Meme: Top 10 Livros de D&D 3.5 by WotC

No meio do meu período sabático de RPG (então, desculpe a demora), fui recrutado ao meme proposto pelo Rocha sobre meu “Top 10 Livros de D&D 3.5”.
Eu assumo que meu negócio é jogar GURPS e acabei caindo em uma enrascada, muito parecido com o que aconteceu com o Ooze.
Mesmo assim, alguns livros da 3.5 foram importantes na minha mesa de jogo porque nem sempre (ou melhor, quase nunca) dá pra encontrar jogadores de GURPS por aí.
Os livros da minha lista estão lá por motivos completamente egoístas.
Não tem nada a ver com “arte”, “textos magníficos” ou “regras elegantes”. Eles estão lá porque precisei deles em meus personagens e campanhas, ou porque achei bacanas (então, pense 905 vezes antes de usar a lista como um referencial de compra).
Aliás, cheguei a perceber que meus livros prediletos são os que contém mais elementos descritivos, ao invés de regras opcionais. Analisando um pouco, acho que isso se dá exatamente por meu sistema de regras preferido ser diferente do d20.
Então lá vai. Se eu caísse em uma ilha deserta, para sobreviver eu precisaria:
Dragonlance: War of the Lance
Meu cenário preferido, em sua melhor época. É o bem versus o mal, com feitos épicos em um cenário de alta fantasia. Tudo de bom.
Como disse antes, a ambientação vem em primeiro lugar porque, com pouca adaptação, você joga em qualquer sistema, incluindo o de Aventuras Fantásticas.
No entanto, para quem joga d20, a aquisição desse suplemento pode ser frustrante, já que as descrições principais de classes e raças vêm no…
Dragonlance: Cenário de Campanha
Acabei de escrever que era meu cenário preferido. Mas como isso ainda é uma lista sobre o D&D, esse suplemento é essencial para jogar com as regras e classes da ambientação. Também é importante para se fazer algumas adaptações (como a reconstrução da raça kender, ou entender a classe de cavaleiros, p.ex).
Como é importante para mim, mas não essencial, ele vem na segunda posição.
Draconomicon
Porque é sobre dragões. Aliás, aos engraçadinhos que ADORAM meter pau no GURPS dizendo que ele tem regras de cavar buraco, vocês sabiam que os dragões podem cavar para se locomoverem por baixo da terra? Pois é… Página 21. O material descritivo é muito legal, apesar de eu não gostar do design dos dragões bons (muito orientais para o meu gosto). Esse livro é uma unanimidade.
Deities and Demigods
Como mestre, minhas campanhas prediletas envolvem o divino, a intervenção dos deuses e de seus arautos. Ler mais sobre as Igrejas (especialmente de Bahamut e Tiamat) me fez entender um pouco mais sobre alguns eventos na minha ambientação favorita, além de dar muitas idéias de personagens e vilões.
Sword and fist/Complete warrior
O Espadas e Punhos foi o primeiro suplemento que adquiri (eu já tinha o Dragonlance da 2E). Ele me foi especialmente importante porque deu mais opções/poder ao meu monge predileto, o monge estilo “street fighter”, além de trazer o Swashbuckler. O Complete Warrior veio depois, ocupando seu lugar.
Complete Adventurer/Scoundrel
Apesar de serem 2 livros diferentes, vêm na mesma posição porque eu preciso dos dois para construir outro tipo de personagem que eu gosto:
O “espadachim safadão”.
Meio guerreiro, meio ladrão. Um sobrevivente.
Por isso, o livro Song and Silence foi minha aquisição seguinte ao Sword and Fist.
Com o tempo, o Complete Adventurer (com o Ninja e o Scout!) e o Complete Scoundrel o substituíram muito bem. O Adventurer sai um pouco na frente, já que é mais genérico que o outro.
Slayer´s guide to: X
Não são da WotC, mas da Moongoose Publishing. Então, não vou contar no limite.
Encontrei essa coleção completamente por acaso e me espantei. O material descreve um monte de criaturas fantásticas de forma muito rica, incluindo orcs, goblins, dragões, mortos-vivos, etc, sendo cada livro dedicado a uma espécie de monstro.
Dava pra enrolar o meme um pouco mais, citando outros livros. Players 2, Complete Arcane (mas eu não gosto de jogar com magos), Níveis Épicos, Manual dos Monstros 57 mas, sinceramente?
Eu não gastaria espaço na minha mochila de sobrevivência com outros livros. Gastaria com:

  1. GURPS Characters
  2. GURPS Magic
  3. GURPS Campaings

Exatamente nessa ordem.
7 livros mais 4 trapaceados, dá 11 (quase 10)… Será que passei de ano?

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Armageddon disse:

    ehuheueh eu ainda to devendo também essa lista =D

  2. Cobbi disse:

    7 livros mais 4 trapaceados, dá 11 (quase 10)… Será que passei de ano?

    Olá Alexandre, 🙂
    Lá nos primórdios da minha vida RPGística, o primeiro manual de regras de “RPG de verdade” ao qual eu fui apresentado foi o MB (capa preta, cabeção roxo, 2ª ed suponho eu).
    Li de capa a capa, incluindo as caixas laterais (como era bom ter tempo livre, rs) e com o tempo acabei conhecendo e sendo completamente seduzido pelo D&D. Cheguei a misturar tudo e aproveitar ambientações de D&D em jogos de GURPS e vice e versa (minha campanha de Conan em AD&D foi fenomenal).
    Dadas essas minhas misturebas “sistema X + ambientação Y” eu acho que seu kit de sobrevivência metza d20, metza SJ é válido sim!
    Aliás, até hoje eu sinto que rola uma forte influência da minha “formação” no jeito que eu jogo D&D. Na 4E então, nem se fala…

  3. Rocha disse:

    Passou de ano sim! Um dia destes podemos fazer um Kit de Sobrevivência de GURPS 3ª Edição, ai sim eu ia tirar meus livros empoeirados e queridos do armário!
    Mas seus eleitos de Dungeons & Dragons estão ótimos também! Draconomicon, e os Completes estariam na minha mochila com certeza. Só os livros de Dragonlance que eu usaria como abridores de coco na ilha : )

  4. Alexandre disse:

    Hahaha! Quem quiser, pode usar pra fazer fogo também (ou se limpar…sei lá).
    Outras idéias em “Survivor man” e “A prova de tudo”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: