PBEM – Como Jogar I

Primeira lição – Que tosquice é essa?

Play by e-mail, que no bom e velho português seria “Jogar por correio eletrônico” é exatamente isso: rolar uma aventura ou campanha de RPG (ou não) através de correio eletrônico, o nosso tão conhecido e-mail. O mestre do jogo escreve um trecho de uma pequena aventura que pode ser parte de uma campanha maior ou não e envia para os outros participantes. Eles por sua vez respondem dizendo o que seus personagens irão fazer.

Legal né?

“Não!” grita aquele rpgista cheio de dúvidas incrédulo, que não pode faltar em uma matéria de RPG que se preze.

Tudo bem, concordo que a primeira vista pode parecer estranho. Uma aventura pequena sendo jogada desta forma pode levar meses para ser concluída, e o resultado de suas ações leva, pelo menos, uns três dias para ser respondida, isso nos jogos mais dinâmicos. Mas as possibilidades de um bom PBEM são infinitas. Com um mestre criativo e jogadores participativos, verdadeiros épicos podem ser rolados sem sair da frente do seu micro, nas horas de folga ou naquela escapadinha rápida do serviço.

Além disso, esse tipo de jogo permite que aquele adepto ferrenho do hobby que vive num sítio em Timbó ou que não tem tempo no fim de semana para jogar não se afaste completamente do seu passatempo predileto, mantendo assim acesa a chama do RPG que queima em sua alma! (Achou dramático demais? É porque não é você que vive no sítio em Timbó!)

E isso funciona mesmo?

Bem, senhor rpgista em dúvida, a questão é: o mestre e os jogadores vão fazer funcionar? Falando estatisticamente mais ou menos (ou seja, chutando alto sem base de pesquisa nenhuma) mais da metade dos jogos acaba por desaparecimento do mestre, e outros tantos por cento por falta de jogadores. E isso é ainda mais verdade em campanhas longas. Como na mesa de jogo, se o mestre não se renova e mantém um ritmo interessante, os jogadores começam a sumir.

Então, para evitar que desculpas como “minha placa mãe queimou” ou “cortaram minha net” comecem a surgir, vamos transformar o seu PBEM na campanha épica que irá acompanhar os sonhos dos seus jogadores por muitos e muitos anos. Passo a passo, garimpando idéias e trazendo a tona vários dos muitos questionamentos daqueles que até já ouviram falar desse negócio de jogar por e-mail, mas nunca viram o resultado na prática realmente, até chegarmos ao ápice da evolução rpgistica via web, ou seja, eu.

Você está tirando uma com a minha cara não é?

Sim, claro que estou. Este que vos dirige alguns vocábulos está longe de saber tudo. Por isso a sua participação é importantíssima, com dicas e exemplos de suas próprias experiências, sejam elas na telinha do micro ou atrás do escudo do mestre. Dúvidas, questionamentos, criticas construtivas ou um simples “esta é a coisa mais idiota que eu já li na Rede” são bem vindos.

Afinal, estamos aqui pra isso.

Na próxima semana (4a feira): Segunda lição – Por onde eu começo?

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Kaidre disse:

    Armageddon, não sei se vai ajudar, mas aqui vai um link que talvez dê algumas ideias do que escrever.
    http://www.flogao.com.br/inufofo/128301750

    • Armageddon disse:

      Opa, vou ler sim! Essa matéria na verdade é beeeem antiga, escrevi em 2005. Por algum motivo, a primeira parte da série não constava aqui no RPGIsta, por isso republiquei =)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: