Gods Eater Burst – Adaptação

GODS EATER BURST (ou apenas GOD EATER) é um game para PSP que combina elementos de ação e RPG. Lançado em 2010 no Japão e em 2011 no ocidente, conta com conteúdo DLC gratuito e uma continuação já foi anunciada no Japão. É uma espécie de “Monster Hunter cyberpunk”, apresentando um interessante cenário pós-apocalíptico, que pode render muitas campanhas no nosso 3D&T.
O Cenário:
No ano de 2050, misteriosas criaturas que pareciam surgir do nada começaram a atacar. Eram implacáveis, e pareciam tentar destruir tudo o que viam pela frente. Os meios que os humanos possuíam para se defender pareciam não afetá-los, forçando-os a recuar. Em pouco tempo, a maior parte das cidades foi praticamente destruída. Os habitantes do leste asiático passaram a chamar as criaturas de “Aragami” (algo como “deus destruidor” ou “deus furioso”), termo que foi adotado pelo mundo inteiro.
Para entender e combater a ameaça, foi criada a corporação Fenrir. Reorganizando a humanidade em comunidades protegidas, logo a Fenrir praticamente substituiu os antigos governos. Suas pesquisas com as Células Oraculares – como foi nomeada a matéria de que são formados os Aragami – permitiu a criação dos God Arcs, armas feitas especificamente para exterminá-los. Assim surgiram os God Eaters, soldados especializados em combater os Aragami.
O ano atual é 2071. A Divisão do Extremo Leste da Fenrir iniciou o Projeto Aegis, que promete construir uma fortaleza inexpugnável, totalmente protegida contra os Aragami. Para que este projeto torne-se possível, os melhores God Eaters da divisão foram mobilizados para contribuir com as pesquisas.
 
Aragami – A ameaça :

Dois God Eaters enfrentam um Vajra, um dos mais perigosos tipos de Aragami


Os Aragami são formados por Células Oraculares, substância que a Fenrir define como “células que pensam e devoram”. O principal objetivo dos Aragami parece ser exatamente devorar – são capazes de digerir qualquer coisa, embora possuem um certo senso seletivo em relação à suas presas (este senso é chamado de “Fator Tendencial” pela Fenrir). Sua aparência normalmente lembra algum tipo de animal, porém alguns possuem formas bem bizarras ou até mesmo traços humanos. Costumam a adquirir características ligadas ao ambiente em que vivem (por exemplo, um Aragami que habita regiões geladas poderá adquirir coloração esbranquiçada, resistência ao frio e ataques de gelo). Alguns Aragami podem acabar devorando outros menores, podendo também demonstrar traços dos Aragami devorados.
Todo Aragami possui um núcleo, que reúne e mantém ligadas suas Células Oraculares. Caso o núcleo seja neutralizado, as Células irão se dispersar e o Aragami será destruído; caso contrário, o núcleo será capaz de reunir novas Células (que se encontram no próprio ar) e construir um novo Aragami. Embora as Células Oraculares sejam um único material, pode variar quanto a consistência e função; basicamente, é capaz de se rearranjar para tomar qualquer forma que seja necessária ao núcleo, dessa forma criando os orgãos dos Aragami (como presas, olhos, pêlo, escamas, ect). Devido a sua característica de incorporar traços daquilo que devoram, alguns pesquisadores da Fenrir acreditam que logo poderão surgir Aragami com forma totalmente humana, talvez até capazes de se comunicar e agir como humanos.
Existe um boato chamado de “Apocalipse do Devorador” que fala que os Aragami vieram para servir de alimento para uma entidade conhecida como Nova, que após devorar todos os Aragami se tornará um ser tão colossal que conseguirá engolir o planeta inteiro. Diversas distorções do boato existem pelo mundo, e histórias sobre o Apocalipse do Devorador costumam a ser motivo para suicídios em massa. Além disso, criou-se um culto doentio em torno dos Aragami, que chega ao ponto de oferecer sacrifícios à eles. O boato não possui fundamento científico, e a Fenrir afirma que é impossível surgir um Aragami tão imenso.
O mestre pode construir um Aragami como um monstro qualquer, adicionando as vantagens e desvantagens que desejar. Pode até mesmo pegar duas fichas prontas de monstros e misturar ambas, formando um Aragami que devora outros. Possuem Invulnerabilidade contra qualquer material que não seja feito de Células Oraculares. O núcleo não funciona como um Ponto Fraco, pois só pode ser neutralizado depois que o Aragami for abatido (chegando a 0 PVs). Caso isso não seja feito (através de um God Arc), o Aragami acorda após 1d horas com seus PVs restaurados.
 
God Arcs – As armas

Um God Arc, prestes a devorar um Aragami


Desenvolvidas pela Fenrir após pesquisas com os Aragami, são as únicas armas capazes de ferir os Aragami. Na verdade, elas são um Aragami, composto de um núcleo artificial manufaturado pela Fenrir e de Células Oraculares arranjadas e estruturadas como lâminas, armas de fogo e escudos. Cada God Arc é único, adquirindo características de acordo com seu usuário e os núcleos que devora.
Como um Aragami, os God Arcs precisam se alimentar, e isso é feito em batalha – após um Aragami ser abatido, os God Eaters fazem suas armas comerem os corpos dos adversários, dessa forma neutralizando seus núcleos. Os núcleos neutralizados são recolhidos pela arma e carregam traços que podem ser usados para recriar partes dos corpos dos Aragami, que são usadas posteriormente para aprimorar os God Arcs. Um God Eater deve usar apenas seu próprio God Arc, pois tentar usar o de outra pessoa pode trazer diversas conseqüências ruins, sendo a mais comum a arma tentar devorar o novo usuário.
Para manejar um God Arc, é necessário que o God Eater receba uma injeção de Células Oraculares, formando uma sincronia ele entre e a arma. Porém, estas Células são instáveis e podem gerar uma contaminação que, caso se espalhe pelo corpo, irá transformá-lo em um Aragami. Para evitar o processo, os God Eaters precisam tomar regularmente uma injeção conhecida como “Fator Tendencial P53“, que mantém suas Células sob controle (veja abaixo regras para a contaminação). Uma vez que é necessário um teste de aptidão genética para que haja certeza que o corpo aceitará as Células Oraculares e o Fator Tendencial, a quantidade de God Eaters é reduzida; além disso, os compatíveis costumam a ser extremamente jovens.
Existem três tipos de God Arc: as Lâminas Old-Type, as Armas de Fogo Old-Type e as New-Type. Todo God Arc funciona como um Equipamento, porém sem seguir as regras normais de uso limitado e com as seguintes diferenças:
Lâmina Old-Type: são God Arcs com o formato de espadas. Não podem possuir pontos em Poder de Fogo.

 
 
 
Arma de Fogo Old-Type: God Arcs com o formato de rifles, lança-mísseis e metralhadoras. Sua munição é formada por Células Oraculares acumuladas no núcleo. Não podem possuir pontos em Força e seguem as regras de Munição Limitada: possuem um número de tiros igual a três vezes o seu Poder de Fogo. Caso a munição se esgote, a arma precisa absorver mais Células Oraculares para recarregar e, embora possa fazer isso a partir das Células no próprio ar, o processo leva tempo – uma rodada por ponto em PdF do God Arc. Um item fornecido pela Fenrir pode recuperar metade da carga do God Arc, e custa 2 PEs.

 
 
 
New-Type: o modelo mais recente de God Arc, pode alternar entre a forma de uma espada e de uma arma de fogo. Exigem que seu portador possua Adaptador para serem usadas, porém não possuem restrições em suas Características. Também possui Munição Limitada para seus ataques de Poder de Fogo, mas deve ser recarregada de forma diferente de um Old-Type; cada ataque corpo-a-corpo restaura um número de disparos igual ao dano causado.


 
 
 
Os God Arcs podem ser aprimorados normalmente usando Pontos de Experiência.
 
God Eaters – A esperança
A seguir, serão apresentados um kit para cada tipo de God Eater. A critério do mestre, outros kits podem ser usados em conjunto destes, representando funções como batedores, guerrilheiros, etc.
Dependência: Fator Tendencial P53 (-2 pontos): um God Eater pode ficar sem tomar suas injeções por um número de semanas iguais à sua Resistência. Após esse tempo, deve fazer um teste de Resistência todos os dias, com um redutor de -1 para cada dia passado; em caso de falha, se torna um Aragami sob comando do mestre. O Fator Tendencial P53 é distribuído uma vez por semana pela Fenrir.

Souma: God Eater Espadachim


God Eater Espadachim:
Exigências: God Arc (Lâmina Old-Type), Patrono (Fenrir), Dependência: Fator Tendencial P53.
Ataque inesperado: uma vez por combate, você pode usar a vantagem Ataque Especial e adicionar um poder (como amplo, paralisante, etc) que você não possua à sua escolha, pagando seu custo normal em PMs.
Crítico automático: você pode gastar 2 PMs em vez de 1 PE para comprar um crítico automático em seu ataque. Você pode usar este poder um número de vezes por dia igual a sua Habilidade.
Surto de poder: fazendo o God Arc morder o adversário e absorver algumas Células Oraculares, você pode gerar uma ressonância que aumenta temporariamente seu poder. Ao realizar um ataque, você pode gastar 3 PMs para fazer seu God Arc morder o Aragami. Você adquire um número de pontos para distribuir entre suas Características igual ao dano causado nesse ataque (da mesma forma que um Poder Oculto). Estes bônus duram um número de rodadas iguais a Resistência do God Eater.
 

Sakuya Tachibana: God Eater Atiradora


God Eater Atirador:
Exigências: God Arc (Arma de Fogo Old-Type), Patrono (Fenrir), Dependência: Fator Tendencial P53.
Chuva de disparos: você gasta metade dos PMs para usar a vantagem Tiro Múltiplo (arrendondando para cima). Portanto, dois ataques custam 1 PM.
Disparo curativo: as munições de Células Oraculares podem ser estruturadas de forma a, quando atingirem um aliado, usarem as Células no corpo do alvo para curar ferimentos. Um God Eater Atirador pode gastar 2 PMs e um disparo de sua munição para curar um número de PVs iguais ao dobro do seu Poder de Fogo de um aliado dentro do alcance de seu God Arc.
Tiro longo: sua perícia com seu God Arc é lendária. Você tem o dobro do alcance de tiro, e o primeiro ataque à distância que você faz contra cada oponente ignora sua Habilidade.
 

Alisa Amiella: God Eater New-Type


God Eater New-Type:
Exigências: Adaptador, God Arc (New-Type), Patrono (Fenrir), Dependência: Fator Tendencial P53.
Ceder Células Oraculares: um God Eater New-Type pode usar as Células Oraculares obtidas enquanto lutava corpo-a-corpo para fortalecer um aliado. Um aliado dentro do alcance do PdF do God Arc recebe 1 ponto para distribuir entre suas Características para cada 2 PMs gastos pelo New-Type. Os bônus duram um número de rodadas igual a Resistência do New-Type. Este poder consume um disparo da munição do God Arc.
Disparo curativo: as munições de Células Oraculares podem ser estruturadas de forma a, quando atingirem um aliado, usarem as Células no corpo do alvo para curar ferimentos. Um New-Type pode gastar 2 PMs e um disparo de sua munição para curar um número de PVs iguais ao dobro do seu Poder de Fogo de um aliado dentro do alcance de seu God Arc.
Surto de poder: fazendo o God Arc morder o adversário e absorver algumas Células Oraculares, você pode gerar uma ressonância que aumenta temporariamente seu poder. Ao realizar um ataque, você pode gastar 3 PMs para fazer seu God Arc morder o Aragami. Você adquire um número de pontos para distribuir entre suas Características igual ao dano causado nesse ataque (da mesma forma que um Poder Oculto). Estes bônus duram um número de rodadas iguais a Resistência do God Eater.
 

Johannes von Schicksal: diretor-geral da Divisão do Extremo Leste da Fenrir


Fenrir – A organização:
Desde o seu surgimento, a Fenrir possui divisões espalhadas pelo mundo inteiro. Cada uma administra regiões residenciais em volta de seu
quartel-general, devendo zelar pela proteção dos cidadãos contra os Aragami. Uma vez que a Fenrir monopolizou a economia mundial (atualmente, existe uma única moeda no mundo todo controlada pela corporação, chamada Créditos Fenrir ou fc), pessoas ligadas a ela costumam a possuir posições melhores na sociedade.
Seus God Eaters são colocados em Unidades, que possuem no mínimo 3 indivíduos e possuem funções específicas, de acordo com as habilidades de seus soldados. As principais unidades são as seguintes:
1ª Unidade – Equipe de Retaliação
2ª Unidade – Equipe de Defesa
3ª Unidade – Equpe de Reconhecimento
Os quarteis-generais contam com alojamentos onde os God Eaters podem morar. Além disso, todos são equipados com os laboratórios e hospitais necessários para atender suas necessidades. Existem muitas disputas internas na Fenrir, tanto dentro das unidades quanto entre elas.
A mais influente unidade da Fenrir atualmente é a do Extremo Leste. Seu diretor, Johannes von Schicksal, é o idealizador do Projeto Aegis. As principais pesquisas relacionadas com o projeto estão sendo realizadas em uma ilha artificial denominada Aegis, onde pouquíssimas pessoas possuem permissão para entrar. Segundo Johannes, Aegis não poderia ser destruída nem mesmo por um Aragami do maior tamanho possível em teoria e portanto defenderia a humanidade até mesmo de um evento como o Apocalipse do Devorador. O diretor costuma a enviar os líderes das divisões e alguns poucos God Eaters selecionados em missões secretas (normalmente obter o núcleo de Aragami raros), afirmando serem importantes para o prosseguimento do Projeto Aegis.
O Dr.Paylor Sakaki, chefe-supervisor do Departamento de Tecnologia, parece não apoiar o Projeto Aegis. Parece saber de muitos detalhes obscuros sobre a própria Fenrir e o projeto, e sempre tenta instigar os God Eaters a desconfiarem de Johannes. Alguns dizem que ele forneceria missões secretas para algumas divisões, para algum propósito que apenas ele conheceria.

KUROSU, que precisa tomar logo seu Fator Tendencial antes que vire Aragami

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. DaMRoX disse:

    Nossa! Esse cenário me parece perfeito para 3D&T! Fiquei com muita vontade de narrar essa adaptação. Pra ficar completão, poderia ter uma listinha das vantagens e desvantagens permitidas para uma campanha nesse cenário, já que não existe muita informação do mesmo.
    Um abrço e vlw por mais uma ótima adaptação! =D

    • Kurosu disse:

      Ficam proibidas vantagens muito exageradas (como Área de Batalha, Telepatia e Teleporte) e ligadas à Magia. Certas vantagens de combate, como Reflexão e Toque de Energia, podem ser compradas como habilidades dos God Arcs. E fica a dica de tentar jogar o game, porque fiz a adaptação tentando evitar ao máximo spoilers, então certos detalhes (como um aprofundamento no Projeto Aegis e na contaminação das Células Oraculares) ficaram de fora.

      • Kurosu disse:

        Inclusive, o game conta com um Database (com tópicos que detalham certos aspectos do cenário) e com uma sessão onde você pode rever cutscenes, tanto que essas duas opções foram minhas grandes fontes para a adaptação.

  2. Posso estar enganado, mas fui dar uma procurada e acho que tem uma animação [como tudo nipônico ^^] – Acho que vale o clck. http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=2qxxVPfDAHU

    • Kurosu disse:

      Uma série em animê de God Eater não existe, mas esse OVA é oficial sim. É uma prequel do game, mostrando a primeira missão do Souma, e foi lançado para a divulgação de God Eater Burst. É bom porque mostra bem como é o clima do game ^^

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: