PdM – Kenshin Himura

O lendário retalhador Battousai, agora em sua mesa de jogo.
Rurouni Kenshin (ou Samurai X, para os íntimos) marcou muito os fãs de animê na década de 90. A saga do retalhador que busca se redimir de seu passado sangrento começou a ser publicada em 1994, nas páginas da ShounenJUMP. De autoria de Nobuhiro Watsuki (que aliais, foi assistente de Takeshi Obata, desenhista de Death Note), foi transformado em animê em 1996, e chegou ao Brasil em 1999 pela Rede Globo. A transmissão era repleta de cortes, episódios pulados e sem final, mas o animê foi exibido na íntegra pelo Cartoon Network em 2001.
Nesse mesmo ano, a editora JBC publicou o mangá em formato meio-tankobon (metade do número de páginas do original), concluindo em 2003. Em 2012, o mangá voltou às bancas, dessa vez com um formato mais próximo ao original e um tratamento melhor, agradando muito aos fãs. Além disso, o primeiro arco do mangá também foi adaptado na forma de um filme live-action. Aproveitando o relançamento e o filme, confira aqui um rápido histórico e uma ficha detalhada de Kenshin Himura.
 

Kenshin Himura (15 pontos)

No turbulento período que marcou o fim do Shogunato no Japão, uma época de guerras onde o uma época de guerras onde o país se dividiu entre os defensores do antigo regime e aqueles que apoiavam um novo modelo, surgiu um temível retalhador entre aqueles que lutavam por uma nova era. Mestre no estilo de Battoujutsu (técnicas do saque da espada) chamado Hitten Mitsurugi, era chamado apenas de Battousai (“Mestre do Saque da Espada”); sua perícia com a espada era lendária, rendendo-lhe a fama de “mais forte espadachim do Bakumatsu“. Porém, com o fim da Restauração, Battousai desapareceu.
O mistério de seu paradeiro intriga muitos espadachins e monarquistas que viveram o período, já que a maioria passou a ocupar importantes cargos administrativos no novo governo. A verdade é que Kenshin se arrependeu de tantas mortes, e prometeu a si mesmo nunca mais matar alguém, passando a carregar uma sakabatou (espada de lâmina invertida). Abandonou sua alcunha e passou a vagar pelo Japão, muitas vezes combatendo injustiças que o novo governo comete.
Kenshin é um homem muito gentil, de comportamento formal e contido, muitas vezes se apresentando como um serviçal (“Este servo está muito contente em saber disso, senhorita Kaoru.”); seus modos atuais contrastam muito com a frieza de Battousai, tanto que pouquíssimos conseguiriam descobrir sobre seu passado conhecendo o atual Kenshin. Muitas vezes, acaba sendo identificado por sua cicatriz em forma de X na face esquerda. Está instalado no Dojo Kamiya, em Edo (atual Tokyo), porém seu passado sempre acaba atraindo inimigos que podem colocar em perigo os moradores do dojo.
F3, H5, R3, A2, PdF0; 15 PVs, 15 PMs; Kit Mestre de Iaijutsu; Adaptador, Amakakeru no Ryuu no HiramekiAtaque Especial Perigoso, Estilo da Garça(K), Estilo Hitten MitsurugiIaijutsu(K), Telepatia; Código dos Heróis e da Redenção, Protegida Indefesa (Kaoru Kamiya), Segredo (passado como Battousai).
Adaptador: enquanto carrega sua Sakabatou, Kenshin pode alternar entre dano por esmagamento (não-letal – caso reduza um oponente a 0 PVs, ele é automaticamente considerado bem-sucedido em seu teste de morte) e por corte.
Telepatia: a experiência em combate de Kenshin faz com que ele possa ler movimentos e intenções das pessoas de forma quase sobrenatural.
Protegida Indefesa (Kaoru Kamiya): Kenshin acaba criando uma ligação emocional com a dona do Dojo Kamiya, fazendo com que seja muito visada por inimigos de Kenshin.
Segredo (passado como Battousai): quando suas origens são descobertas, Kenshin e todos próximos a ele acabam virando alvo de antigos inimigos ou mesmo pessoas simplesmente interessadas em testar sua força.

KUROSU apanhou até do Yahiko

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: