Dicas do que está por vir

O Bruno Cobbi, tradutor da Devir, postou na lista de discussão da RedeRPG as conclusões às quais chegou após ler o artigo com um pequeno preview sobre os dragões da nova edição e seu funcionamento na 4E.

Pra quem (assim como eu) está afoito pelo gostinho da 4E, a Wizards postou mais um tópico na coluna Design & Development do no seu novo site DnDinsider.com. Essa coluna traz as novidades sobre a 4E com previews exclusivos. Essa inserção traz um exemplo de como será um combate contra um dragão antigo na 4ª edição:

http://www.wizards.com/default.asp?x=dnd/drdd/20070822a
Ao acessar vai surgir uma mensagem de erro, pois é preciso estar “logado” para ter acesso ao conteúdo exclusivo. Basta clicar em preencher o formulário para ter sua senha ou entrar como “Convidado”.
Pra quem não entende inglês (mas mesmo assim está afoito por novidades fresquinhas), dá pra dizer que o artigo traz algumas dicas:
1. Ainda existe um valor de CA (ao contrário do Star Wars Saga, que aboliu o Defense Score) e ele ainda conta crescente (quanto maior melhor, diferente da Primeira e Segunda Edição do D&D).
2. Dragões tem papéis mais definidos dentro de suas próprias categorias (os cromáticos são diferentes dos metálicos) e entre suas cores e categorias de idade (com os mais velhos sendo mais fortes). Eles estão prometendo essa caracterização de papéis pra todos os monstros.
3. Mesmo quando o guerreiro usou uma Investida contra um dragão antigo (que teoricamente é bem grande e tem alcance) ou quando o ladino se esgueirou pelas costas dele, ataques de oportunidade não foram citados, levantando suspeitas que essa regra tenha sido abolida.
4. Quando o dragão teve seus PVs reduzidos a menos da metade, teve oportunidade de usar seu sopro novamente (na mesma rodada) como uma ação imediata. Quando um personagem o cercou para flanqueá-lo, ele teria a mesma oprtunidade de usar uma ação imediata para fazer um ataque com a cauda. Seriam essas as dicas das novas regras que vão substituir os ataques de oportunidade (se é que isso vai acontecer)?
5. Quando o mago usou uma magia contra a qual o dragão normalmente teria vulnerabilidade (frio contra monstro subtipo fogo), ele não sofreu o dobro de dano, mas o dano da magia tinha chance de deixá-lo lento.
6. Na vez do clérigo, ele conseguiu um sucesso decisivo com sua arma e, de lambuja, deu uma recarga de cura noutro personagem do grupo, como se isso fosse uma recompensa pelo bom resultado no dado. Ness aparte, ninguém falou das “rolagens para confirmar crítico”. Tomara que elas tenham ido pro ralo. É empolgante poder gritar que nem louco quando o dado rola 20 natural!
7. Fora isso tiveram mais algumas pequenas dicas, como ataques físicos (garras) de bichos grandes empurrando personagens automaticamente, uso de habilidades sobrenaturais (como sopro) ou extraordinárias (como o ataque de cauda) em ações livres (sim, LIVRES! O_o), e habilidades especiais que permitem fazer outra ação padrão na mesma rodada.
b.Cobbi
[Chega logo, Maio de 2008! =] ]

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: