Mais sobre Dark Sun

Todo mundo sabe que Dark Sun é o cenário de Dungeons & Dragons previsto para ser lançado em 2010. O que pode não saber ainda é que recentemente Rodney Thompson, um dos designers da nova encarnação do cenário, recentemente comentou em seu blog na D&D Community a respeito do tratamento que procura dar a Athas para seu novo debut.
Comentários que eu resolvi traduzir para dar a vocês uma chance de conhecer melhor Dark Sun.

Eu sei que fui faltoso com minhas atualizações. Estive preso numa terra inóspita de trabalho, acorrentado a uma mesa e forçado a trabalhar sob o olhar atento dos templários, que sempre buscam cumprir com as ordens dos reis-feiticeiros. Tradução: estive trabalhando no Dark Sun!
Como alguns de meus leitores sabem, eu sou o principal desenvolvedor encarregado pelo cenário de Dark Sun. O que vocês podem não saber é que é bastante incomum um desenvolvedor encabeçar dois livros ao mesmo tempo (conforme eu fiz com os dois livros de Dark Sun), e portanto eu estive bastante ocupado ultimamente. Felizmente, no início desta semana [NT: a semana que começou n17 de Outubro] eu passei os manuscritos completos de ambos os livros para serem editados. […]
Dark Sun sempre foi um de meus dois cenários preferidos de D&D, e durante o ano inteiro eu estive aguardando fervorosamente para colocar as minhas mãos nos trabalhos dos outros designers. Pegamos o que eles nos deram e de lá tiramos algumas das mecânicas mais interessantes que eu acho que o jogo viu até hoje, e alguns detalhes da mecânica que farão os jogadores bastante felizes.
Dito isto, há muita especulação sobre Dark Sun, mas pouca informação vinda de nós. […] Inevitavelmente, artigos de prévia e colunas sobre Design & Desenvolvimento fluirão, mas eu quero um momento para prover vocês com algumas linhas gerais que acredito que darão uma idéia do direcionamento que tomamos.
Eu sempre fui um purista da caixa original de Dark Sun. Mesmo acreditando que os suplementos eventualmente proveram material bastante interessante, a primeira caixa simplesmente possuia uma mágica na forma de apresentar Athas. Eu e os outros queremos trazer esta sensação. Então, um dos grandes objetivos foi fazer o cenário passar uma sensação mais próxima daquela que a primeira caixa passava. Athas é um local desolado onde a sobrevivência é incerta, onde a própria terra pode te matar, e onde os pontos de luz (para usar um dos termos favoritos da 4e) são governados pelas trevas. É um mundo de espadas e sandálias, de tecnologia atrasada e magia perigosa. É um mundo onde psiquismo é comum e não há deuses para quem prestar orações ou de quem receber poderes. É um mundo onde a terra está lutando para manter-se viva, e seus defensores enfrentam a quase-impossível tarefa de mantê-la desta forma. Dark Sun é um mundo perigoso, um mundo onde só o mais forte sobrevive, mas… é também um mundo para heróis. Eles podem não se ver desta maneira, mas Athas é um lugar onde o mal impera apenas enquanto o homem comum não fizer nada.
De muitas formas, uma das coisas que eu amo no Dark Sun é que é um cenário onde os heróis deveriam ter uma chance de, literalmente, salvar o mundo. Diferente de outros cenários que são muito complexos e vastos, Dark Sun é um cenário concentrado numa região relativamente pequena. Há muita diversidade nesta área pequena, mas não é difícil de imaginar tramas mundiais quando o mundo não é muito maior que o sudoeste dos EUA. Eu também adoro o fato da história de Dark Sun ser sobre Athas, e o foco é mantido no mundo, e não em saltar planos, brigas de deuses, ou guerras entre seres extraplanares. É sobre o aqui e agora, o fato da morte e extinsão serem bastante reais e não haver nada como uma intervenção divina para salvá-lo no último momento. Seu destino em Athas está em suas mãos, e apesar da vida ser difícil, brutal e curta… você também é o único com poder de mudar isso. E você deve fazer isso!

Então é isso o que você pode esperar. Não estamos mais em 1991, então ele não será 100% igual, mas eu sinto que estamos nos mantendo bem próximos da caixa básica origianal. Ele não é um cenário feito para abarcar tudo do D&D; há coisas que são parte d0s outros cenários que simplesmente não possuem lugar em Dark Sun. Há também coisas novas que encaixam-se muito bem no cenário. Rich [Baker] já falou um pouco sobre os draconatos [NT: link em inglês – traduzo para vocês até no máximo na segunda, ok?] (apesar dele não ter mencionado que manteremos também parte da história original dos dray, que eles foram exilados de Giustenal e possuem um trauma racial por terem sido abandonados por seu criador), então você sabe que algumas coisas não serão mais exatamente como eram antes. Dito isto, para este purista da primeira caixa, o cenário ainda parece o mesmo.
Os reis-feiticeiros governam as cidades-estado, usando seus templários como seus agentes ao longo de seus domínios. Bandidos selvagens fazem os desertos ainda menos seguros do que já são. Gigantes vagam pelo Sea of Silt, preparando assaltos às comunidades que o margeiam e atacando embarcações que passam por perto. O Dragão ainda demanda tributos de cada cidade-estado, e paira sobre as terras como uma força de pura destruição. Defilers destróem a vida para alimentar suas ambições arcanas. Casas mercantis ainda brigam entre si, e detém grande poder fora do controle dos reis-feiticeiros. Muls gladiadores ainda lutam em fossos de escravos, e thri-kreen batedores espreitam à margem dos caminhos menos usados por caravanas, prontos para atacar. Halflings canibais ainda caçam à noite como fantasmas, e os pouco-confiáveis elfos ainda mentem, trapaceiam e roubam suas vítimas no Mercado Élfico. A Veiled Alliance assegura abrigo das autoridades (e das turbas de pessoas comuns, que os temem e odeiam) para preservers, e eles ainda fazem frente aos defilers a cada passo. Ainda existem ruínas antigas recheadas de mortos-vivos nas profundezas do deserto, guardando tanto perigos quanto tesouros do mundo antigo.
Estou realmente empolgado com a direção que as coisas estão tomando. Agora que eu ví os livros por intei posso descansar um pouco, e começar a curtir a idéia de pessoas começarem a jogar jogos em Athas dentro de um futuro próximo.

De verdade, este texto me deixou bastante empolgado com a volta do cenário. E eu repassei ele para um amigo meu, fã purista da primeira caixa igual o autor, e ele pareceu bastante empolgado também. E vocês? O que acharam?

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Heitor disse:

    E que o livros do cenário sejam bons o bastante para queimar a língua dos 4e haters.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: