Primal: o apocalipse primata fastplay

Quando eu era criança, existia um filme de terror que me gerava um medo quase inumano. Não era Sexta-Feira 13, nem A Hora do Espanto ou Poltergeist. Era muito algo muito mais sinistro, coerente e primitivo: era Planeta dos Macacos. Esse retrato da impotência humana e da destruição do nosso futuro me davam um medo desgraçado, e até hoje sou assombrado por aquela cena dos macacos sobre cavalos caçando humanos na savana.
Mas nada como um pouco de interpretação catártica para exorcizar a gente desse tipo de coisa. E daí veio a ideia de construir um RPG simples com essa temática, inspirado em coisas bacanas como o Shotgun Diaries e o Lasers & Feelings, que são simples para serem jogados a qualquer momento, sem muita preparação ou recursos. Como a base do cenário é do homem lutando contra um novo rival num duelo entre razão e natureza, tive a ideia de criar um atributo “apostável” chamado de instinto: quanto mais usado, mais chances de vencer um teste, mas mais próximo se ficava do próprio lado primitivo. Assim, dá pra criar uma tensão básica durante a rolagem atrelada com o tema de selvageria.
Além dos Pontos de Instinto, o personagem também conta com Características, que dão bônus em situações onde forem aplicáveis. Tudo isso, somado ao resultado de um dado, precisa ser maior que 10, a dificuldade-padrão. Ou seja, simples o suficiente para ser jogado em qualquer lugar.
Inicialmente o projeto era criar algo jogável com tampinhas de garrafa e outros cacarecos, onde se contaria os sucessos de cada uma, mas decidi trocar pela mecânica básica de 1d6 pra deixar as rolagens mais rápidas. Afinal de contas, no mundo primitivo não existe lugar para análises e cálculos complexos. Agora chega de conversa. Aqui os links para download:

Quem quiser conhecer, aí estão os links para download. E não se esqueça de comentar suas impressões e dar um feedback se jogar com ele. E lembre-se: trate bem aqueles símios do zoológico, porque amanhã um deles pode ser o seu opressor.
Apes-1

Imagens: cenas de Planeta dos Macacos (1968), 20th Century Fox.

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. guggawitze disse:

    Achei o sistema bem interessante, apesar de não me interessar pelo tema. Teve algum playtest isso? Esse método do conseguir XP me parece muito ao acaso!

    • Ásbel disse:

      Oi, Gugga. Valeu o comentário!
      A ideia do sistema é ser simples o suficiente para ser jogado com um dado e sem nenhum livro de regras à mão. A única coisa além do básico dado+estatística são os Pontos de Instinto, pra colocar um pouco de administração de recursos.
      Infelizmente não consegui testar ainda, por isso acho que algumas coisas ainda poderiam ser refinadas com o tempo (principalmente quanto ao valor da dificuldade padrão).
      Sobre os XPs: como o jogo se baseia em resolver cenas e não desafios particulares, não é possível conceder experiência ao vencer inimigos e coisas assim. A ideia de dar pontos conforme o resultado do dado se baseia no fato de que só pode ganhar XP quem rola o dado e ó rola o dado quem se coloca em perigo, além de um toque de aleatoriedade pra deixar as coisas mais empolgantes. Mas nada impede de deixar para premiar os jogadores no fim de partidas ou após eventos importantes.

  2. Phil Souza disse:

    Oi Asbél, boa pedida, nem li sobre o tema ainda, mas quem lê o livro planeta dos macacos (e veja só, nem falo dos filmes) sente uma atmosfera de terror tremenda, a cena em que os macacos empilham corpos de humanos em uma caçada tem um tom assustador (possívelmente a cena da savana que você cita no texto é desse momento). Se não leu o livro leia, pode te dar ainda mais material e idéias.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: