Minhas compras na RPGCon

Hollowfaust, meu primeiro livro físico em inglês

RPGCon é para reencontrar os amigos distantes do RPG, conhecer autores, pegar autógrafos, e, principalmente, comprar como um adoidado nos estandes da Feira de RPG Independente, Feira de Usados e nos estandes comerciais! Minha mochila voltou recheada com cerca de R$ 200,00 de livros e tranqueiras de RPG este ano. Detalhe: quase perdi tudo porque esqueci a mochila no carro do Bruno Peres, que deu uma carona pra galera no domingo! Então, vamos dar uma olhada no que comprei no evento este ano?

Crônicas da Tormenta: lançamento do evento junto com o Mecha & Mangá (que não comprei), tem três contos do pessoal do .20 (Teopatia e O Rouxinol e os Espinhos do Remo e Ária Noturna do Armageddon). Pelo que li até agora, valeu cada centavo (especialmente para ver o Khalmyr trollar o Tauron no conto de abertura).

Mamute #2: lançamento do pessoal da Secular Games na RPGCon, li quase todo o fanzine no ônibus para casa e é espetacular. Destaque para o artigo sobre jogos de super-heróis do Tiago Marinho, a Perfumaria do colega Remo e para o jogo-encarte Cthulhu: Tora! Tora! Tora!, um joguinho de estratégia com Cthulhu contra kamikazes (!) que é do caralho.

Violentina: só dez cópias do playteste deste jogo foram vendidas no evento (em pouco menos de 2 horas), e se você não pegou uma delas, com certeza tem que estar arrependido neste momento. Violentina é baseado em filmes de ultra-violência, como Kill Bill, Planeta Terror, Machete e outros filmes de Tarantino e Robert Rodriguez.

Saquinho de Dados e broche do 3:16, Carnificina Entre as Estrelas: o mais foda é o broche (de Brigadeiro) do 3:16, que você pode colocar na camisa e sair por aí like a boss.

Monstros RPG: clássico dos anos 90, um dos primeiros RPGs nacionais, e um dos mais interessantes à época, em Monstros você toma o papel do outro lado e controla os monstros das histórias de RPG. Ainda está no saquinho da Feira de Usados, mas está no topo da minha lista de leitura.

Old Dragon + Kit de Miniaturas (Orcs): nem toquei ainda no livro e nas miniaturas, mas ambos parecem fodas, e tem até bolsa exclusiva da RedBox com flyer bonitão.

Hollowfaust, City of Necromancers: acho que meu primeiro livro físico em inglês de RPG, é um livrão de 134 páginas do selo Sword & Sorcery descrevendo uma cidade governada por necromantes e defendida por um exército de mortos-vivos. E na capa tem um cara de chapéu usando um sabre de luz. Foda.

Fiasco + camiseta: lançamento da Retropunk no evento, é um jogo inspirado em filmes onde tudo dá errado, mas o que chamou mesmo a atenção no evento foi a camiseta megafodona do jogo. Me pararam umas três vezes para perguntar onde tinha comprado ou se ia sair mais delas para venda no site da editora!

Bottons da Secular: um show à parte, fizeram um baixa sucesso no evento, comprei seis deles e dei um de presente pro Remo (o do hippie narrativista, claro). Meu preferido foi o vermelho com “Eu confio no meu THAC0”.

About Nume Finório

João Paulo Francisconi, entre outras enormes perdas de tempo, é blogueiro há dez anos, escreveu para a finada Dragon Slayer, publicou alguns livros de RPG e assistiu quatro episódios de Punho de Ferro.