RPG e Jornalismo: duas coisas que combinam?

Os jogos de RPG resgatam a tradição da narrativa oral, propondo que todos os integrantes do grupo participem desta construção de caráter épico. Isso faz com que os envolvidos façam parte do enredo, construam suas próprias tramas paralelas, convicções, moldem seus heróis e vilões e etc. Tudo isso utilizando a base da chamada Técnica Narrativa Interativa.

Mas o que isso tem a ver com Jornalismo?

Depois que comecei a trabalhar dentro de um jornal, percebi que existe uma proximidade muito grande, sob o meu ponto de vista, entre o processo de desenvolvimento da TNI e o formato de transmitir uma informação em um meio impresso.

Com a TNI eu passei a entender, na prática, o que funcionava e o que não era prático quando se precisa relatar um fato, passar alguma informação ou descrever um local. Resolvi, então, utilizar dessa experiência adquirida como narrador de RPG, na construção das minhas matérias. O resultado me parece brevemente satisfatório.

Quando o narrador desempenha o papel de contador de historias interativas, ele precisa subsidiar seus jogadores com fatos, argumentos, atmosferas e personagens que, juntos, moldam toda uma percepção de universo paralelo, no plano ficcional. Isso pode contribuir para aguçar a perspicácia de um comunicador social, sobre como as pessoas reagem instintivamente perante as informações e, além disso, demonstrar as técnicas narrativas que funcionam melhor para prestar credibilidade ao seu público em dada ocasião e fato. Isso contribui na elaboração e abordagem de um texto.

Narrador e Jornalista ?

Um narrador se assimila a um jornalista quando ele precisa empregar teorias da comunicação social, de forma inconsciente, como a do Lead (O quê? Quem? Quando? Como? Onde? Por quê?) para transportar seus jogadores para dentro da atmosfera imaginária que ele desenvolve. Além disso, existem jogadores que, se utilizando da TNI, acabam por fazer apurações fictícias dentro do plano abstrato de jogo.

Portanto, eu penso que, talvez, esse processo narrativo interativo possa ser utilizado como uma espécie de laboratório.

Mas o que eu quero dizer exatamente? Que a TNI pode funcionar como um suporte para diversas áreas da comunicação social. Saindo da esfera pedagógica e entrando mesmo no plano acadêmico, como recurso alternativo.

Claro que eu ainda não posso suprir essa teoria com fatos e dados de pesquisa, mas pretendo iniciar um trabalho em cima do tema e elaborar uma tese.

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Nitro disse:

    Legal Tiago! Já tinha gostado desse texto lá no Multiply e agora vejo aqui no dot20! Espero que seja o primeiro de muitos!

  2. Saoki disse:

    Parece uma tese interessante. E parece dar margem para teorias como em que tipo de jogo cabe melhor o narrador-como-comunicador ou quando é melhor o narrador-como-escritor ou o narrador-como-administrador.
    Interessante.

  3. rsemente disse:

    Bem legal, apesar de parecer uma amtéria mais para o Jornalismo que para o RPG. Seria bm que muitos jornalistas jogassem RPG (e seus editores), assim poderiamos ter mais matérias de RPG 😛

  4. Arquimago disse:

    Gostei, da meteria e realmente é um tema interessante, se sair a tese, a pesquise informe aqui!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: