Sem Talento: prólogo e capítulo 1

Depois de hibernar durante os últimos dois meses aqui no RPGista, o velho Nume de guerra ressurge das cinzas! E o que eu estive fazendo nesse meio tempo? Tratamento médico, e muita, muita leitura de light novels orientais traduzidas para o inglês (farei algumas resenhas das minhas favoritas nos próximos dias, aguardem!). Como escrevo sobre o que me interessa, acabei ficando com vontade de ter minha própria web novel descompromissada nos moldes dessas light novels. E o resultado é Sem Talento, uma história sobre um cara tremendamente azarado tentando sobreviver sem ter qualquer talento num mundo de magia, dragões e guerreiros com superforça! Sem mais delongas, fiquem com o prólogo e primeiro capítulo da história!
Prólogo
Histórias de reencarnação são incomuns no ocidente, então algumas explicações são necessárias. Nossa noção judaico-cristã é que você morre e vai para o céu ou o inferno, dependendo dos seus atos na sua vida. No oriente existe o conceito do carma e reencarnação. Basicamente, dependendo dos atos, em vez de ir para um plano superior, como o céu, ou inferior, como o inferno, você reencarna em um novo corpo e vive uma nova vida. Se você foi uma pessoa que acumulou carma bom, o universo te dá melhores condições de vida, se você acumulou carma ruim, suas condições de vida pioram e você pode até reencarnar como outra coisa que não um ser humano.
Claro que as coisas são mais complexas do que isto, minha explicação provavelmente está cheia de erros e detalhes importantes foram deixados de lado. Mas porque estou falando disto?
Veja bem, aconteceram algumas coisas e para resumir, eu morri. E acho que alguém mais sábio do que eu uma vez disse que o caminho do meio é na maior parte das vezes o mais próximo da verdade. Então, agora que estou morto, posso dizer com toda a certeza que nem o ocidente nem o oriente estão completamente certos ou completamente errados. Existem lugares que você pode chamar de céu e inferno, mas é muito, muito difícil chegar lá e normalmente sua alma vai para diferentes planos de existência que são melhores ou piores dependendo das suas ações na vida anterior.
Além disso, é óbvio que memórias de vidas anteriores não se mantêm. Elas são apagadas e em compensação essas experiências são transformadas no que nós conhecemos por talento. Quanto mais vezes a sua alma adquire habilidades nas suas vidas passadas, maior é o seu talento nestas habilidades. Então grandes nomes da história são pessoas cujas almas passaram por um longo processo de especialização através de múltiplas encarnações para que o talento se tornasse de nível mundial.
Tudo isto me foi explicado por alguém que, apesar de certamente ter um bom coração, possui uma cabeça de vento que poderia alimentar o mundo com energia eólica. Mariel é a anjo responsável pela minha reencarnação, apesar de ter feito um bom trabalho em me explicar todo tipo de coisa para me deixar mais tranquilo com todo o processo, ela pulou um passo muito importante: não apagou minhas memórias. Por isto, eu, reencarnado como Glenn, de uma família de colonos em um mundo fantástico com dragões e magia, mantive as memórias da minha vida passada. Isto seria uma boa notícia, exceto que também significa que eu não tenho nenhum talento.
Capítulo 1: Morte e reencarnação
Morrer não foi muito difícil. Um segundo de desatenção no trânsito e um carro cortou o caminho da minha moto. A queda me custou alguns ossos quebrados. Nada de novo para um motoqueiro experiente, mas, sendo uma via movimentada, em segundos minha cabeça foi esmagada por um caminhão. Um fim esperado para alguém acostumado a uma vida de dificuldades.
Minha família não era especialmente pobre quando eu nasci. Meu pai tinha um emprego razoável e deu conta de colocar dois dos meus irmãos na faculdade. Quando eu tinha uns dez anos, no entanto, minha mãe descobriu que ele a estava traindo e o colocou para fora de casa. A partir daí, as coisas ficaram muito mais difíceis.
Minha mãe passava o maior tempo fora de casa em empregos que simplesmente não pagavam o bastante para nos manter e caçando um novo marido em bailes e bares. Obviamente, o pior lugar possível para se encontrar um novo marido é em bailes e bares. Nem preciso dizer o que aconteceu depois disto. Com um ambiente tóxico em casa e falta de dinheiro crônica, fiz o que podia fazer e encontrei um emprego numa oficina mecânica aos doze anos. Com quatorze anos, mudei de emprego e me tornei um garçom numa lanchonete, e quando meu corpo estava grande o bastante para alcançar o chão em cima de uma moto, aprendi a dirigir e me tornei um motoboy, porque assim podia ganhar mais dinheiro. Uma vida extremamente ordinária, mas eu não tinha desistido dos meus sonhos.
Desde pequeno eu adorava histórias. A paixão começou com a televisão, onde as histórias simples dos desenhos animados abriram o caminho para histórias mais complexas em histórias em quadrinhos, filmes e até que ocasionalmente encontrei os livros da biblioteca da escola por volta da sexta série. Quando minha situação familiar se complicou, as histórias contidas em livros e histórias se tornaram o meu refúgio contra a dor e a infelicidade. Histórias eram minha força, minha luz no fim do túnel, aquilo que dava sentido para a minha vida. Foi apenas natural então que meu sonho fosse me tornar um escritor e criar histórias que também trouxessem felicidade para outras pessoas.
Não foi uma estrada fácil, sem dinheiro para uma educação de qualidade e sem contatos no ramo, era praticamente impossível. Eventualmente, no entanto, consegui publicar alguns livros por uma editora menor. O dinheiro não era o bastante para sobreviver daquilo, e meu trabalho como motoboy continuou durante dez anos da minha vida adulta para pagar as contas no fim do mês. Mas eu estava feliz, pois meu sonho era me tornar um escritor e trazer felicidade para as pessoas, e qualquer ilusão de que alguém como eu poderia se tornar um escritor famoso nunca passou pela minha cabeça. E aí um dia eu morri.
***
Quando recobrei a consciência, imediatamente soube que estava morto e tinha ido para o céu. A primeira dica foi a minha última memória antes de chegar aqui, a roda do caminhão atingindo a minha cabeça. Minha mente sabia muito bem que era praticamente impossível sobreviver naquela situação. O que me levou para a segunda dica. Mesmo que por um milagre conseguisse sobreviver a algumas toneladas de peso esmagando meu crânio, eu acordaria em uma cama de hospital com meu corpo completamente quebrado pelo acidente. Mas meus braços e pernas estavam em excelentes condições e não havia sinal de dor. A terceira e derradeira dica é que havia um anjo sorrindo para mim.
Pensando em retrospecto, a primeira e a segunda dicas são irrelevantes em comparação com a terceira, mas foi nessa ordem que meus pensamentos seguiram naquele momento. Talvez Mariel não seja a única cabeça de vento nessa história.
? Ah, eu morri – eu disse estupidamente depois de suspirar profundamente e fechar os olhos.
? Algum arrependimento?
Eu abri meus olhos e a encarei. Era exatamente como nas imagens que vi na escola dominical antes de começar a trabalhar. Asas, auréola, roupas brancas, cabelos loiros e olhos azuis, beleza incrível, todo o conjunto angelical. A única diferença é que ela era uma mulher.
? Heh, não. Eu fiz o melhor que pude e mesmo que por pouco tempo, realizei o meu sonho. Mas olhando para você agora, acho que não devia ter usado o ditado “discutir o sexo dos anjos”, não é mesmo?
? Ah, sim. Hehehe. É um dos muitos pontos que vocês entenderam errado sobre a natureza do universo. Antes que me esqueça, meu nome é Mariel ? ela me informou com um sorriso.
Um anjo pode esquecer coisas? Yeap. Mas na época achei que fosse só uma brincadeira para me deixar à vontade depois de morrer de repente. Em vez de perguntar sobre isso, comecei a prestar atenção onde nós estávamos. Aparentemente, em lugar nenhum. Era um vazio feito de alguma coisa branca, e a sensação de estar pisando em algo sólido não existia, mas ao mesmo tempo não havia a sensação de estar caindo. Quando tentei dar um passo, consegui me mover nesse espaço, mas não senti aquela força do chão contra a sola do pé. Imaginei que devia ser porque eu era atualmente apenas uma alma, e não um corpo físico, e por isso a ideia de me movimentar é que importava, e não atualmente mover minhas pernas. Testei imaginar o movimento e consegui fazer meu corpo flutuar na direção que quis.
? Oh, você aprende rápido. Como esperado de alguém que já foi um cientista ? Mariel comentou observando eu me adaptar a esse corpo espiritual.
? Huh? ? Minha cara deve ter sido realmente estúpida nesse momento ? Eu fui um escritor, e trabalhei como motoboy, garçom e mecânico para pagar as contas, mas nunca fui um cientista.
? Sim, sim. Eu quis dizer que você foi um cientista numa vida passada em outro mundo, por isto a sua encarnação atual possui um pouco de natureza inquisitiva e talento para as ciências em geral.
? Oh, ok, então vidas passadas existem? Espera. Espera. Explica isso direito. Você disse “outro mundo”, certo? Existe mais de uma Terra? Tipo realidades paralelas? Se sim, tem uma onde eu sou um super-herói?
Você pode mesmo me culpar por ficar excitado com a ideia? Eu passei a maior parte do ensino básico e começo do ensino médio fantasiando que um dia ia ganhar superpoderes e viver uma vida como a do Homem-Aranha, indo para a escola de manhã, salvando o mundo à tarde e trabalhando de noite para pagar as contas no final do mês.
? Hmm… Não ? e mais uma vez minhas desilusões adolescentes foram destruídas. Isso é cruel, não dê esperanças a um sonhador só para esmagar elas no momento seguinte, Mariel! ? Só existe uma Terra, e só existe um de você no universo. Cada alma é única e não pode existir em dois lugares ao mesmo tempo. Mas é verdade que existem outras realidades além da que você conhece. Trilhões delas, na verdade, cada uma delas única e povoada por almas que também são únicas. Ah, e apesar de você nunca ter sido um super-herói, em uma vida passada você foi um arqueiro incrível que se tornou um herói do povo. Se você tivesse usado o arco nessa última encarnação, seu talento seria o bastante para ter se tornado um medalhista olímpico.
? Eita! Esse é um monte de informação de uma vez só. Heheh, arqueiro herói do povo, hein? Tipo um Robin Hood? Tão legal! ? No meu coração, eu a perdoei por ter esmagado minhas esperanças anteriormente ? Mas ei, Mariel, essa já é a segunda vez que você fala de talentorelacionado com minhas vidas passadas. Como é que funciona isto?
Ela colocou um dedo no queixo e pensou por alguns segundos antes de responder.
? Hmm… Certo, quando você passa pelo processo de reencarnação, um dos passos é que a sua memória é apagada e convertida em talentos para as atividades que você desenvolveu nas vidas passadas, e então adicionadas como uma espécie de memória muscular da sua alma. Se você passar várias vidas em determinada atividade, como um pintor ou soldado, você pode desenvolver um talento enorme para essas coisas.
? Então é assim que caras como Da Vinci e Alexandre, o Grande acontecem, hein?
? Esses são…? ? Ela estreitou os olhos cheios de dúvida. “Certo” ? pensei, ? “anjos não são oniscientes, e ela comentou que existem trilhões de mundos diferentes, é demais esperar que ela saiba de detalhes históricos da Terra”.
? São um grande artista e um grande general da história da Terra, respectivamente, com feitos que marcaram o mundo por séculos e milênios depois da morte deles. Então, dessa vez, como me dediquei a escrever e trabalhei como motoboy a maior parte da minha vida, vou adicionar um pouco de talento para escrever e pilotar motos na minha alma, certo?
? Sim! Você também vai adicionar um enorme talento para perseverança contra adversidades na sua futura personalidade ? Mariel me respondeu com um sorriso. Mas essa última parte não me faz muito feliz, é como desenvolver resistência contra a dor através de experiências dolorosas. Obrigado, mas não, obrigado.
? Bom, e o que acontece a partir daqui? Eu vou reencarnar de volta na Terra ou em outro mundo? Se minha opinião contar para alguma coisa, prefiro algum lugar com magia ou superpoderes, se é que eles existem ? e as minhas desilusões adolescentes ressurgiram!
? Heheheh, quão afortunadas são suas condições ao nascer dependem do seu carma acumulado, mas eu posso fazer você renascer num mundo com magia e cheio de coisas fantásticas. Ok! Considere um presente para comemorar meu primeiro dia no trabalho! ? ela declarou com uma atitude feliz.
? Eh?! Primeiro dia de trabalho? Hã, quer dizer, parabéns! ? Eu fiquei confuso por um momento, mas no fim lembrei-me de demonstrar cortesia própria para a situação ? E obrigado pelo presente. Mas existe algo como empregos no céu?
? Ah, mais ou menos, eu sou como você: uma alma reencarnada. Se você acumular muito carma positivo através das suas múltiplas vidas, você pode se tornar um anjo como eu ? ela colocou a mão no peito, obviamente orgulhosa. Mariel, orgulho é um dos sete pecados capitais, você vai acabar sendo expulsa do céu assim! ? Como eu acabei de ascender, você é a primeira pessoa que ajudo a passar pelo processo de reencarnação.
? Oh, isso é incrível! Parabéns por ascender como um anjo, Mariel! ? Ela é uma boa garota, até vai me ajudar a ir para um mundo legal com magia e superpoderes, então essa quantidade de elogios é algo que ela merece. Chega de tédio no dia a dia, agora vou poder presenciar histórias legais se desenrolando o tempo todo. Yay!
? Heheh! Ok, vamos começar o processo de reencarnação! Se prepare para uma nova vida! ? as asas dela se moverem para cima e para baixo em resposta a empolgação.
? É isso aí! Irá!
Em retrospecto, toda essa empolgação só podia ser um sinal de que alguma coisa ia dar errado.
***
A primeira luz que tocou meus olhos foi a de algumas velas espalhadas pelo quarto. Apesar de elas só adicionarem uma iluminação leve, eu podia ver claramente na penumbra, embora fosse muito difícil diferenciar cores nesta situação. Um rosto firme e másculo, com barba levemente por fazer, sorria para mim e dizia algo que eu não conseguia entender. Será que esse é meu pai? Ele parece humano. Tentei mexer meus braços e pernas, e confirmei que eles estavam ali, mas eles não me obedeciam direito.
Meu pai me colocou nos braços de uma mulher deitada na cama, será minha mãe? O rosto dela é lindo! Eh?! Opa, opa, opa! Que orelhas compridas são essas? Traços delicados, orelhas compridas, isso é uma elfa! Elfa! Parabéns, papai, você casou com uma elfa! Espera, isso quer dizer então que sou um meio-elfo? Uma paixão inter-espécies? Heheheh, essa deve ser uma grande história. Mal posso esperar para crescer e ouvir ela de vocês, papai, mamãe! Heheheh.
Eh?
Espera, porque eu me lembro de tudo isto? Mariel, a minha memória não deveria ter sido apagada? Hã? Quê? Ei!? Mariel, você está aí?
Como se respondendo as minhas indagações mentais, o tempo parou e meus pais ficaram congelados com a mesma expressão feliz pelo filho recém-nascido. Num canto da sala, irradiando luz sagrada numa cena incrível, estava Mariel. O rosto era o de alguém que parecia que iria chorar a qualquer momento.
? Me desculpa, ? ela disse caindo no choro ? eu fiz besteira.
Um anjo chorando na frente de um recém-nascido que mantém uma cara séria é algo tão absurdo que duvido que já tenha acontecido em qualquer um dos trilhões de mundos paralelos que existem no universo.
P.S.: Roubei a imagem daqui, aceito ajuda pra fazer uma imagem de header pra história. Beijos, me liga.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: