RetroPunk e Secular, novos ares para o RPG Brasileiro

Capa da edição Brasileira de Rastro de Cthulhu


Durante a RPGCon 2010 muitas novidades surgiram na palestra das editoras. Fora do mainstream D&D/Mundo das Trevas/Tormenta tivemos pelo menos duas surpresas muito positivas e originais: o anúncio oficial de Rastro de Cthulhu pela RetroPunk Game Design e do jogo Busca Final pela Secular Games.
Rastro de Cthulhu é um jogo indie que usa o cenário clássico de investigadores sobrenaturais na década de 30 de Lovecraft utilizando o sistema GUMSHOE e uma pegada mais pulp nas aventuras. É vencedor de dois prêmios ENnie de melhores regras e melhor escrita. Para quem cansou de esperar Call of Cthulhu sair por aqui, Rastro de Cthulhu é o jogo perfeito para mestrar jogos de horror e investigação sobrenatural, afinal não há nada mais divertido que acumular pontos de insanidade, certo?
Além do jogo de horror a RetroPunk já faz planos para trazer ao Brasil outros títulos que utilizam o sistema GUMSHOE, como The Esoterrorists, e outros jogos indies, com destaque especial para Spirit of the Century que traz o sistema FATE (que o Shido já comentou a exaustão por aqui). Como a licença do SotC não incluí as ilustrações a editora já fez um chamado as armas por artistas para que enviem seus portfólios.
A Secular Games já chegou na RPGCon com lançamento: a fanzine com uma forte pegada autoral e indie Mamute fez sucesso no evento e trouxe encartado o jogo Tópicos & Trolls, um jogo-paródia da vida virtual do RPGista Brasileiro, e já prometem o jogo Busca Final para este segundo semestre de 2010. Busca Final é um jogo narrativista auto-contido, com início, meio e fim, em que os jogadores intrerpretam guerreiros em busca da magia que desapareceu subitamente do mundo. A Mamute tem um artigo trazendo maiores detalhes sobre o jogo que deve usar um sistema baseado em cartas.
Essa guinada ao indie e ao “faça você mesmo a mudança que deseja” capitaneada pelas duas editoras dá novos ares a publicação de RPGs no Brasil e pode trazer ainda mais autores a arena da publicação independente de RPG. A RPGCon é uma grande e liberal vitrine para lançar um jogo independente hoje em dia com grande repercusão: tratem de se focar em aparecer na próxima RPGCon para a Feira do RPG Independente.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

14 Resultados

  1. Jaime Daniel disse:

    E a d3store é a loja que primeiro abriu suas portas para o RPG independente… XD

  2. Talude disse:

    Espírito do Século é muito bom, além do sistema ser OGL. O Busca Final parece que vai ficar bem interessante também.
    Sem esquecer do Mighty Blade e do Kalahad, RPGs sem editoras e lançados pela força dos autores.

  3. Shido disse:

    À exaustão? Tu não viu *nada* ainda. =D

  4. Nume Finório disse:

    Nem consigo imaginar quão feliz tu vai ficar quando ele sair por aqui… xD

  5. Nume Finório disse:

    Esses dois últimos aí não conheço não, qualé que é a deles?

  6. Shido disse:

    E sabe a melhor parte? Eu finalmente vou ter uma palavra em português pra "tag," que não consigo traduzir satisfatoriamente! o/
    Fiquei tão empolgado que até comecei a esboçar aqui um hackzinho Tormenta-Fate. =D

  7. Talude disse:

    Nem vi o autor, achei quetinha sido feito por alguém que tinha ido a RPGCon 🙂
    São dois sistemas independentes que estavam a venda lá na FRI. O Mighty Blade, mais interessante na minha opinião segue em ” target=”_blank”>http://www.mightyblade.com

  8. Tek disse:

    O Mighty Blade é de autoria do Coisinha Verde, gente fina.

  9. emi disse:

    Eu traduziria Invoke como Invocar, Tag como Marcar e Compel como Compelir (embora fosse ficar legal Tentar…), mesmo que nao seja lá essas coisas. Mas vou aceitar a tradução oficial, a não ser que fique… muito ruim.

  10. emi disse:

    Nao consigo imaginar um hackzinho tormenta-fate. Tipo, Aspecto> Homem-Lagarto. Aspecto> Barbaro. Pronto! Hehehehehe

  11. Shido disse:

    Olha que não foge muito disso. É questão de fazer Aspectos com as coisas mais marcantes — como as raças e algumas classes de prestígio como "Explorador da Tormenta" –, definir a lista de Skills e bolar uns stuntzinhos pra magias (que pode ser mais legal usando aquele paradigma de "magia elemental" dos primórdios do cenário, antes da contaminação generalizada do D&D).
    Mas acho que o maior mérito estaria em fazer com que a coisa fosse completa, acompanhada de um "FATE light."

  12. Shido disse:

    Tag como Marcar parece bom. Eu usaria com gosto.
    Só discordo no Invoke, que traduziria como Delícia Cremosa. Muito mais legal! =D

  13. Wallace disse:

    Nume, e eu ainda quero fazer uma incursão da FRI aqui no Rio, pra incentivar ainda mais.
    Fiquei muito orgulhoso de ver mais títulos esse ano, e ainda ver o pessoal do ano passado marcando presença.
    Faltou mesmo o seu livro, né vacilão?

  14. Nume Finório disse:

    O livro do Adão, você quer dizer. Você sabe como é, eu posso levar o cara até o banheiro, abrir a porcaria da braguilha dele e até tirar o pinto do infeliz pra fora. Mas nem por intervenção divina eu conseguiria mijar por ele.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: