dourada. Sua expectativa de vida varia de 500 a 1400 anos. Apesar da variação, ela conhece de antemão a hora de sua morte e, no final do seu ciclo de vida, a Fênix constrói um ninho com galhos de canela e folhas de palmeira.

Em meio a essas folhas do seu ninho, a Fênix entoa tristes melodias, e cada nota lamentosa que emite é uma evidência de sua alma imaculada. Enquanto canta, a amarga dor da morte penetra seu íntimo e ela treme como uma folha.
Todos os pássaros e animais são atraídos por seu canto, que soa agora como as trombetas do Último Dia.
Todos aproximam-se para assistir o espetáculo de sua morte, e, por seu exemplo, cada um deles determina-se a deixar o mundo para trás e resigna-se a morrer. De fato, nesse dia um grande número de animais morre com o coração ensanguentado diante da Fênix, por causa da tristeza de que a veem presa.

É um dia extraordinário: alguns soluçam em simpatia, outros perdem os sentidos, outros ainda morrem ao ouvir seu lamento apaixonado. Quando lhe resta apenas um sopro de vida, a Fênix bate suas asas e agita suas plumas, e deste movimento produz-se um fogo que transforma seu estado. Este fogo espalha-se rapidamente para folhagens e madeira, que ardem agradavelmente. Em breve, ninho e pássaro tornam-se brasas vivas, e então cinzas.
No entanto, quando a pira foi consumida e a última centelha se extingue, uma pequena Fênix desperta do leito de cinzas.
Em algumas histórias, a nova Fênix embalsama as cinzas da antiga Fênix em um ovo feito de mirra e deposita na cidade egípcia de Heliópolis ( “a cidade do sol” em grego). A ave é também conhecida por se regenerar quando ferida por um inimigo, sendo quase imortal e invencível – um símbolo do fogo e da divindade.
A Fênix tem o poder de convocar conflagração em torno dela, além de sua capacidade milagrosa para curar por meio das lágrimas. É um símbolo de destruição feroz pelo fogo, seguido de renascimento glorioso.
Outra característica da Fênix é sua força que a faz transportar em vôo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar até elefantes.
Apesar da imensa força, o seu tamanho é aproximadamente o de uma águia.
A encantadora fênix tem um bico extraordinariamente longo e muito duro, perfurado com uma centena de orifícios, como uma flauta. Não tem fêmea, vive isolada e seu reinado é absoluto.
Cada abertura em seu bico produz um som diferente, e cada um desses sons revela um segredo particular, sutil e profundo. Quando ela faz ouvir essas notas plangentes, os pássaros e os peixes agitam-se, as bestas mais ferozes entram em êxtase; depois todos silenciam.
Foi desse canto que um sábio aprendeu a ciência da música.

História
Embora as descrições (e tempo de vida) variem, o Fênix se tornou popular na arte cristã primitiva, literatura e simbolismo cristão, como um símbolo de Cristo, representando sua ressurreição, imortalidade e vida após a morte.
Originalmente, o Fênix foi identificada pelos egípcios como uma cegonha ou um tipo de garça chamado “benu”, conhecido desde o Livro dos Mortos e outros textos egípcios como um dos símbolos sagrados de culto em Heliópolis, intimamente associado com o sol nascendo e a Rá, o deus-sol egípcio.
Origens do mito
Os gregos adaptaram o benu (e também assumiu o seu significado mais egípcio), e o identificaram com sua própria palavra Fênix, significando a cor vermelho-púrpura ou carmesim. Eles e os romanos posteriormente retrataram a ave mais como um pavão ou uma águia. De acordo com os gregos, a Fênix vivia na Arábia ao lado de uma fonte. Durante as madrugadas, ela tomava banho na água da fonte, e o deus-sol Apolo parava o seu carro (o sol) para que pudesse ouvir a sua música.
Uma inspiração que tem sido sugerida para a Fênix egípcia seria o flamingo da África Oriental. Os ninhos dessas aves ficariam muito quentes sobre o solo, e seria muito difícil que seus filhotes sobrevivessem, assim, elas criam um monte com vários centímetros de altura e grande o suficiente para apoiar o seu ovo, em uma altura relativamente mais fresca. As correntes de convecção em torno destes montes se assemelham a turbulência de uma chama.
No folclore judaico, diz-se que a Fênix foi o único animal a não se juntar a Adão em sua expulsão do Jardim do Éden.

Estatísticas
ST 21 (Lifting ST+20)
DX 14
IQ 5
HT 16
Dano: 2D-1 (bico ou garras, cortantes),
Vontade 12
Percepção 12
Velocidade 24 (no ar), 2 (no chão)
Esquiva 9
Briga 16
Regeneração 10HP/Segundo
Hard to Kill + 5
Corpo flamejante – causa dano de 2D em combate corpo-a-corpo, 1D se o oponente estiver em um hexágono adjacente
Imune a doenças e gases venenosos
Além disso, suas lágrimas tem o poder da cura. Cada gota pode regenerar 1D de dano, além de neutralizar venenos no organismo do efermo. Além disso, dá um bônus de +5 nos testes de recuperação de doenças (esse último bônus não se acumula no caso de uso de uma maior quantidade de lágrimas).

Você pode gostar...

7 Resultados

  1. Fernando del Angeles disse:

    Po… roubou minha ideia….rsrsr
    Gostei… muita coisa que vc escreveu q eu nao sabia…
    porém achei suas estatisticas ligeiramente fracas… eu colocaria recuperação a 10hp/se… e talvez aumentasse um pouco seus atributos… usaria uma fenix mais bombada
    abração alexandre

  2. Alexandre disse:

    😯 Tu tava escrevendo sobre a fênix?!
    Caceta!!! Desculpa, cara!

  3. Fernando del Angeles disse:

    sem erro, nao tinha nada escrito… so ideias no ar…
    mas sinceramente… eu achava q uma fenix ganharia de um grifo na porrada… a fenix devia tomar umas bombas… rsrs

  4. Alexandre disse:

    Ela é menorzinha…
    Aceitei a idéia de regeneração mais rápida. Realmente faz sentido.
    Apesar dela ter um pouco menos de força que o grifo, agora ela dá mais trabalho (lembrando que só de atacá-la, já se recebe 2D de dano pelo fogo).

  5. fernando del angeles disse:

    pois é….tens razão… com a regeneração a 10hp ela fica apelona demais…é quase o wolverine…rsrs

  6. Bruno disse:

    é exatamente o contrario, a fenix deveria perder hp/tempo, poderia ser por dia ou por semana na razao de 1/dia, ate chegar a -HT e morrer virando cinzas de depois de um tempo retornando a Fenix com HP cheio

  7. Alexandre disse:

    Fala, Bruno!
    O problema dessa mecânica é que a Fênix vive séculos!
    Um vampiro pode funcionar assim porque perde HP/dia. Além de forçar o PC a sair atrás de presas.
    No caso da fênix, esse seria apenas um controle a mais para o mestre se preocupar, com pouca relevância no jogo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: