Concurso Alphaversos 2018: Conheça os mini-cenários dos participantes! (Parte 1)

O carnaval acabou, mas o Concurso Alphaversos continua! Foram 23 mini-cenários para 3D&T Alpha inscritos. Tantos que tivemos que dividir a apresentação em duas partes! Conheçam os 12 primeiros participantes […]

O carnaval acabou, mas o Concurso Alphaversos continua! Foram 23 mini-cenários para 3D&T Alpha inscritos. Tantos que tivemos que dividir a apresentação em duas partes! Conheçam os 12 primeiros participantes inscritos e escolham seus favoritos!


Os concorrente estão listados na ordem em que sua inscrição foi recebida. Os manuscritos recebidos (todos convertidos em PDF) estão numa pasta do Google Drive, e podem ser acessados clicando no título de cada mini-cenário.

Os nossos quatro jurados do “Choque de 3D&T” já começaram a trabalhar, e em breve estaremos publicando os cenários e suas avaliações por aqui. São muitos os concorrentes para avaliarmos, e como havíamos mencionado anteriormente, não temos um prazo acertado, mas esperamos concluir até a Páscoa.

Amanhã publicaremos a Parte 2 com os 11 concorrentes finais.

01. Reino do Caos

Autor: Yuri Feltrim – Piracicaba, SP

Resumo: O cenário propõe uma guerra por um país, entre 4 facções , uma invasora que usou um exército de construtos, os antigos donos do território invadido, que buscam poder da natural para revidar, e 2 núcleos urbanos, um de pessoas comuns revidando e outro de magos, em um mundo onde a magia é sombria e maligna, muita guerra e caos, é o que cerca o cenário, contando com 4 núcleos no mesmo universo, com maneiras de jogar diferente, mas que de certa forma se combinam e se completam.

Temas: construtos, distopia, disputa de territórios.

02. Hangyaku no Kiba

Autor: Jairo “Oriaj” Orozco & Renan “UnbornHexa” Orozco – Guarujá, SP.

Resumo: Há muito tempo os deuses criaram a terra de Yamato e seus habitantes, deixando para eles duas raças de guardiões: os harmoniosos Kami responsáveis por manter o balanço nas terras; e os Ryüshin, bestas poderosas com a função de proteger essa terra de qualquer ameaça externa. Ao longo das Eras os Ryüshin perderam-se de seu propósito se tornando avarentos e sedentos por controle e poder. Eles começaram sua conquista das terras de Yamato. Se opuseram a eles os Kami e os povos livres, mas houveram aqueles que se aliaram aos Ryüshin. A guerra culminou na derrota dos Kami, fazendo com que o culto a eles fosse perscrutado e o culto aos Ryüshin mandatório. Mas uma nova esperança surge no horizonte.

Temas: construtos, distopia, japão feudal.

03. Na Sombra de Babel

Autor: Petras Furtado – Parnamirim, RN.

Resumo: Em algum lugar do Século XXII, após o fim da civilização como a conhecemos com o esgotamento das reservas de combustíveis fósseis e cataclismas ambientais, a humanidade lentamente começa a se reerguer e uma união de corporações e cientistas sobreviventes cria um novo modelo para a humanidade, a cidade-estado de Babel. Construída no meio do oceano índico e administrada por uma trindade de inteligências artificiais, ela tem a oposição da última das grandes corporações do século XXI e de uma aliança de nações emergentes do sul da Ásia. Além de problemas com terroristas e espiões industriais, Babel também tem que lidar com alterações na realidade causadas pela união das I.A.s em um estado de consciência digital que transcende a matéria.

Temas: distopia, construtos, traição.

04. Afro-Rangers

Autor: Raphael Lima – Natal, RN.

Resumo: Após um apocalipse nuclear que devastou o nosso mundo em meados do século XXII, apenas os Iorubanos no planalto africano sobreviveram, isso graças a uma profecia que levou o povo a migrar para o centro do continente, e se abrigar em uma cidade milenar no planalto de Darfur. Passados cem anos, as condições climáticas do planeta foram alteradas, e a radiação causou algumas mutações nos iorubanos – e nos animais – que viriam a nascer após o cataclisma. O mundo anterior era dominado pela tecnologia, e uma IA sobrevivente parece ser o grande entrave no desenvolvimento da humanidade. A cidade milenar oferece proteção, mas os demais itens necessários à sobrevivência, os jovens mutantes iorubanos devem ir buscar nos territórios desconhecidos.

Temas: disputa de território, construtos e sobrevivência.

05. Lua de Ferrugem

Autor: Thales “The Ga” Barreto – Rio de Janeiro, RJ.

Resumo: No futuro distante, em um lixão lunar, robôs defeituosos tentam sobreviver usando a sucata despejada de tempos em tempos. Nesse lugar sem esperança, muitos farão qualquer coisa pela próxima peça. Sendo um lugar conveniente para se livrar de todo tipo de “lixo”, pessoas inconvenientes também acabam despejadas aqui. Os mais esperançosos buscam maneiras de escapar, mas a maioria tenta apenas sobreviver mais um dia.

Temas: construtos, sobrevivência, distopia.

06. Yousei

Autor: Cristiano “Leishmaniose” DeLira – Natal, RN.

Resumo: A Floresta Hinoki é o lar dos Yousei, criaturas mágicas com nove centímetros de altura, forma humanoide com traços de animais e que podem se metamorfosear em pequenos roedores ou pássaros. Eles viviam tranquilamente no vale até a chegada da Amico, uma companhia alquimista, que passou secretamente a caçá-los e matá-los para produção de ingredientes para itens mágicos. Publicamente, ela alega estar fazendo pesquisas com o solo do vale, enquanto tentam obter o direito de explorar a floresta. Sem auxílio externo, os Yousei se organizaram para se opor às ações predatórias da empresa, realizando missões de resgate, sabotagem e confrontos contra os golens e funcionários, enquanto procuram dar um fim nela e proteger definitivamente a Floresta e o seu povo.

Temas: construtos, japão feudal, sobrevivência.

07. Reino dos Mortos

Autor: Padre Judas – Belo Horizonte, MG.

Resumo: um mundo apocalíptico tomado por zumbis em que a Humanidade divide espaço com outras duas novas raças mortas-vivas. Os sobreviventes se dividem em distintas organizações que lutam entre si e internamente.

Temas: distopia, disputa de território, sobrevivência.

08. NEXUS

Autor: Luis Carlos Remus – Curitiba, PR.

Resumo: NEXUS é uma grande metrópole em um bolsão dimensional na “encruzilhada” do Multiverso (no qual Arton também pertence). É uma proposta de cenário parecida com as cidades de Sigil (de Planescape) e de União (do D&D Livro dos Níveis Épicos); com vários elementos dos gêneros Fantasia Urbana, Tecnofantasy e Cyberpunk. Uma cidade extremamente mercantil, sendo uma distopia “corporativista” onde várias guildas competem entre si disputando territórios (e lucros), e com uma quantidade realmente numerosa de construtos. O bastante para iniciar, sediar, e concluir grandes aventuras e campanhas (principalmente aquelas que envolvam viagens dimensionais), cheias de possibilidades virtualmente infinitas.

Temas: distopia, disputa de território, construtos.

09. Tocados pelo Terror

Autor: Gilberto “Joka” Olimpio – Natal, RN.

Resumo: Os Pesadelos tomaram conta do mundo, destruindo a civilização como a conhecemos. Centenas de milhares de pessoas sucumbiram à loucura ou perderam a vida devido aos seus mais nefastos pensamentos e desejos. Cabe a vocês, os Tocados, detentores de poderes originados dos próprios monstros que enfrentam e os únicos capazes de entrar em uma Zona de Terror e voltarem sãos, retomarem as terras que a humanidade perdeu antes que a essência maligna que os habitam os transformem em Pesadelos.

Temas: sobrevivência, distopia, disputa de território.

10. Akutoku

Autor: Lucas Conti – Volta Redonda, RJ.

Resumo: O mundo acabou. Bem punk, não acha garoto? Claro, o planeta terra ainda existe, mas tente achar alguém lá fora que não o mataria por um gole de água suja. Veja bem, algumas coisas impedem os homens de enlouquecer; Por isso tentamos ao máximo  nos apegar as antigas tradições. Se for um covarde pode ir se esconder nas sombras como aqueles ninjas; se for um sonhador que acredita que ainda há alguma paz  pode ir se juntar com os monges. Se for realmente um guerreiro que luta pra sobreviver, pegue uma espada que lhe ensino tudo que há para aprender sobre o bushido.

Temas: sobrevivência, japão feudal, disputa de território, distopia.

11. Planeta “Desmonte”

Autor: Wefferson David – Barra de São Francisco, ES.

Resumo: Após anos de superpopulação e abusos, a Terra finalmente cedeu, tornando-se um planeta praticamente sem recursos. A humanidade agora busca novas formas de subsistência, começando a construir no espaço novos lugares para sua habitação enquanto altera seus corpos para sobreviver em seu planeta natal, que a cada dia está mais hostil. Um mini-cenário cyberpunk.

Temas: distopia, construtos e sobrevivência.

12. 2046 — Contagem Final para Autômatos

Autor: Breno Rocha – Petrópolis, RJ.

Resumo: Ano 2046. O mundo é controlado por mega corporações e a inteligência artificial está por toda parte. Nesse mundo, robôs autômatos são perseguidos por inteligências artificiais de alcance global, enquanto humanos lutam para sobreviver à margem de uma sociedade que cada vez menos lhes pertence. Você é capaz de sobreviver nesse mundo?

Temas: distopia, construtos, sobrevivência.


A imagem usada nesse artigo pertence a Wizards of the Coast (ilustração da carta de Magic: Time Reversal)

 

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.