Guia prático para blogs de RPG

Apesar do título meio pretensioso do post, não acho que sou alguma autoridade no assunto para dizer a vocês como devem criar ou tocar seus próprios blogs de RPG mas, também acho que tenho alguma experiência que posso compartilhar para ajudar quem está começando ou mesmo procurando uma mudança na maneira como encara sua rotina blogueira.

Para começar, vou contar o segredo que fez o .20 sair do nada em 5 de fevereiro de 2008 para se tornar o 9º site de RPG mais visitado do país, superando sites com muito mais tempo de estrada e apelo: trabalho. Pois é, sei que devem criar seus blogs como uma idéia de lazer ou coisa parecida mas, se querem ter sucesso (que para mim é ter muitas visitas e comentários) terão que encarar isto como trabalho. Como um pequeno empreendimento.

E um empreendimento tem três fases: planejamento, publicidade e trabalho duro.

O planejamento já começa pelo nome. Ok, não preciso ensinar como pensar num nome imponente e tal. Mas posso dar um conselho para atrair visitas dos blogrolls onde ele aparecer. Tente começar o nome do seu blog com as letras iniciais do alfabeto. Como a ordem dessas listas de links seguem essa sequência, isso lhe dá vantagem de sempre aparecer primeiro, porque acham que o nosso nome é .20 e não ponto20?

Apenas lembre: se não quiser ter um domínio com diferente do nome, pense em algo simples e fácil de lembrar ? evite nomes complicados e repetições de letras. Por exemplo: e rolando20.com.br são pequenos e fáceis de lembrar ? mas inominattus.com, apesar de ser um nome muito bacana, já me fez mais de uma vez errar o endereço quando vou mostrar algo no computador de um amigo por causa do maldito “t” adicional.

Escolheu um nome legal? Hora de pensar na próxima fase: os detalhes técnicos. Escolha um bom servidor e peça para instalarem uma plataforma de blog para você: de preferência o WordPress, é uma plataforma parruda e já é usada por boa parte da blogosfera RPGista, então se der algum problema não vai faltar gente para dar dicas sobre como arrumar na lista de blogs de RPG.

Feito isso, hora de escolher um tema. Você não precisa de algo personalizado e fodão. Apenas de algo que cumpra sua função. Seu blog vai ter muitos textos longos? Prefira um tema com uma área de texto mais larga e clara que facilite a leitura ? como a que usamos aqui no .20. Textos curtos? Que tal investir em espaço para imagens e encher os olhos do leitor? Existem milhares de temas prontos por aí, não é difícil achar um adequado ao que você precisa.

Com o blog já no ar e os primeiros posts saindo, comece a segunda fase: publicidade. Porque não adianta você ser o próximo Da Vinci se as pessoas só descobrirem seu trabalho depois de morto, certo? Para começar cadastre-se em todos os grandes agregadores de blogs: RPG.blogs, Lista Lúdica e RPG Brasil.

Em seguida, comece a pensar em um “marketing de guerrilha”, como o Marlon do Inominattus costuma chamar. Use grandes redes sociais como Orkut e Twitter para mandar ver nos links e na propaganda, mas não seja chato! Quando for abrir um tópico em alguma comunidade do Orkut, por exemplo, tenha certeza que aquele link interessa aos membros da comunidade. Tem uma notícia ou material legal para Pathfinder ou Tormenta? Vá fazer propaganda nas respectivas comunidades destes jogos.

No Twitter, você é mais livre para fazer o que quiser, já que apenas quem te segue vai ler o que você escreve. Mesmo assim, transformar seu Twitter num festival de links é meio chato, tente usar ele para conversar e manter uma relação legal com seus leitores. Acho que essa é a coisa mais legal a se fazer com o Twitter.

Se você estiver realmente animado com o blog e disposto a gastar uma graninha para promovê-lo, existem muitos livros por aí que custam menos de vinte reais e podem servir como prêmio para uma promoção do blog. Promoções são legais porque criam um elo físico entre o leitor e o blog ? é difícil esquecer do blog quando você usa o livro que ganhou dele na sua sessão semanal de RPG.

E então vem a parte mais difícil da publidade: SEO ? Search Engine Optimization. O Google e outros mecanismos de buscas olham para alguns lugares em específico da sua página quando da indexação e classificação dela, e é nestes aspectos que você deve se focar: cabeçalho, URL, título e texto. O WordPress tem um plugin específico para trocar a URL númerica clássica por uma repetição do título como a que usamos aqui. Instale o plugin All in One SEO Pack também, que ele cuida da maior parte do trabalho para você.

Dentro do SEO a parte mais espinhosa é usar corretamente as tags e as palavras-chave no texto. Por exemplo, o Google não gosta de repetição, e uma categoria conta como uma tag. Então nada de colocar a tag Reinos de Ferro se o post já está na categoria Reinos de Ferro. Já a repetição de palavras-chave é importante, mas não sacrifique a qualidade do texto só para ter uma certa palavra-chave aparecendo várias vezes. Deixe as coisas irem num ritmo mais ou menos natural por aqui ou você vai perder leitores.

A última parte desta minha receita do bolo não tem muito mistério: trabalho duro. Para ter muitas visitas, você precisa de um blog movimentado, tente manter um ritmo legal de postagens ? uma por dia é o ideal. Sem segredos ou truques, só trabalho.

Acho que é isso, talvez não tenha ajudado em nada, mas valeu a pena botar pra fora algumas das coisas que penso serem importantes para o sucesso de um blog. Lembrem-se do caminho para o sucesso: planejamento, publicidade e trabalho duro.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

12 Resultados

  1. Gun_Hazard disse:

    Seu Marqueteiro!
    🙂

  2. Elisa disse:

    Vou usar essas estratégias no Fábulas, quem sabe engate alguma coisa? Principalmente as de publicidade já que eu não faço nenhuma.

  3. Ótimo!
    Eu só acrecentaria uma coisa. Me procure no Pop Dice e mande um email, twitter, msn, orkut para que eu possa incluir o seu blog na próxima edição do POP RANK.
    Sempre vejo as pessoas descobrindo blogs novos por lá.

  4. Rey Ooze disse:

    Ah, agora eu já sei #comofas !!!!

  5. Daniel Anand disse:

    Muito bacana e sinceras as dicas do Nume. Acho que é bem nessa linha. Eu comecei o Rolando 20 apenas para ser o podcast, mas aí os posts começaram a aparecer, e vi que eu atingiria muito mais pessoas com texto que com áudio.
    Eu ainda levo o blog muito no hobby, embora eu tenha algumas metas, como posts diários, podcasts quinzenais e só postar conteúdo. Dificilmente vocês verão um post #mimimi no Rolando 20 (assim como aqui no .20). A gente também evita fazer posts pouco relacionadas a RPG, como memes e notícias pouco relatas.
    Mas o melhor resumo é trampo mesmo! 🙂

  6. Armageddon disse:

    Chuva de matérias explicando como criar blogs. É a terceira que vejo nesse estilo já =D
    Três observações só:
    “evite nomes complicados e repetições de letras.”
    H: O Google manda lembranças.
    “O WordPress tem um plugin específico para trocar a URL númerica clássica por uma repetição do título como a que usamos aqui. ”
    H: Se forem optar por isso, façam logo no começo do blog. A gente mudou depois de mais de quinhentas matérias no banco de dados e ele simplesmente enlouqueceu e perdemos tudo.
    E um conselho. Cada um faz o que quer, lógico, mas se o blog começa a te dar mais trabalho do que satisfação ou retorno, mandem tudo pro inferno.

  7. Tsu disse:

    Twitter é foda. Eu to resistindo ao máximo pra não usar. Perde muito tempo e vicia rs.

  8. Moreau do Bode disse:

    Vou usar esse artigo é na minha vida 😛

  9. valberto disse:

    Achei bacana, mas não vou usar o twitter – ainda.

  10. Oriahna Wolsung disse:

    Muito boa a matéria!
    Se há algo que posso dizer sobre isso, (não tenho um blog mas olho os sites e blogs dos outros) é que a minha atração pelo .20 é que está sempre atualizado, ou seja, sempre tem matéria nova, novidades e coisas maravilhosas…
    e fiquei muito chateada quando percebi que o site da DS está suuuper desatualizado… (ou talvez eu tenha perdido alguma coisa, já que retomei o mundo do RPG depois de um ano e meio afastada… quase 2…).
    Mas enfim…
    o que a .20 tem?
    inteligencia, intelectualidade e é super bacana… hauhauhau…
    (não tenho nem orkut nem msn, nem myspaces nem porr# nenhuma… sou jeca…)

  11. Tiago Lobo disse:

    Opa Nume, bacana o artigo. Mas eu discordo quando tu incentiva o povo a encarar blogs de RPG como um trabalho. Eu entendo teu ponto de vista, mas aprendi, depois de dar muito com a cabeça na parede, conversando com pessoas como o Valberto, CF e Tek todos blogueiros, que RPG é um hobby. E existe tanto espaço para blogs no país, pois as editoras não fazem o seu trabalho, suprindo a procura, também na internet.
    Então eu digo: RPG é lazer, a não ser que você tenha algum contrato e precise entregar originais para editoras em x dias, diagramar suplementos e etc. Querer trabalhar com RPG, hoje, sob o meu ponto de vista -extremamente mutável – é uma bobagem.
    Só existe uma forma, hoje, de viver de jogos de RPG: ser lojista ou editor.
    Abraços.

  12. Daniel R disse:

    No dia que eu conseguir ganhar dinheiro com o blog eu encaro ele como trabalho. Já tenho a agência e os freelas pra me matar =D

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: