Projeto Meliny

Neste primeiro post do blog, pretendo explicar um pouco do que foi (ou ainda é) Meliny para algum leitor casual que acabe nos encontrando e se interesse em voltar tantas páginas até o princípio de nossa saga.  Se após saber de tudo o que há para saber sobre a odisséia criativa deste mundo desde seu [...]

Neste primeiro arquivo, pretendo explicar um pouco do que é o Projeto Meliny para algum leitor casual que acabe nos encontrando e se interesse em voltar tantas páginas até o princípio de nossa saga.  Se após saber de tudo o que há para saber sobre a odisseia criativa deste mundo desde seu tenro início até o momento atual e desejar deixar aqui um comentário, agradeço.

Resumidamente, Meliny surgiu em 2001, eu a conheci em 2004 e creio que posso dizer que ela encontrou seu fim em meados de 2007. Após isto, arrastou-se ainda por mais dois anos, até a data atual, quando enfim sobraram  tão poucos de nós por detrás dos teclados que posso considerar o trabalho como feito, ainda que não concluído.

Originalmente, o mundo de Meliny seria apenas um segundo continente para Arton, o cenário de Tormenta (atualmente publicado pela Jambô Editora). Surgiu inicialmente na já extinta 3D&T Underground, sendo comentada ainda na também praticamente extinta Lista Tormenta, de onde migraram boa parte de seus idealizadores originais. Estes, empolgados com a possibilidade de desenvolverem muita coisa, acabaram lotando a primeira lista com assuntos que acabaram sendo considerados Off-Topic (pois Meliny, à priori, não era exatamente Arton).

Criaram então uma lista de discussão própria, a Under_Arton, que foi a principal morada de Meliny até os confins de 2004, o ano em que migramos (aqui eu já fazia parte do grupo) para o Multiply. Foi ainda no Yahoo que surgiram quero crer os principais motivos para que Meliny tenha alcançado a autonomia quanto cenário, e que também tenha durado tantos anos: os PBEM’s da Saga do Demônio Interior mestrada pelo Capitão (hoje Doutor) Hardman e a bem mais modesta Saga de Deanor, narrada por mim. Ambos os jogos também migraram para o Multiply, mas foram decisivos para manter o interesse nos reinos e histórias de Meliny por mais alguns anos.

Porém, a força de Meliny também era sua fraqueza. Os autores gostavam demais do cenário, ao ponto de discutirem (e discutirem feio) sobre aspectos gerais do mundo, ou sobre alguns detalhes que apesar de serem a menina dos olhos de uns, eram no mínimo questionados por outros. E estes questionamentos acabavam volta e meia em discussões acaloradas, que inevitavelmente minavam tanto com a vontade de escrever para o lugar quanto geravam um eterno retrocesso e retrabalho de artigos antigos. Era um eterno “reescrever a origem de Meliny”.

Como comentei antes, os PBEM’s no entanto continuavam seguindo em frente, então no fim das contas todos continuávamos aqui. Isto começou a mudar com o fim da Saga do Demônio Interior em 2006, deixando apenas Deanor como sendo a âncora in game final de ligação dos autores com o cenário. Assim, desde então, quando Deanor passa por um período de especial lentidão (a maior de todas vivida atualmente), toda Meliny para de girar.

Foi tentando mudar isto que resolvi compilar tudo o que criamos aos poucos aqui no RPGista, revisando (de novo) os textos numa versão Ultimate, a última discutida por todos os autores para descobrir o quão longe já chegamos, e o quanto falta para completarmos de vez a criação deste cenário que demandou tanto tempo e esforço por parte de todos os envolvidos. E vocês também podem acompanhar as novidades através da nossa página no facebook.

Quem sabe alguma coisa de bom sai daqui?

Eu espero realmente que sim.

Marlon Teske “Armageddon

About Marlon Teske

Marlon "Armageddon" Teske é de Timbó, Santa Catarina, onde vive isolado do resto do mundo traçando planos de conquista enquanto cursa uma faculdade de regente do universo por correspondência.