O Segredo de Niebling

Oh, olá, aventureiro! É sempre bom encontrar um de vocês em uma humilde estalagem como esta. Venha, me pague uma cerveja e podemos conversar. O que procuras por este lado […]

Oh, olá, aventureiro! É sempre bom encontrar um de vocês em uma humilde estalagem como esta. Venha, me pague uma cerveja e podemos conversar. O que procuras por este lado do reino? Tesouros imensuráveis? Masmorras desafiadoras? Monstros assustadores? Conheço todos, e muito mais.

Não, espere! Não vá embora ainda. Veja, veja, eu conheço outras histórias interessantes. Que tal uma sobre o Palácio Imperial? Se interessou, hein? Ah, agora sim, acho que podemos falar como homens de verdade.

Pois bem. Já deve ter ouvido falar no Lorde Niebling, não? Aquele… Como é que eles chamam mesmo? Gnomo, é isso? Bem, pra mim é só um halfling especialmente feio. Mas você sabe quem é, aquele senhor de estatura desfavorecida que projetou as escadas mecânicas que nos levam até Vectora quando a cidade voadora está sob o nosso céu. Muitos julgavam o nosso antigo Rei-Imperador Thormy um tolo por mantê-lo sob o seu teto e não aproveitar as suas habilidades especiais contra seus inimigos. Os minotauros vieram, tomaram a cidade, levaram-no prisioneiro, e o que foi pedido do inventor? Nada!

Bem, na verdade, ele não foi tão tolo assim. Logo que o exército invasor começou a se aproximar, o Rei-Imperador chamou o gnomo para uma audiência secreta, em que solicitou que ele planejasse e construísse alguma máquina que ajudasse na defesa do Palácio Imperial.

O quê? Como eu sei que essa audiência aconteceu, se ela foi secreta? Ora, você me subestima! O seu negócio é balançar espadas e matar monstros, o meu é ouvir e recontar histórias. Confie em mim, meu caro, se eu estou lhe contando isso, é porque realmente aconteceu.

Em todo caso, Lorde Niebling entendeu a gravidade da situação e pôs-se a trabalhar no seu plano secreto de defesa. Conversei com muitos guardas do Palácio na época, que me falavam sobre como ele passava por todos os corredores desenhando coisas em uma prancheta, fazendo perguntas e anotações sobre a estrutura das paredes, dos pilares, do próprio chão!

E então vieram os barulhos – marteladas, correntes se arrastando e outros sons indescritíveis, que varriam as noites e mantinham todos acordados e apreensivos. Quem olhasse para o Palácio nestes dias podia ver pessoas carregando pilhas de equipamentos e materiais pelos muros, e algumas vezes, dizia-se, até coisas mais insólitas como torres inteiras se movendo, trocando de posição, aumentando e diminuindo a sua altura. Algumas vezes, eu lhe digo, chegava-se a se pensar que o próprio Palácio se levantaria e começaria a andar como um gigante!

E no que isso tudo resultou? Ninguém sabe, realmente. Apesar de todo o trabalho, a máquina que Niebling estava projetando nunca foi usada. Uns dizem mesmo que ele nunca a terminou; outros, que o Rei-Imperador ficou tão assustado com o resultado que se recusou a usá-la contra os invasores. Acho que nunca saberemos com certeza.

Mas às vezes, e isso eu lhe juro por todo o amor que nossa mãe Valkaria possui pela humanidade, quando eu me pego observando o Palácio à noite e pensando no assunto, quase acho que possui outro formato que não o de torres e muros, e que na verdade estou olhando para um monstro…

Impressionante, não?

Mas e aí? Gostou da história? Acho que ela vale pelo menos mais uma cerveja, não?

About BURP

Buenas, sou Bruno Schlatter, conhecido por alguns como BURP. Sou gremista, gaúcho, professor de História, RPGista, HQéfilo, gamemaníaco, anarquista desencantado, guitarrista frustrado, blueseiro apaixonado, leitor obsessivo, pseudo-escritor amador e outras coisas menos interessantes.