D&D cai novamente para a terceira posição entre os mais vendidos

Depois de dominar o mercado de RPG durante décadas desde que fundou o mercado de RPG em 1974, Dungeons and Dragons perdeu a coroa para Pathfinder que a partir do segundo semestre de 2011 tem mantido a primeira colocação em vendas nos Estados Unidos desde então, uma tendência que se consolidou ainda mais depois do anúncio do desenvolvimento da 5ª edição.
Com as notícias sobre o playtest do D&D Next desanimando muitos jogadores, o gigante e pioneiro D&D ensaiou uma nova queda de posições no último semestre de 2012, caindo da segunda para a terceira posição, enquanto o novo RPG de Star Wars, da Fantasy Flight Games, ironicamente, já que se trata do segundo jogo do qual a Wizards tinha controle que lhe roubou as vendas (Pathfinder é uma versão de D&D 3.5 baseada na OGL), lhe tomou o lugar.
D&D recuperou-se no trimestre seguinte e retomou o segundo lugar, apenas para perder novamente a colocação para Star Wars no ranking divulgado hoje pela manhã pelo ICv2. O novo ranking aponta para a seguinte ordem de mais vendidos nos EUA: 1º Pathfinder; 2º Star Wars; 3º D&D; 4º Iron Kingdoms; 5º FATE Core System;
Se a tendência continuar e o lançamento da 5ª edição demorar demais podemos ver algo ainda mais inédito para D&D no mercado de RPG: a irrelevância.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Bob Nerd disse:

    Torcendo para ele ir para o 5º lugar.

  2. dmoraisjr disse:

    Velho… um tanto sensacionalista, mas beleza…
    Seguinte: quais foram os lançamentos da WotC nos últimos tempos? Então, desde o anúncio da 5ª edição que o ritmo de produção da Wizards deu uma acalmada. Não tivemos lançamentos relevantes nos últimos dois anos, é natural perder um pouco do espaço. Ainda mais quando frente a duas concorrentes que estão à toda vapor com seus lançamentos. Mas, escute o que eu estou dizendo, amigo, 2014 será o ano do D&D. É o aniversário de 40 anos do jogo, que vai culminar com o final de The Sundering e o lançamento da 5ª edição, é difícil não imaginar que o D&D vai retomar o mercado no próximo ano.
    E de onde você tirou que o playtest do Next foi mal visto? Velho, pelo contrário… D&D Next é o assunto mais comentado nos blogs de RPG do mundo. Talvez aqui no Brasil não seja a tendencia, mas é o que tem acontecido. E o grau de aprovação é alto. Você já jogou o playtest? É um jogo com um potencial gigantesco de agradar tanto os jogadores old school, como tem feito bastante, quanto os jogadores mais novos.
    E a irrelevância… Primeiro que Pathfinder e retro-clones aleatórios são D&D, então achar que D&D é irrelevante já é absurdo… Mas seguindo seu raciocínio, o que contribuiu para a queda de vendas de D&D foi a licença restritiva da 4ª edição, que deixava pouco espaço para os 3th party publishers. Mas o que provavelmente vai acontecer esse ano é a volta da OGL pela Wizards, talvez um pouco mais restritiva que a original, para não permitir a criação de mais um Pathfinder, mas trazendo de volta os produtos 3pp. Isso é bastante lógico. Tanto que parte do mercado americano de rpg’s já está se movendo nessa direção, com a produção de material para o Next antes mesmo de o anuncio oficial da OGL.
    Com certeza, você sacou que eu sou fã de D&D. E que gostei da 5ª edição, e acho que ela poderia ter um espaço na blogosfera brasileira que, infelizmente, por n motivos, quem gosta de rpgs não está dando. Seja por terem seus próprios sistemas, seja por puro preconceito a respeito do maior brand de rpg do mundo (sim, ainda é o maior, desculpe, Paizo)…
    Enfim, ano que vem, com D&D na primeira colocação, proponho que retornemos nesse post para refletir.
    Abraços

    • Nume Finório disse:

      Que D&D deve se recuperar nas vendas com a 5ª edição é até esperado, quanta recuperação vai rolar é que quero ver.
      Sobre o Next, o que tenho visto com conhecidos é um descrédito pela nova edição e o playtest em geral, mas claro, isto é o que eu mesmo vejo. Meu círculo de amigos, conhecidos e pessoas que sigo nas redes sociais é diferente do seu, que é diferente do Zé e do Pedrinho da padaria, então cada um pode ter uma percepção bastante diferente sobre a mesma coisa. Conheço muitos blogueiros, autores e editores de RPG e portanto me sinto seguro em dizer que o Next não agradou pelo que peguei da atitude deles em relação ao jogo. A validade disso é questionável? É. Mas é por isso que coloquei o post na categoria “opinião”, porque é isto que ele é, além de notícia.
      Sobre irrelevância, deixe-me tentar esclarecer. D&D não vai mudar o mercado com a 5e. Ele fundou o mercado com a 1e; consolidou-se com o aperfeiçoamento da 2e e revolucionou o mercado com a 3e; fez uma proposta audaz, mas que não funcionou, com a 4e. Mas com a 5e eles apenas tentam retomar a liderança do mercado. Essa é a grande “proposta” da 5e. Recuperar o terreno perdido dentro do mercado. E enquanto o desenvolvimento da 5e segue, a quantidade de terreno a ser retomada só aumenta não só com a consolidação do Pathfinder, mas com a chegada de novos desafiantes a hegemonia de D&D. Star Wars, Iron Kingdoms, Numenera, The Strange, Fate Core, entre outros, todos crescem com a ausência do rei. E eu acho que, quando este rei voltar, vai ser só mais um desafiante pela coroa. Sem uma proposta, apenas com a função de retomar vendas, qual a relevância de D&D?

      • dmoraisjr disse:

        Olha, cara, não estou querendo causar encrenca nem nada, estou numa boa falando sobre algo que eu e você gostamos, que é rpg.
        Eu admiro o seu trabalho e não estou mesmo querendo qualquer tipo de encrenca, então me desculpe se fui ríspido de alguma forma.
        Assim, quanto a relevância. Se estamos falando de relevância comercial, como eu acredito que seja o caso, sim, a 5ª edição vai ser relevante. Na ideia de que ela vai vender bastante. ( A Hasbro é uma empresa com um alcance muito grande, acho bastante improvável que o jogo seja um fracasso… até mesmo porque eles conseguiram segurar o mercado durante muito tempo, mesmo trabalhando somente com a 4ª edição…) Daí quanto ao único objetivo do Next ser retomar o mercado… bem, todo produto comercial é primariamente feito para a venda. Provavelmente o que a Paizo queria quando lançou o Pathfinder foi lucro, assim como o que a Hasbro e a Wizards of the Coast querem com o lançamento do D&D 5ªedição.
        Dito isto, na verdade, a verdadeira proposta do D&D Next não seria, através do playtest público e da colheita de opiniões, “criar o jogo que os fãs de D&D querem jogar”?
        Daí entra o fator da relevância ideológica… Hoje, quando nós pensamos em jogar um rpg de fantasia medieval. O nome que vem a nossa cabeça é Pathfinder? Cara,ainda não é assim… D&D ainda é o principal rpg desse estilo e, somando-se suas várias edições e versões, ainda é o mais jogado rpg de nossa época.
        Daí falando de Pathfinder… O que diferencia o pathfinder do D&D? Se você tem um jogo com um sistema bastante parecido com a 3X e temáticas muito semelhantes a da quarta edição? O que diferencia é justamente a OGL e a relação mais próxima que o Pathfinder criou com os produtores e consumidores, através de playtests públicos e políticas mais amigáveis. Enquanto a WotC tentava se isolar do mercado que ela mesma criou, através do D&D Insider. O que muda com essa nova edição do D&D? A provável volta da OGL, uma política de aproximação dos jogadores e produtores e um maior número de publicações, bastante parecido com o que a Paizo faz. Mas porque alguém migraria para a 5ª edição? Apesar das mecânicas serem de mais fácil assimilação, do jogo correr de forma mais tranquila e não ser tão focado em combate quanto os seus predecessores diretos e o Pathfinder(ter uma cara mais old school mesmo), isso não vai fazer pessoas adotarem a 5ª edição definitivamente. Na verdade, tudo depende do suporte que o jogo receber, na forma de material publicado e on-line, produtos 3pp, produtos multimídia, entre outras coisas. E hoje, a Hasbro pode providenciar um suporte muito maior do que a Paizo ou a Fantasy Flight poderiam…
        E só para completar: vamos pegar o número de menções ao D&D NEXT através do HOT GAMES do EN WORLD que mensura as menções em mais de 1000 sites, entre blogs e fóruns, aos diversos rpgs no mercado. E, bem, D&D Next é o líder no número de menções e discussões. Isso quer dizer que o sistema é bom? Não, quer dizer apenas que as pessoas estão falando sobre, estão discutindo, querem saber sobre isso… ou seja, QED, D&D ainda se faz muito importante no mercado.

        • Nume Finório disse:

          Oh, meu querido, nem se preocupa, se todo mundo fosse educado assim, eu dava um beijo em todo RPGista que conhecesse. :*
          Mas voltando a discussão que tá boa. Tu tem bastante fé que a Hasbro vai conseguir vender o Next melhor que as outras empresas vendem seus RPGs. Eu tenho minhas dúvidas, tanto porque enquanto isto o Pathfinder deixou de ser apenas uma versão da 3.5 para se tornar uma marca com miniaturas, cardgame, game vindo aí e um número de suplementos sendo lançados todo mês que faz desafio a Wizards na sua fase áurea, tanto porque há uma diversificação grande acontecendo nos EUA nesse momento com novos jogos tomando grandes proporções (Numenera não apenas conseguiu meio milhão em seu próprio kickstarter, mas virou o tema do próximo Torment com uma arrecadação de mais de 4 milhões, para nem citar o novo kickstarter do The Strange que é ligado ao Numenera, que já conseguiu uns 200 mil faltando um mês pra terminar, e o próprio Fate Core que conseguiu quase meio milhão também).
          Sobre a proposta. Bem, o que você sugere, na verdade, é a falta de proposta. Autores não perguntam o que os leitores querem, eles dizem para os leitores o que eles devem querer, isso é ter uma proposta.
          Sobre Pathfinder, eles estão mais que equipados para serem o principal desafiante, tem um suporte que é espetacular com módulos de aventura, jogo organizado, suplementos o tempo todo, cardgame, miniaturas, jogo de computador, tudo isto faz parte do arsenal da Paizo hoje em dia, desafiando D&D em cada passo do caminho e não apenas como um sistema de RPG, mas como marca.
          Sobre a licença da 5e. Se for algo no estilo da OGL, pode até ter esse efeito que você espera, mas você esquece que fazer isto é desafiar os executivos da Hasbro que justamente são contra qualquer coisa parecida com a OGL que eles enxergam como um grande erro.
          E eu não acho que D&D deixará de ser importante. É o pai do RPG. Ele sempre será importante. Só acho que a 5e, quando chegar, vai ter que fazer o mesmo trabalho que a 3e teve. D&D 3e ressuscitou um D&D moribundo depois da falência da TSR e fez isso ao revolucionar o mercado com a OGL. Eu não acho que a 5e possa fazer o mesmo, daí minha opinião sobre ela acabar sendo irrelevante para o mercado, que cada vez mais dá sinais que está superando D&D.

  3. Rick disse:

    Tem outro motivo pra D&D cair nas vendas. Falta de estoque. Sério, tem um monte de livro de 4th que eu quero comprar mas não acho. Procurei na Amazon, nos vendedores da Amazon, tanto nos EUA como na Europa, tem livro que simplesmente desapareceu do mercado, como por exemplo os Monster Manual 2 e 3. Há algum tempo me toquei de que todo tempo que esperei pela Devir foi em vão, que eles não tem estrutura suficiente pra lançar algo com tanto material (fiquem avisados, fãs de Pathfinder) e agora que consegui separar uma grana pra adquirir os livros mais importantes que não deram as caras por aqui, eles não estão mais à venda. Esgotados. Viraram artigos de colecionador, sendo vendidos à quantias exorbitantes em alguns lugares. Complicado…
    No mais, não gostei do Next, acho que se fosse pra tomar uma decisão dessas, era mais fácil apenas republicar o 3.5 ou fazer um 3.6.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: