Finalmente sai a GSL!

E finalmente, após meses e meses de enrolação, a Game System License do Dungeons & Dragons 4ª Edição foi lançada.
Dei uma lida rápida na licensa, no SRD, no FAQ e um pulinho nos sites gringos para pegar algumas informações sobre o funcionamento desta GSL. E me pareceu bem melhor que a anterior. Aí vão algumas observações interessantes:

  • Você pode fazer um produto compatível com a OGL e com a GSL ao mesmo tempo! Não é mais necessário optar entre uma licensa ou outra. Só tome cuidado com o uso de termos específicos da GSL.
  • Agora é possível tirar sua linha de produtos da GSL caso não queira mais trabalhar com a licensa. E o envio do termo de retirada ainda inclui um período de seis meses dentro dos quais você pode terminar de vender seus produtos da GSL previamente lançados. Um ótimo remédio caso a Wizards faça alguma mudança na licensa que você não aprove.
  • Foram adicionados ao SRD referências ao material do Player’s Handbook 2, Monster Manual 2 e Adventurer’s Vault. Mas é sempre bom lembrar: o SRD não é mais fonte de material gratuito, apenas apresenta o quê pode ser usado de referência e como.
  • A Wizards of the Coast pode cancelar a GSL a qualquer momento. Se isso vier a ocorrer, as editoras que assinaram a GSL deverão parar de publicar livros sob esta licensa e terão um período de seis meses para venderem os produtos que restaram.
  • A GSL não cobre sites. Ela é para empresas de RPG publicarem livros de RPG. Serão lançadas licensas separadas para sites e outros produtos (como cartas de poder).
  • Se a Wizards lançar algum elemento parecido com o seu, você não terá como competir legalmente com eles pelo direito de usar a sua versão. Entretanto, foi mencionado que neste tipo de caso há chances deles serem razoáveis e chegarem num acordo sem ir pelas vias legais (acredita quem quer).

No final, acho que esta reformulação foi um passo legal na direção de uma licensa mais interessante para ambos os lados. Ela não é a camisa de força que era em sua primeira encarnação, mas também não é mais o oba-oba que a OGL é. Segue bem a idéia de não ser mais uma fonte de material de RPG gratuito, tanto para jogadores quanto para empresas aproveitadoras que lançaram livros sem colocar nada de conteúdo próprio neles.
Para uma licensa gratuita de um jogo de sucesso, achei ela bem aceitável. Perfeita se você é uma empresa que deseja fazer livros suplementares ao Dungeons & Dragons 4ª Edição, que é o tipo de empresa para a qual eles querem dar suporte. Já se você é uma empresa que quer só pegar as coisas legais deles e fazer outro jogo, essa licensa definitivamente não é para você.
Pena que essa paranóia deles impediu a republicação de estatísticas na íntegra. O que impede a criação de aventuras que já venham com as fichas dos monstros para facilitar a vida do mestre (a menos que os monstros sejam todos inventados por você). Mas isso é só um inconveniente menor. O mesmo vale para NPCs: você não pode colocar poderes de classes e monstros na íntegra, apesar de poder especificar valores individuais dos poderes (como o bônus de ataque quando o personagem usa aquele poder).
Ainda assim, no geral, eu achei a licensa bem melhor do que eu imaginava. Só a possibilidade de aderir a ela e continuar com a OGL já é uma mão na roda.

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. rsemente disse:

    Essa revisão foi rápido. Deu uma afrouxada, ficou mais interessante, ainda guardo o trigo para Wizards, e um ponto positvo para ela.
    Resta saber se começaram a fazer jogos realmente bons com a GSL.

  2. A questão continua sendo, as editoras vão engolir essa licença agora?
    Eu ainda acho ela muito restritiva e a questão de que eles podem, a qualquer momento, cancelar a licença e tirar todo mundo da jogada (fato que eles poderiam muito bem fazer em uma futura nova versão do D&D, acabando com concorrentes como o atual Pathfinder RPG da Paizo) continua sendo meio assustador.
    A questão de ser impossível redefinir coisas “já definidas” também complica um pouco a adaptação em alguns casos. E se eu quiser alterar a forma que os pontos de vida funcionam, pra dar uma sensação mais real (como os pontos heróicos de Star Wars)? Será que eu posso fazer isso? Pelo jeito da licença, não seria possível fazer uma adaptação dessas sem quebrar a licença, o que é realmente muito chato.
    Mas vamos lá, eles já diminuiram um bocado as complicações, quem sabe as outras editoras finalmente se interessam e começam a produzir conteúdo de qualidade pra 4E também.

  3. Fabiano Neme disse:

    Sabe o que eu não gostei? É a parte do “Se a Wizards lançar algum elemento parecido com o seu, você não terá como competir legalmente com eles pelo direito de usar a sua versão.”
    Isso eu achei uma sacanagem.

  4. Tonho disse:

    Continuando o que o Fabiano diz acima… “Se a Wizards lançar algum elemento parecido com o seu, você não terá como competir legalmente com eles pelo direito de usar a sua versão.”
    Eles já roubaram duas idéias na caradura até o momento. Isso é cabuloso.
    E bem que podia rolar uma aberturazinha pra reproduzir fichas de monstro, né? Eles já tem patenteado alguns clássicos como o Mind FLayer e a Pantera Deslocadora mesmo!

  5. valberto disse:

    Continuo achando bastante restritiva…

  6. Shido disse:

    Afrouxaram a camisa de força — agora dá pra respirar (mas não pense que vai conseguir mexer muito os braços).

  7. Phil Souza disse:

    Continua na mesma.
    Talvez o grande problema aqui é que todos esperam uma licensa open oba-oba como a anterior e a visão da Wizard é diferente agora. Pior que todo mundo olha com cara feia pra isso. Eles fazem o que quiser com licensa, é deles ué.
    Alias, cadê o motel luxuoso de Leomund?

  8. Deain disse:

    É como a WotC já disse antes: Queremos que vocês ganhem dinheiro COM a gente, ou seja, a idéia é estimular editoras satélites que criem material de suporte.
    Para mim o maior motivo da GSL é que diferente de antes a WotC não pode mais garantir que tem os melhores game designers, já que a política da empresa afastou a maioria (como Monte Cook) e a OGL deu força para eles crescerem e fazerem frente a gigante.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: