Tóquio LTDA

Estive lendo aqui a proposta do RPG Empresa LTDA, criado pelo João Gabriel (Jey), para o Concurso Faça Você Mesmo, promovido pelo pessoal da Secular Games. Gostei da proposta do jogo e comecei a pensar aqui sobre interpretar executivos de uma empresa. Não vou fazer uma versão 3D&T do jogo do Jey, mas vou dar uma ideia alternativa, para ser jogado com o nosso sistema da casa.

O jogo se passará dentro de uma empresa, onde os jogadores serão pessoas normais, atuando como os defensores da Tóquio LTDA (o nome é só uma sugestão). O que ela faz é problema do mestre. Pode ser um banco ou uma grande corporação financeira, uma empresa de inovações tecnológicas, uma corporação de comunicação e publicidade. Pode ser algo que os jogadores estejam familiarizados ou algo desconhecido tratado de modo estereotipado. A ideia não é um jogo realista, mas uma caricatura da vida corporativa. O legal é o mestre e os jogadores definirem juntos um ramo de negócios que seria divertido.

Todo mundo fica bem de terno

Os jogadores serão funcionários do departamento executivo da empresa, podendo ser estagiários (5 pontos), executivos júniores (7 pts), sêniores (10 pts) ou gerentes (12pts). Ganhar pontos de experiência não significa que o personagem vai subir na hierarquia da empresa. Isso será resultado de ações dentro do jogo e não de quantidade de pontos. Como o andar do jogo, eles podem crescer na empresa, se tornando até mesmo diretores e membros do conselho administrativo (nível épico). Eu dei uma estereotipada aqui na hierarquia. Se quiserem fazer uma empresa com hierarquia maior ou menor, fica a cargo do mestre.

Os jogadores podem estar todos dentro de um único departamento da empresa (marketing, recursos humanos, financeiro, jurídico, comercial, operacional etc) ou cada atuando em um e defendendo os interesses do próprio departamento. O jogo se passa dentro da empresa (escritórios, reuniões, cafeteria, corredores, elevadores…).

Dentro do jogo, a ideia é brincar com a interpretação, por isso é dever do mestre incentivar que os personagens tenham vantagens e desvantagens que estimulem isso, em especial, Códigos de Honra e Insanidades. Penso que seria legal tratar a campanha de maneira mais cômica, mas se quiserem dar um ar diferente, fica por conta de cada grupo. Só tomem cuidado para não ofender, especialmente se os jogadores trabalharem juntos. A brincadeira é retratar uma corporação capitalista de maneira bem-humorada e não satirizar situações reais.

Conflitos

A maneira de adaptar o 3D&T para dentro do mundo corporativo deve ser decidida pelo mestre e jogadores. O BURP, o Dan e eu mesmo, entre outros, já demos ideias de usar o 3D&T para conflitos e embates de diálogo. Você pode escolher a que quiser.

Uma ideia básica é a seguinte: Nível de Perícia/Especialização x2 + Habilidade + 1d6. Faça isso contra um oponente usando a mesma especialização ou alguma outra substituída de maneira lógica. Retire a subtração dos PVs de quem tiver o pior resultado, como se fosse um combate normal. Se não quiser usar os PVs nisso, crie o Pontos de Status, feitos da mesma maneira que os PVs e PMs. O vencedor recebe Pontos de Status iguais à sua Habilidade.

Nesse cálculo do conflito também deve ser incluídos os bônus e redutores existentes na tabela Efeitos de Vantagens e Desvantagens, encontrada na página 65 do Manual 3D&T Alpha. Se alguém tiver pontos de status iguais ou menores que sua resistência, ele pode estar mal na empresa e, se chegar a zero, poderá receber uma advertência ou até mesmo ser demitido (embora essas coisas possam acontecer mesmo com personagens com status alto ou não acontecer com personagens com status baixo).

Ideias de aventuras

Demissões em massa: a empresa ou o mercado como um todo está passando por dificuldades financeiras e cortes serão feitos. Como os personagens vão reagir a isso? O que farão para garantir sua permanência na empresa?

Variação: a empresa está quase declarando falência e os jogadores precisam defender o próprio lado enquanto tentam (ou não) salvar a empresa onde trabalham.

Novo diretor: a empresa contratou um diretor novo (ou algum outro cargo diretamente superior aos jogadores) e o cara é simplesmente um terror. Os jogadores terão que dar um jeito de conviver com o personagem vilanesco. O legal é o diretor aqui ser um vilão cômico também.

Variações: pode aparecer um novo funcionário no mesmo nível dos jogadores, mas que seja muito competente e ao mesmo tempo mal-caráter ou então um puxa-saco do diretor. Outra variação é ser um estagiário ou alguém de um nível a baixo dos personagens, mas que seja um intrometido protegido pelo alto-escalão (como ser sobrinho do diretor).

Protestos: o público está contra a empresa, fazendo protestos por causa de produtos ruins, descaso ambiental, fraudes econômicas ou outros motivos. Os jogadores precisam lidar com isso, resolvendo o problema ou o ignorando (e quem sabe jogando água do prédio em cima dos manifestantes).

Variação: a coisa está feia, num nível alarmante. Os protestadores estão quebrando a sede da empresa e invadindo tudo.

Protótipo: o departamento de inovação apareceu com um novo protótipo e os jogadores precisam testá-lo internamente. Talvez seja algo incrível e inovador, mas pode ser mais divertido se for algo retrógrado, cheio de problemas ou que não sirva para absolutamente nada. Pode ser legal também se o protótipo em questão tiver a “benção” de diretores da empresa, assim os jogadores não poderiam simplesmente descartá-lo, mas teriam que conviver um tempo com ele. A natureza do protótipo pode variar muito de acordo com o ramo da empresa, mas para dar ideias, seria legal se o mesmo fosse como um item mágico, carregando em suas estatísticas vantagens e desvantagens.

Variação: a empresa está inserindo um novo processo de trabalho, um novo equipamento ou um novo departamento e junto com isso virão um monte de problemas para os jogadores.

Novo mercado: a empresa está tentando entrar num novo ramo de mercado e os jogadores estarão envolvidos no processo. Talvez ele tenha algo a ver com o que a empresa já trabalha ou talvez seja uma coisa totalmente diferente.

Variação: o mercado atual da empresa está sofrendo turbulações e mudando, seja por motivo de avanço tecnológico ou por mudança de hábito dos consumidores.

Fusão: a empresa comprou um concorrente e agora estão no processo de aquisição, onde serão demitidos boa parte dos executivos da empresa comprada e alguns da compradora. Ao mesmo tempo em que eles terão que cuidar para não serem demitidos, terão que lidar com os novos funcionários e novas formas de trabalhar.

Variação: a empresa dos jogadores é que foi comprada e agora é salve-se quem puder.

Crescimento: a palavra de ordem do presidente da empresa é “crescer”. Aqui os jogadores terão que participar de projetos, defendendo os seus e lutando contra os seus rivais. Daqui podem sair ideias como algumas das descritas acima, como criação de novos produtos, entrar em novos mercados ou comprar concorrentes.

Varição: o presidente pode resolver testar mais a fundo ou então implementar várias das estratégias apresentadas, mesmo que algumas sejam opostas (como comprar um concorrente ao mesmo tempo que adota uma política de redução de custos).

Transferência: os jogadores foram transferidos para uma filial da empresa em outra cidade ou até mesmo em outro país. Agora eles tem que se virar e aprender a trabalhar com o pessoal da filial.

Variação: os jogadores estão ali como auditores, investigando a filial e procurando os podres (ou como se aproveitar disso).

Evento: a empresa irá participar de um grande evento (feira de negócios, lançamento de produto, inauguração, evento patrocinado, congresso) e os jogadores estão envolvidos.

Variação: está acontecendo um evento que não tem nada a ver com a empresa, como Copa do Mundo, e todo mundo quer poder acompanhar, assistir, comentar, fazer apostas e precisam dar um jeito.

Concorrência: a concorrência está batendo duro, criando produtos melhores e diminuindo os lucros da empresa dos jogadores. Aqui os jogadores precisam lutar contra um concorrente melhor que eles.

Variação: a concorrência na verdade é pior, mas consegue ser mais barata caiu nas graças do povo ou então está simplesmente plagiando os produtos da empresa dos jogadores.

Alternativas

Paralelamente à vida de escritórios e burocracias de um executivo, talvez o mundo empresarial dos jogadores também tenham alguns outros elementos. Talvez a empresa seja uma companhia de mercenários, uma empresa que luta contra zumbis dos esgotos, uma empresa criadora de novas tecnologias para o exército, uma empresa em um mundo futurista, medieval ou alguma outra loucura.

Talvez os jogadores precisem conviver com heróis ou serem heróis eles próprios, ao mesmo tempo em que precisam bater metas e fazer apresentações em reuniões. Ou então a própria empresa seja uma vilã, ou abrigue vilões, e os jogadores precisam lutar de algum modo enquanto fazem de tudo para permanecer no emprego e ter o salário no fim do mês.

Inspirações

Tem como tirar ideias de personagens e aventuras de vários lugares. As séries The Office e Mad Man tratam do mundo corporativo, embora eu não as conheça para dar detalhes. Na série How I Meet Your Mother tem uma empresa onde alguns dos personagens trabalham e onde muita coisa absurda acontece. Em Os Simpsons temos vários episódios com as loucuras dos funcionários da usina nuclear onde o Homer trabalha.

O Homem-de-Ferro não fala muito das empresas Stark, mas dá uma ideia legal de uma empresa inovadora com executivos loucos. Robocop também mostra uma empresa muito louca atrás de lucro. Outros filmes que tratam disso seriam Wall Street, Do Que As Mulheres Gostam, O Diabo Veste Prada, De Repente 30, A Rede Social etc. Uma outra dica é o documentário The Corporation, que embora seja bem sério (e muito bom, vale a pena), pode alimentar ideias para as maiores bizarrices para a empresa do jogo.

Divirtam-se!

—————–
© Imagem: ilustração promocional de Katekyo Hitman Reborn!, de Akira Amano.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Lipe disse:

    Ásbel, muito bom! O Empresa LTDA foi uma sacada genial, e trazer isto para nosso sistema da casa amplia o contato com novas maneiras legais de se jogar.
    Uma mesa rápida em um evento com esta temática deve fazer sucesso!

  2. Pedro disse:

    Da próxima a empresa “Made in China”

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: