Freezing 3D&T

As heroínas. Vou logo avisando que é melhor jogar de mulher.

Em um futuro mais ou menos próximo, a vida na Terra corre normal. A tecnologia avançou, afetando as mais diversas áreas, principalmente as da saúde, como biomedicina e genética. Mas algo não esperado mudou o rumo da civilização: os Nova.

Além de serem alienígenas de uma dimensão anômala que chegaram a Terra para trazer a destruição, pouco se sabe sobre os Nova. São criaturas enormes, com formas variadas, todas se assemelhando vagamente ao corpo de uma mulher. As habilidades de um Nova são variadas — desde grande força, até a capacidade de disparar lasers gigantes — e todas causam destruição em massa. Armas comuns são inúteis contra eles. Apenas um pequeno punhado de pessoas pode combatê-los.

As Pandoras, guerreiras especializadas no combate contra Nova, e os Limiters, seus perceiros capazes de anular o campo de Freezing de um Nova.

Freezing é um mangá japonês escrito e ilustrado respectivamente por Dall-Young Lim e Kwang-Hyun Kim, famosos criadores de manhwa (como é chamado o mangá lá na Coreia), em 2007. Em 2010, a história também recebeu uma adaptação para anime (ruim na minha opção, veja a quantidade exagerada de fanservice!). A história trata a respeito da invasão de alienígenas conhecidos como Nova. A defesa? Garotas geneticamente modificadas chamadas de Pandoras e seus parceiros chamados de Limiters. O enredo em si é centrado nos personagens Kazuya Aoi, um Limiter cuja irmã mais velha era uma Pandora de grande poder, e também em Satellizer el Bridget, uma Pandora com uma fria personalidade que ficou conhecida como a “Rainha Intocável”, em razão de uma forte afefobia (medo ou repulsão a ser tocado, sexualmente ou não). Os dois fazem parte de uma academia dedicada ao treinamento de Pandoras e Limiters, chamada West Genetics Academy.

E então, achou a história parecida com alguma outra anterior? Eu, particularmente, acho que Freezing lembra muito Neon Genesis Evangelion e Claymore em uma só história: alienígenas — cuja origem é desconhecida e sobrenatural, mas que possuem uma estranha ligação com os humanos — que são combatidos por mulheres capazes de utilizar poderes especiais. E adivinhe: tais poderes, obviamente, vêm dos próprios alienígenas…

As Pandoras e os Limiters

As Pandoras são mulheres com poderes capazes de enfrentar a ameaça dos Novas. Todas elas são treinadas por uma academia especializada chamada Genetics, que possui duas sedes: a West Genetics e a East Genetics, cada uma delas em um lado do planeta. A divisão é uma medida estratégica: se um Nova cair no hemisfério direito do planeta, as Pandoras da academia relacionada a este lado serão chamadas. O mesmo acontece no caso oposto. Dependendo do desafio, porém, Pandoras de ambas academias podem ser mobilizadas…

O segredo dos poderes das Pandoras está na medicina. A engenharia genética por trás de uma Pandora se baseia em implantar cirurgicamente fragmentos de Nova, chamados de stigmata — ainda que haja relatos de mulheres que possuem fragmentos desde seu nascimento. Quantos mais fragmentos uma Pandora possuir, mais ela será capaz de desenvolver poderes sobrenaturais. O problema é que o corpo normalmente rejeita tais fragmentos, uma vez que são corpos estranhos externos e fontes de poder que precisam ser aceitas. Quando uma mulher tem uma alta taxa de sincronização com stigmatas, é quase certo que ela será “convidada” a se tornar uma Pandora. Conta-se que Kazuha Aoi, a Pandora mais forte que existiu, tinha mais de vinte fragmentos implantandos e possuía compatibilidade de 100% com eles. As habilidades das Pandoras são variadas, mas vão desde capacidades de combate sobre-humanas até a conjuração de armas do próprio corpo e regeneração avançada. Seu maior poder, no entanto, reside em ativar o Modo Pandora, aumentando drasticamente todas as suas capacidades — e se tornando um pouco Nova…

Os stigmatas.

Os stigmatas, por algum motivo, são mais bem aceitos pelo corpo das mulheres do que dos homens. A estes resta apenas agir como suporte às guerreiras Pandoras. São os chamados Limiters: depois de encontrar uma parceira Pandora, o Limiter tem um dos cristais de sua parceira implantado em si mesmo, o que o torna capaz de feitos sobrenaturais, também. A função principal de um Limiter é neutralizar o campo de Freezing de um Nova, permitindo assim que sua parceira se movimente na área para atacar o monstro. Além disso, ele pode conjurar seu próprio campo de Freezing, paralisando oponentes e até mesmo Novas de baixo nível.

A ligação entre uma Pandora e seu Limiter é muito forte, e muitas vezes transcende o campo de batalha e se torna romântica. Existe um ritual chamado de batismo que inicia tal relação — não muito explorado na história, mas envolve contato físico… — e, depois que os dois já se conhecem bem, são capazes de ativar o Ereinbar Set, uma técnica que permite que compartilhem os sentidos entre si e aumentem o poder um do outro.

Na academia, Pandoras e Limiters recebem aulas teóricas e práticas relacionadas ao combate contra os Novas e sua formação dura quatro anos (mais ou menos como um colégio). Ao final do quarto ano, elas entram para o esquadrão Chevalier, eternizando seu cargo como guerreiras exterminadoras de Novas. Algumas tornam-se professoras da academia.

Há também, na academia, níveis hierárquicos para as Pandoras baseados em suas capacidades combativas e de acordo com o nível que estão prestando. Então sua personagem pode ser a número 1 do segundo ano, provavelmente a mais forte da academia até o segundo ano. Mas isso não quer dizer que ela seja mais forte que a décima quinta do terceiro ano…

Os Inimigos


Nova e a Pandora. Quem acha que vai vencer?

Novas são os vilões de Freezing. Alienígenas que se suspeita virem de outra dimensão, e que caíram na Terra com o propósito exclusivo de destruir todo o local. A verdade é que poucas pessoas sabem o que são, e estes poucos não estão muito interessados em revelar tais fatos. Novas costumam atacar a Terra de tempos em tempos, normalmente a cada oito anos, mas nada garante que tal período não seja uma mera coincidência.

A maior parte dos Novas têm aparência vagamente humanoide, e são enormes, atingindo facilmente o tamanho de prédios. Suas feições são quase inexistentes, normalmente contando apenas com um rosto e uma boca, e parece estar coberto por um capacete que se une a uma armadura, cobrindo todo o corpo. Quase todos apresentam uma silhueta feminina, o que causa muita especulação sobre sua origem: será por isso que apenas mulheres podem ser Pandoras?

Todos os Novas possuem grande poderio bélico. Alguns agem de forma mais indireta, causando interferência em aparelhos eletrônicos e até manifestando grandes áreas de controle mental. A maior, no entanto, costuma ter apenas força bruta e poder de fogo insanamente alto, além de uma habilidade passiva que deu nome à própria história: o Freezing, uma espécie de campo que paralisa o movimento de tudo e todos na área. Baseado no seu nível de poder e habilidade, Novas são classificados em tipos, normalmente divididos por letras, como por exemplo os tipos R (de resolver) e S (de supreme, ou se preferir, Sugoi). Agem normalmente sem pensar, apenas destruindo tudo o que veem, mas podem ser inteligentes e inusitados em momentos difíceis. Possuem um ponto fraco comum a todos da espécie: seu núcleo.

Para derrotar um Nova, é preciso que seu núcleo seja destruído. Isso envolve destroçar a grossa camada que o recobre e então golpear o núcleo de forma precisa e poderosa o suficiente para fazer o Nova entrar em colapso. O procedimento é perigoso, uma vez que o alien pode se auto-explodir ao notar que será destruído, mas todas as Pandoras estão cientes do risco que correm.

Regras

A pontuação para Pandoras e Limiters pode variar. Costumo dizer que quase qualquer cenário aceita personagens de 5 a 12 pontos, dependendo da extensão da campanha. Para um começo mais intenso, é aconselhável que sejam construídos com 10 ou 12 pontos. Todas as Pandoras e Limiters possuem as vantagens únicas apresentadas a seguir, e podem ter quaisquer vantagens, exceto magia, que é “inexistente” no cenário. As vantagens mais estranhas podem ser explicadas pelas armas das Pandoras — como correntes para Membros Elásticos, ou mesmo Voo para cristais que disparam laser e permitem que o usuário levite!

Vantagens comuns para Pandoras são Aceleração, Aliado (um Limiter extremamente devotado à Pandora), Ataque Múltiplo, Energia Extra (Satellizer que o diga), Poder Oculto Limitado, Pontos de Vida Extras, Separação e a perícia Esporte. De certa forma, algumas destas vantagens se manifestam na forma de técnicas, na história: Aceleração pode ser usado como o chamado accel turn, uma técnica que permite que as Pandoras se movam muito rapidamente, sumindo de vista. Accel Turn tem vários níveis de velocidade (double accel, triple accel e quadruple accel), que podem ser simulados pela vantagem Poder Oculto Limitado (Habilidade). Separação também é relativamente comum entre as Pandoras de alto nível, como uma técnica chamada Tempest Turn, onde a Pandora faz várias cópias para atacar ao mesmo tempo. Seria uma outra evolução de Accel Turn, mas se preferir, ela pode ser emulada apenas combinando Aceleração e Ataque Múltiplo. Para os Limiters, é melhor focar em vantagens que aumentam sua resistência a dano (Pontos de Vida Extras etc), uma vez que sua função é mais de suporte. Quanto a Boa ou Má Fama, isso é um pouco irrelevante: normalmente todas as pessoas respeitam a academia Genetics, e se você fizer parte dela, será reconhecido como herói pela população geral, mesmo que tenha uma fama ruim entre os companheiros.

Pandora (3 pontos)

Nova Weapon, ativar!

— Satellizer el. Bridget, Pandora

Ganessa Roland, uma pandora. As correntes saem das costas dela!

O esquadrão de frente do exército final contra os Novas. Pandoras são todas mulheres, e podem combater os Novas porque possuem parte de seus poderes. Todas possuem a capacidade chamada de Volt Texture, uma espécie de camada elétrica protetora, que impede ferimentos menores e também dá a elas a capacidade de, apenas com o pensamento, criar roupas e reconstruí-las sempre que quiserem. Graças a esta camada as Pandoras também podem recuperar membros perdidos quando estão em tratamento, mas a restauração acelerada das células pode diminuir sua expectativa de vida — embora, em termos de regras, isto seja apenas interpretativo.

• Código de Honra Pandora. Pandoras possuem como objetivo (quase) principal — como se fosse um instinto — a neutralização e destruição dos Novas. Ela também deve proteger os mais fracos dos ataques de tais seres, mas a maioria ajuda os mais fracos em qualquer situação.

Ereinbar Set. Realizando o batismo com um Limiter, este e a Pandora tornam-se parceiros de combate até que a morte os separe (literalmente isso). Ativar o Ereinbar Set faz com que Pandora e Limiters compartilhem seus sentidos, nunca sendo pegos Surpresos, e também faz a Pandora lutar melhor, dando um bônus de +1 em todos os testes que envolvem combate (FA, FD, esquiva etc). Uma Pandora pode ter mais de um parceiro, mas para cada Limiter além do primeiro é necessário o gasto de 1 ponto. Se ativar o Ereinbar Set com mais de um Limiter, os bônus se acumulam. Embora torne a Pandora e o Limiter mais fortes, não é obrigatório que uma Pandora possua um parceiro.

• Patrono: Academia Genetics. Pandoras vivem sob os cuidados e recebem treinamento da Academia Genetics, em uma de suas sedes (West ou East). Elas devem obedecer suas ordens e realizar missões em nome da academia.

Volt Weapon. Marca registrada das Pandoras. Elas são capazes de invocar um tipo específico de arma de seus stigmatas, sempre que desejarem. A arma de cada Pandora é única, e uma expressão física de sua personalidade. Funciona como uma Arma Especial: confere FA+2 ou 2 pontos em vantagens combativas — ou FA+1 e 1 ponto em uma vantagem combativa — mas precisa de um turno para ser conjurada. Caso seja perdida, a Pandora pode desfazer a original voluntariamente e conjurar uma nova, mas precisa de mais um turno para isso. Mais tarde a arma pode ser evoluída da mesma forma que um item mágico (Manual 3D&T Alpha, página 121).

• Modo Pandora. Veja abaixo.

Modo Pandora


Modo Pandora, versão anime. Legal as auras e os anéis de energia, mas prefiro a versão mangá...

Pandoras podem invocar forças diretamente de seus stigmatas, da mesma maneira que um Nova usa seus poderes. Ao fazer isso, elas conjuram uma armadura espectral de combate — no mangá trata-se de uma armadura real, enquanto no anime trata-se apenas de uma aura branca que torna a pele e os cabelos mais claros, olhos amarelos, e faz surgir anéis energéticos azulados nas juntas das mãos e pés. Tal transformação aumenta drasticamente os poderes da Pandora.

Ativar o Modo Pandora é o mesmo que usar Poder Oculto, mas de forma um pouco diferente: gasta apenas um turno para qualquer quantidade de bônus e o custo é de 1 PM por turno para cada +1 de bônus. O bônus máximo em uma mesma característica passa a ser igual à Resistência da Pandora — Pandoras com R0 não podem usar este poder. Ativar o Modo Pandora gasta um turno, mas a Pandora já recebe os efeitos do aumento assim que ativá-lo — não precisa se concentrar nem fica indefesa, embora precise esperar um turno para atacar. Modificar os bônus é o mesmo que reativar o poder. O custo em PMs só é contabilizado ao final de cada turno. Além disso, gastando 1 PM extra por turno, a Pandora é capaz de evoluir sua arma temporariamente, que passa a se chamar Nova Weapon: seus efeitos e bônus aumentam em +1 — isto é, FA+3, ou 3 pontos em vantagens, ou qualquer combinação destes.

Ao final do Modo Pandora, é necessário por parte da usuária um teste de R: falha resulta em cansaço, e um redutor de –1 em todas as características até que descanse por completo (8 horas). Entretanto, caso use todas as suas energias enquanto estiver no Modo Pandora — gaste todos os PMs, seja por manter a transformação ativada, ou por usar muitas técnicas e habilidades —, uma falha no teste de R faz a Pandora desmaiar e acordar apenas depois das 8 horas, mas já descansada. Testes médios de Medicina podem cortar pela metade o intervalo de descanso nos dois casos — fadiga ou desmaio.

Invocar o poder bruto dos Novas é tentador, uma vez que, quanto mais se utiliza, mais poderoso ele fica. No entanto, tal façanha tem seu preço: usar este poder demasiadamente pode transformar a Pandora em um Nova. Para isso, é preciso verificar as Marcações Nova — ou MNs — que a Pandora possui até então. Toda vez que usa o Modo Pandora, a guerreira recebe um MN; ao final do uso, se falhar no teste de R contra cansaço, recebe outro, mas caso a falha no teste de R resulte em desmaio — ou seja, se ela gastar todos os PMs enquanto usava o Modo Pandora — ela recebe dois, ao invés de apenas um.

Quanto mais MNs uma Pandora possuir, mais forte o Modo Pandora será, e mais próximo ela estará de se “perder”. Acumulando Rx1 MNs, a Pandora não precisa mais gastar PMs para invocar sua Nova Weapon; com Rx2 MNs, não gasta turno para invocar o modo, podendo atacar logo em seguida, mas recebe –1 em seu teste de R contra fadiga; e com Rx3 MNs, além do aumento de poder, recebe 3 pontos em vantagens quaisquer. A partir de Rx4 MNs, o Modo Pandora está próximo de seu máximo: a Pandora passa a subir de escala quando ativa o poder, mas recebe –2 em seu teste de R ao final. Todas as características anteriores são cumulativas: então, com Rx4 MNs, a Pandora não gasta PMs para invocar sua arma potencializada, não gasta turno para ativar o aumento de poder, recebe 3 pontos em vantagens e sobe de escala, mas precisa de um teste de R–2 contra a fadiga pós-Modo Pandora.

Modo Pandora, versão mangá. Uma armadura muito mais legal do que uma aura branca, convenhamos.

Ao atingir Rx5 MNs, o Modo Pandora se manifesta ao seu ápice, muito mais poderoso: além de todos os bônus e poderes, a Pandora terá +2 em todas as características, mas só poderá usar este poder uma vez: ao final, ela não precisa de testes de R contra fadiga, pois se transformará em um Nova, e será imediatamente caçada por suas companheiras.

Por tais riscos — o desenvolvimento pode ser bastante acelerado — o Modo Pandora é proibido pela academia a não ser para enfrentar os Novas, e com moderação. É possível eliminar MNs e aos poucos se livrar da influência Nova: caso não use o Modo Pandora por 5–R dias (mínimo de 1), a Pandora regenera 1 MN. Fazendo isso, ela se afasta de seu fim, mas também tem os poderes da transformação diminuídos. Por exemplo, caso esteja no limitar de Rx2 MNs e regenere 1 MN, ela perde a capacidade de usar o poder instantaneamente. Algumas Pandoras com muita resistência à dominação usam isso a seu favor, dosando o equilíbrio entre o poder possuído e a distância da perdição.

Limiter (1 ponto)

Freezing!

— Aoi, Limiter

 

Limiter usando Freezing para ajudar sua parceira, enquanto lutam contra uma... uma Pandora!? Parece que alguém perdeu o controle...

Limiters são homens que possuem stigmatas desenvolvidos em seu corpo. Diferente das Pandoras, eles não têm sua capacidade combativa diretamente influenciada, mas adquire poderes de suporte, sendo o parceiro ideal para uma Pandora.

• Código de Honra Limiter. Embora sejam mais “fracos” que as Pandoras, Limiters têm o mesmo compromisso. São devotados à neutralização dos Novas e ajudam os mais fracos que estejam ameaçados pelos alienígenas aberrantes.

• Ereinbar Set. Funciona como explicado na vantagem Pandora. Vale relembrar, no entanto, que se mais de um Limiter for parceiro de uma Pandora, os bônus não se acumulam para eles — cada um recebe +1 em testes de combate, enquanto a Pandora acumula a soma.

• Patrono: Academia Genetics. Limiters vivem sob os cuidados e recebem treinamento da Academia Genetics, em uma de suas sedes (West ou East). Eles devem obedecer suas ordens e realizar missões em nome da academia.

• Freezing. Veja abaixo.

Freezing


Freezing!

Limiters podem conjurar um campo de energia congelante que interrompe todo e qualquer movimento dentro da área afetada, se os alvos estiverem tocando o chão. Invocar o Freezing é caro: 5 PMs para cada metro de raio em um círculo afetado, que pode ser conjurado a até 10 m. O usuário não é afetado pelo próprio Freezing. Para decidir quem é afetado, o Limiter rola uma FA=H+1d, e os alvos rolam uma FD=H+1d. Uma esquiva dá FD+1. Em caso de sucesso, o alvo pode se mover e agir — e deve sair da área, senão precisará fazer outro teste em sua próxima ação. Caso a FA ultrapasse a FD, todos na área estão paralisados e indefesos. Um ataque desfaz temporariamente a paralisação, e o alvo pode tentar se “livrar” rolando novamente outra FD: em caso de sucesso ele pode agir ou se mover (apenas um deles), normalmente para fora da área. Caso continue dentro, deve rolar uma FD por turno — mas a FA do Limiter é sempre a mesma.

O verdadeiro poder de um Limiter se manifesta quando ele luta com o Ereinbar Set (veja mais abaixo) ativado, ao lado da Pandora com a qual se batizou. O custo do Freezing cai a 1 PM por metro de raio do círculo afetado, e a FA passa a ser H+2d. Um 6 nessa rolagem permite rolar 1d adicional: se conseguir dois 6, pode rolar 2d extra, e assim por diante. A FD do alvo continua sendo H+1d, com direito a bônus por esquiva.

Se mais de um Limiter usar Freezing numa mesma área, todos os ajudantes somam sua H (e, se também estiverem com Ereinbar Set ativado, também somam 1d) na FA do Limiter principal, o de maior H. Freezing também pode ser usado para sobrepujar outro campo de Freezing: usado dessa forma, o Limiter que deseja vencer um Freezing anterior precisa estar livre de sua influência — seja por não ter sido afetado inicialmente, ou por ter se livrado momentaneamente por causa de um ataque ou algo do tipo — e convocar seu próprio Freezing, que precisa ser do mesmo tamanho ou maior que o primeiro, e sua FA precisa sobrepujar a FA do Limiter inimigo. Caso isso aconteça, a situação se inverte, e o segundo Limiter passa a ter controle da área.

O poder de anular e sobrepujar outro campo de Freezing é a técnica mais importante de um Limiter, por causa dos Nova. Estes monstros possuem campos naturais de Freezing, que precisam ser anulados antes do combate. Todavia, normalmente o campo dos monstros é tão forte que o Limiter só consegue anulá-lo. Para sobrepujá-lo, é necessária uma FA de pelo menos o dobro da do Freezing do Nova.

Novas

Nova tipo S. S de Supreme. S de Sugoi. Pois é.

Novas são construídos com qualquer pontuação que o mestre definir, respeitando os limites dos personagens, claro (se for para eles o derrotarem, hehe). A maioria é de escala Ningen, mas há exceções — os tipos S são de escala Sugoi. As características podem variar, mas normalmente todos têm Habilidade baixa e uma alta Resistência. Recentemente demonstraram ter um grande Poder de Fogo, manifestado através de raios lasers de alta potência.

Antes de mais nada, é necessário neutralizar o campo de Freezing do Nova. Estes seres possuem tal habilidade sempre ativa, sem gasto de PMs, mas a FA de seu campo é sempre igual à sua Rx10. É quase impossível paralisar um Nova, sobrepujando seu Freezing.

Os outros poderes de um Nova são variados: eles podem possuir toda e qualquer vantagem com qualquer explicação bizarra que vier à mente do mestre, inclusive os Poderes Únicos (Manual 3D&T Alpha, página 137). Alguns, como já comentado, possuem Super Poder de Fogo (vantagem vista na DS33), e a grande maioria possui Super Armadura e Invulnerabilidade a ataques comuns, realizados por armas bélicas. Apenas Pandoras conseguem ignorar esta Invulnerabilidade, mas não a Super Armadura. Não de formas normais…

Para ignorar a Super Armadura de um Nova, é necessário localizar seu núcleo. Funciona mais ou menos como um Ponto Fraco: a partir de observação — existem Pandoras cuja função basicamente é localizar o núcleo dos mais variados tipos de Nova —, o núcleo pode ser localizado e então destruído. Antes, no entanto, é necessário golpeá-lo de forma precisa. Para isso, a(s) Pandora(s) precisa(m) passar em um teste de Esporte ou Crime (dificuldade variando de acordo com a situação), para se aproximar e atacar o núcleo com o Nova indefeso. O teste deve ser feito para cada ataque, e dependendo da interpretação, a dificuldade pode mudar — é mais fácil para o Nova notar um segundo ataque que seja igual a um primeiro executado antes. Mesmo indefeso, ele ainda terá uma alta FD (já que sua Armadura é Sugoi), mas isso mostra a alta resistência da crosta que protege o núcleo. Se mais de uma Pandora atacar o núcleo ao mesmo tempo (tendo sucesso nos testes adequados), as FAs são somadas. Basta que a FA total seja maior que a FD do núcleo para que a proteção deste seja rachada, e ele então seja revelado.

Ataques contra o núcleo desnudo são mais efetivos do que contra o resto do corpo do Nova: o núcleo tem apenas Armadura Extra contra ataques de armas bélicas comuns, mas tem Vulnerabilidade contra os ataques de Pandoras! Após ter a crosta quebrada, o próximo ataque deve acabar com tudo; caso contrário, o Nova poderá contra-atacar, se auto-explodindo com FA igual aos PVs que possuir no momento, em dados, num raio de 10 m para cada PV que possuir no momento, também (FA=25d, atingindo tudo em até 250 m, para 25 PVs, por exemplo!!). Por isso é tão importante que o núcleo seja destruído assim que visto. Há exceções: nem sempre o Nova se auto-explode se for ferido gravemente. Alguns aproveitam o contato direto com o núcleo para absorver Pandoras e transformá-las em marionetes…

Ganchos para Aventura

Não há muito o que falar nessa parte, então deixo para a criatividade dos mestres. Algumas ideias envolvem a invasão de um Nova de poder pequeno, para começar apresentando os jogadores e então começar a guerra em si contra os alienígenas. Além disso, sem dar muitos spoilers, o mestre pode dar indício das reais intenções da academia por trás de tudo isso — será que querem realmente apenas lutar contra os Novas? E se houver uma conspiração aí por baixo dos panos? Pode ser como em Evangelion, onde havia um objetivo maior por trás de todas as coisas.

Pandoras podem ser usadas ainda em outro cenário, mas contanto que seu flagelo continue existindo: talvez não cacem Novas, e sim outra forma de ser — seres extraplanares? As opções são muitas e ficam a critério do mestre.

É isso aí, boa sorte. Freezing!

About Tek

O Tek curte piratas, macacos, ninjas, zumbis, mafiosos e outras coisas maneiras. Ele gosta de referir a si mesmo na terceira pessoa, mas é um cara legal. Vota no Seu Madruga para presidente e Darth Vader para senador.