1ª RPGCon – parte I

Pois é. De volta em Brasília e devidamente descansado, resolvi sentar na cadeira e refletir um pouco sobre o encontro de RPG que aconteceu neste último final de semana. Claro, é sempre bom deixar claro que o que coloco aqui é bem centrado na experiência que eu tive na RPGCon.

Manhã de Sábado

Mal cheguei e tratei de dar um pulo na sala de usados/encalhados da D3 Store. E foi algo bom, porque lá encontrei um exemplar da Sky Point & Vivane, uma caixa de Earthdawn lançada em 1995 que detalha uma área de fronteira entre Barsaive e Thera, por meros R$40,00. Além disso, peguei alguns livros que havia encomendado com o Jaime Daniel: Death of a Darklord, Heaven’s Bones e Mithras Court (todos romances de Ravenloft). Na loja tinha muito mais coisas interessantes, se você tivesse disposição para garimpar e grana para levar tudo. Inclusive, tinha lá umas pérolas que eu ainda me sinto meio trouxa de não ter comprado (como um When the Sky Falls por R$12,00).
Depois das compras fui encontrar meus coleguinhas na sala reservada para o encontro dos blogueiros. Cheguei no meio de uma gravação de um podcast, acho que do Rolando20. Foi bem legal, mas não demorou muito para a conversa descambar em baixaria. Acho que foi culpa minha. Sabem como é, meu pai já dirigiu caminhão.
E por falar em blogs: não aconteceu o 2º Encontro de Blogs de RPG. Ou se aconteceu, ninguém viu. A sala estava lá o dia todo, mas acho que em momento algum ela abrigou todos ou quase todos os autores de sites que estavam no evento e que queriam participar do encontro. Eu culpo a falta de um horário definido para as pessoas se encontrarem. O evento estava tão cheio de coisas legais para fazer que não houve um momento de calmaria no qual todos pudessem se encontrar e conversar. No lugar uns gatos pingados apareciam de tempos em tempos, ficavam alguns minutos e depois sumiam para ver alguma atividade. Não os culpo. Eu fiz o mesmo.
Inclusive, por volta de umas 10h15 eu saí da sala dos blogueiros para conferir a palestra do Levi Trindade e do Rogério Saladino sobre os lançamentos da Panini para os universos Marvel e DC. Palestra engraçadíssima.
Após ela, Rafael Rocha, Salomão “Tek”, Thiago Marinho e eu saímos para almoçar. Encontramos um restaurante meio pé-sujo mas bem legal, que tinha um custo/benefício muito bom. Foi um almoço legal, apesar de meio corrido, já que os caras tinham de apresentar uma palestra logo no início da…

Tarde de Sábado

A tarde começou com a palestra do Norson Botrel, Rafael Rocha e Thiago Marinho sobre os PDFs de RPG. Não apenas sobre a venda, mas também sobre o impacto da distribuição gratuita deles e até entraram um pouco no mérito do impacto da pirataria sobre a venda de livros.
Originalmente esta palestra iria ser ministrada pelo Marcelo Telles e Luiz Carlos “Thor” no lugar do Rocha e do Marinho. Mas eu achei a troca muito boa, já que no lugar dos dois entraram dois caras que já possuem alguma experiência com a venda de livros em PDF, através da Secular Games, o que faz um bom contra-ponto com o Norson, que deve ser um dos caras mais experientes na distribuição de PDFs gratuitos da internet brasileira, com os netbooks da Daemon.
Depois aconteceu a tradicional (dos EIRPGs) Palestra das Editoras, com Douglas (GURPS), Maria do Carmo (Mundos das Trevas) e Otávio (D&D) falando sobre os planos da Devir; o Marcelo Cassaro falando dos lançamentos de Tormenta pela Jambô; e o Norson Botrel representando a Daemon. Acho que algum site mais focado em notícias depois vai cobrir o que foi dito na palestra.
Confesso que não lembro direito o que eu fiz depois desta palestra. Já estava acordado há bem umas trinta horas, então a minha cabeça não estava nas melhores das condições. Eu zanzei um pouco pelo evento, conversei à beça com uma porção de gente, inclusive com o pessoal dos blogs, e depois fomos jogar o Citadels que o Anand acabou de comprar. Eu simplesmente adoro aquele jogo! Pena que não deu nem para começar, porque bateu 18h e fomos meio que expulsos pelos seguranças de lá.

Noite de Sábado

Do evento fomos para encontrar o pessoal no O’Maley’s. Foi bem legal, tinha um pessoal gente finíssima. Falamos porcaria para caramba, o que é sempre fera. E de lá fomos para o experimento social/apartamento de uns amigos nossos, o Buniiito, onde rolou uma festinha que eu achei razoavelmente legal. Desconfio que acharia ela bem melhor se não estivesse completamente detonado de sono. Uma pena. Tinha um pessoal que parecia realmente interessante por lá.
No meio da festa eu simplesmente apaguei. E aqui termino a primeira parte do relatório sobre a minha experiência na RPGCon.

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Nume disse:

    Opa,
    CF, é #buniiito, com três “i”s. 🙂

  2. Tek disse:

    Nossa, nem fala. Na festa do #buniiito eu tava esgotado.
    Mas foi bem bacana, inclusive pelas piadas twittadas em tempo real, como da irmã do Klee.

  3. Tsu disse:

    Eu joguei Citatels com a galera do Paragons, foi muito legal!

  4. Pô, pessoal questionando a beleza do CF. 😛
    Garanto uma coisa: Ele parece bem alto nas fotos, mas não é.

  5. Mayra disse:

    eu estava na festa do Buniiito. e tb apaguei! mas estava mto boa!Q

  6. Tek disse:

    Talude, buniiito é o nome do apartamento do Jamil, Klee e amigos. O CF é feeeio mesmo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: