Seu problema é Sistemas? Escolha, ora!

Olá pessoas!

Nós últimos anos os grande lançamentos RPGísticos do país limitaram-se a atender os três grandes eixos: D&D, Storyteller e M&M (este último NEM tanto, mas deve ser considerado). Todo mundo sabe que eu odeio D&D (ou melhor, passei a odiar depois de usá-lo exaustivamente), mas devo confessar que o atual Mundo das Trevas não me cativou e M&M atende uma linha de cenário muito limitado para mim e que não é do meu grande interesse, ou seja, o universo dos quadrinhos. Desta forma, vocês devem estar pensando que só o que restou então foi o 3D&T Alpha como sistema, mas meus jogadores não o tem em grande estima e até hoje desconversam quando eu tento narrar algo pra eles usando o mesmo (se bem que em parte é minha culpa, mesmo pq só quero narrar Naruto! XD). Então, como diabos eu venho narrando nestes últimos anos? Ou melhor, “o que” eu venho narrando e “como o que”?

Meu estilo narrativo é bem fantástico e genérico, com pitadas de realismo, mais ao estilo que o GURPS propicia, mas com uma liberdade maior para a criação pelo improviso (ou seja, eu sou mega afrescalhado na hora de usar um sistema), e poucos realmente atenderam as minhas necessidades. Dada as “várias” opções atuais em sistemas no nosso país, minha vida ficou bem complicada, e passei a “experimentar” demais. Peguei o storytelling e transformei em Fantasytelling, uma adaptação mais fantástica e generalista que caiu bem, mas que deu tanto trabalho de usar que acabei deixando de lado. Cheguei a mudar o BESM, uma versão d20 para jogos de Anime, mas tb não me agradou muito. Finalmente tive que passar um tempo sem narrar e foi quando eu passei a criar e criar sistemas, tentando chegar num bom resultado que me agradasse. Em pouco mais de 7 meses eu criei 8 sistemas (sem brincadeira, estão todos aqui no meu HD), todos parecidos em alguns aspectos e com suas peculiaridades que os diferenciavam. Cheguei até a testar um deles com sucesso, mas foi aí que travei e a inspiração para esta postagem me atingiu em cheio.

Ora, meu sistema está prontinho pra ser usado e, o principal, compartilhado. Mas será mesmo que vale a pena postá-lo na net? Não que eu queira que ele venha para revolucionar nada, mas será que existe espaço para ele por aí? Espaço até tem, sei disso (mesmo pq é só jogá-lo na net e pronto!), mas o problema maior e que me travou até hoje para postá-lo é justamente uma questão que me pegou de surpresa no início deste mês: mas afinal quantos sistemas já têm por aí e que eu nem vi na minha busca por um bom sistema?

Foi então que comecei a fazer uma busca gradual a fim de sanar minha dúvida e descobri algo quase assustador (no bom sentido, claro): existem MUITOS sistemas por aí, e isso só os nacionais gratuitos que posso usar! Quer apostar comigo? Eu fiz uma listagem, e sei bem que podem ter muito mais por aí que não achei ou lembrei, chegando à conclusão que o problema está longe de ser a falta de opções, mas sim a preguiça por procurar e tentar achar algum que seja melhor pra você (ou no caso, pra mim!). Vejam só quanta coisa nós temos a nossa disposição e em português!

  • Dos sistemas publicados temos: D&D; Storyteller; Storytelling; 3D&T; M&M; BESM; Daemon. (esqueçam os d20 e cenários publicados em cima destes sistemas. Deixei de lado GURPS pq este deixado de lado – até pouco tempo atrás pelo menos. XD);
  • Tagmar 2 (e suas infinitas atualizações e suplementos);
  • Mighty Blade II (recentemente publicado de forma independente);
  • 4D&T, Ação!!! e Primeira Aventura (liberados na net);
  • SUPERNOVA Advenced (com vários suplementos);
  • NanoRPG (lançada 2ª edição recentemente);
  • Alchemia RPG (comentando recentemente nos blogs de RPG);
  • Highlighs (lançado no Paragons);
  • E os quase esquecidos: Bionética; Phatasia RPG; F.U.B.A.R; Nexus 2.5; Opera RPG.

Limitei-me aos materiais em português por um detalhe importantíssimo: é a nossa língua, ora! Meus jogadores não entendem inglês com perfeição, ou pouquíssimo, o que dificulta usar os materiais estrangeiros (sei o que vão dizer: existem traduções ou eu poderia traduzir, mas o pessoal aqui gosta de ler o livro de regras para montar seus combos e fichas, e não dá pra traduzir um livro inteiro! Aí de mim se eu fosse traduzir Exalted, por exemplo). Mas mesmo me limitando a que temos em português, vejam só quanta coisa! Nem parece, né? Mas podem crer que é. Só aí tem uma boa quantidade de horas dedicadas a leitura, te garanto!

E aí, ainda pensa como eu pensava? Ainda acha que não tem opções de sistema por aí? Sei que muito destes sistemas pode não agradá-lo, principalmente os independentes e gratuitos, mas garanto que se você deixar o preconceito de lado e dê uma boa lida verá que tem muita coisa boa onde você julga não ter. E se nada lhe agradar 100% (como foi comigo), quem sabe você possa ganhar a inspiração para criar seu próprio sistema e acrescentá-lo ao hall do material RPGístico livro do nosso país!

Até and Bye…

PS: ah, o meu sistema, né? Pois é, como vou entrar de férias em Julho, decidi só liberá-lo na net depois, podendo assim ter tempo para fazer propaganda do mesmo. Além disso, com GURPS e Tormenta vindo aí, acho melhor mesmo adiar sua postagem (senão ninguém nem vai vê-lo, coitado). XD

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. Ben-hur disse:

    Parabéns pelo post.

  2. Armageddon disse:

    Fiquei a fim de criar um sistema também XDXD

  3. @Ben-Hur
    Opa, vlw mesmo cara! Mas Ben meu velho, você tá usando que blog mesmo? Já estou confuso com suas mudanças de casa… Me diz pra eu por nos parceiros lá do RPG do Cavaleiros!
    @Armageddon
    Cara, se for fazer mesmo, boa sorte. Até que é fácil, ainda mais quando você cria vários, mas dá um trabalho mizerável! Como sempre o problema é escrever. XD
    E aproveitando, quando eu lançar o meu sistema posso postar aqui, né? =D

  4. Armageddon disse:

    Pra mim escrever é fácil, só não imagino até que ponto conseguiria criar um sistema novo. Não precismo de um novo D&D heuheu

  5. JEY disse:

    pois é, meu caso é pior ainda…
    eu gosto de D&D, jogo no OWBN (live action de vampiro) mas, ainda assim, eu queria fazer um sistema.
    então, a primeira coisa, é estudar. Isso mesmo, estudar rpg!
    criei meu próprio blog, que não é exatamente muito acessado, mas é uma forma de eu me obrigar a postar um material novo toda semana, e, conseuentemente, de conhecer um pouco mais sobre rpg toda semana.
    estou muito curioso para testar os filhos do FATE system, que promete ser um sistema mais interpretativo, especialmente o houses of the blooded, que pretendo comprar online.
    e realmente, existe MUITA coisa boa por aí, é só levantar a poeira e procurar (ou entrar no meu blog =P)
    mas, para justificar a propaganda descarada, aqui vai uma dica:
    se seus jogadores gostam de ler os livros para combar, talvez D&D seja uma boa opção, mas seria interessante fazer eles experimentarem outros estilos.
    é como quando vc jogou pela primeira vez, como você não conhecia o sistema, você dava mais valor ao jogo em si do que a mecânica….
    além do mais, eu observo que 90% do material de rpg, está em inglês, e certamente muitas opções diferentes e interessantes.
    mas não se esqueça também das coisas em português, mas old school! Paranóia, toon, e castelo falkenstein podem ser as opções diferentes que vocÊ procura ;D
    abraços e bons dados!

  6. oneiros_fe disse:

    Bacana o post. A quantidade de sistemas que tem por ai é enorme mesmo, já cheguei a fazer essa busca mas sempre rola uma preguiça absurda na hora de ler tudo (ler no PC é muito ruim, quando descolar um netbook talvez me anime mais). Os meus queridinhos ultima mente são o FATE e o PDQ em grande parte por causa dos artigos do .20 a respeito. e tem o blog http://maisquatro.wordpress.com/ que tem uma tradução do FATE.
    JEY. Vou dar uma olhada no seu blog tb.
    Abraços

  7. Arquimago disse:

    Recomendo muito o Mighty Blade, é facinho e rápido! E nem demora para ler o livro e conhecer o sistema, afinal para isso não precisa ler todas as classes e suas habilidades.

  8. Arquimago disse:

    Desculpem a postagem dupla é que o MB acabou de colocar um vídeo muito legal mostrando como preencher a ficha!
    http://www.youtube.com/watch?v=DIiOJysZOoU&feature=player_embedded

  9. Camilo disse:

    Adoro posts que comentam os RPG criados em blogs. Se eu pudesse acrescentar, eu mencionaria o blog
    http://www.quimerarpg.blogspot.com
    Ele tem cenários pequenos com sistemas próprios, outros para Zip, e suplementos para 3d&t.
    Como você não citou o Zip?!?!?!?! Visitem a página do legendário Michi:
    http://ziprpg.tripod.com/fanzine.htm
    Tem inclusive uma lista de discussão movimentada. Zip é um clássico!
    Agora, se você não se importar, eu citarei o Cthulhu Fhtagn, traduzido no meu blog:
    http://camilorpg.wordpress.com/2010/06/29/cthulhu-fhtagn-traduzido/
    Obrigado 😀

  10. Armageddon disse:

    Zip é foda! Eu tenho o livrinho, mas to enrolando pra escrever a resenha. Bem lembrado, Camilo.
    Aliás, a sugestão de fazer matérias sobre cenários da internet é ótima, vou tentar providenciar também =D

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: