Resenha: Seiun wo Kakeru

Capa do primeiro volume da light novel de Seiun wo Kakeru

Capa do primeiro volume da light novel de Seiun wo Kakeru


De volta com mais uma resenha de light novel japonesa para vocês! Dessa vez falaremos sobre Seiun wo Kakeru (algo como “galáxia em movimento” de acordo com meu japonês meia boca), uma peculiar light novel japonesa cujo foco não está em heróis, superpoderes, sobrenatural ou qualquer coisa que você esperaria ver de uma história vinda da terra do sol nascente.
A história de Seiun wo Kakeru gira em torno de Eiji, que acordou sem memórias um dia próximo a um vilarejo que parece estar ainda na idade do bronze. Apesar de não lembrar muito sobre si mesmo além do próprio nome, Eiji ainda mantém conhecimentos sobre tecnologias muito além daquelas presentes no vilarejo. Aparentemente, algo aconteceu e ele, um ferreiro artesanal do Japão moderno, foi transportado através do tempo para algum lugar no distante passado da humanidade.
Ao contrário de muitas das light novels japonesas, Seiun wo Kakeru não possui praticamente nenhuma referência ao sobrenatural além da situação inicial de viagem no tempo. E mesmo esta é questionável. Afinal de contas, será que o personagem principal realmente foi levado para o passado ou será que ele está perdido em algum lugar muito longe da civilização em nosso próprio mundo? Essa dúvida permanece através dos primeiros cinco volumes de Seiun a que tive acesso, e não parece que vai ser respondida tão logo nesta história. Especialmente porque o personagem principal não parece estar interessado em retornar para o Japão moderno.
“Por quê ele não gostaria de retornar?”, você deve estar se perguntando. A resposta tem a ver com a situação atual de muitas tradições japonesas que não encontram lugar na sociedade atual e estão enfrentando uma lenta decadência e só conseguem enxergar suas mortes para o futuro. Eiji é um ferreiro artesanal, vindo de uma família japonesa com séculos de tradição no ramo. Seus antepassados criavam katanas para os samurais, e então quando os samurais morreram eles passaram a criar ferramentas de metal por encomenda. Mas numa sociedade onde você pode encontrar ferramentas de metal facilmente numa loja de ferragens suprida por grandes empresas que produzem essas ferramentas a preços baixos devido a escala industrial, quanto tempo pode uma família de artesãos como a de Eiji sobreviver?
Muitas das histórias das light novels japonesas são fantasias destinadas a aliviar o stress do leitor que vive em uma sociedade extremamente conservadora e exigente. O estudante que é pressionado pela família e pela sociedade a dar o melhor de si na escola ao mesmo tempo que sabe que seu destino após a escola é virar um salaryman desimportante (um escravo corporativo, na visão japonesa), pode relaxar lendo uma light novel onde um estudante é invocado por magia para outro mundo onde ele pode ser um herói, alguém realmente importante e não mais uma peça numa máquina corporativa.
Seiun wo Kakeru tem o mesmo objetivo, só que em vez do estudante que sonha em ser importante, ela é uma light novel voltada para os praticantes de atividades tradicionais e artesanais que irão ler uma história onde eles podem imaginar-se em um mundo onde o seu trabalho é relevante para a sociedade e o futuro da arte que cultivam é diferente do esquecimento.
Mas para além desse papel, quão boa é a história de Seiun? Muito, muito boa. Especialmente quando comparado ao padrão adolescente de outras light novels. Romance, por exemplo. Como é voltada para um público adulto, nenhum dos clichês de histórias românticas japonesas voltadas para adolescentes se aplica aqui. Nada de haréns, nada de situações de comédias românticas e nada de protagonista denso que não percebe os sentimentos da heroína (ou é covarde demais para fazer algo quando percebe). Eiji é um homem adulto, e como homem adulto quando ele se interessa por uma mulher, ele se casa com ela e eles formam uma família. Quando uma nova mulher se aproxima de Eiji em determinado ponto da história, isso gera uma crise no casamento, não um novo membro para o harém como aconteceria em outras histórias para adolescentes.
Essa maturidade não está só na vida romântica do personagem principal, mas em tudo aquilo que acontece na história. O estabelecimento de acordos comerciais, a negociação com o coletor de impostos (quantas vezes você já viu uma conversa com o leão do imposto de renda ser uma parte emocionante de uma história?), as relações políticas do vilarejo com o tirano que conquistou a região, entre outras coisas que só normalmente não ocorrem nas demais light novels disponíveis no mercado. Tudo isso faz de Seiun wo Kakeru uma das melhores light novels presentes no mercado, e uma das minhas preferidas.
Seiun wo Kakeru pode ser encontrada na sua versão web novel no original japonês ou traduzida para o inglês pelo blog Koreyorihachidori.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Tio Lipe disse:

    Olá!
    É sempre bom ver uma resenha bacana sobre uma história diferente como essa. Obrigado pela dica de leitura.
    Até and Bye…

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: