Nada de D&D na cadeia

Nesta segunda-feira um presidiário sentenciado à prisão perpétua perdeu a batalha legal que travava para poder jogar Dungeons & Dragons na cadeia. Kevin T. Singer argumentava que este impedimento era ilegal por violar seu direito constitucional de liberdade de expressão e de ter suas liberdades individuais respeitadas.

Singer, agora com 33 anos, joga RPGs de fantasia desde que era criança. E quando os guardas confiscaram o material do presidiário, levaram vários livros e revistas de D&D e um calhamaço de 96 páginas detalhando um cenário de fantasia que ele usava em seus jogos.
Segundo os oficiais do presídio de Wisconsin, o material de Dungeons & Dragons foi retirado do alcance de Singer pelo jogo apresentar-se como uma atividade que incitaria a criação de uma gangue de jogadores e promoveria a violência, hostilidades competitivas, comportamento de escapismo da realidade e possivelmente jogos de azar. Mais tarde a prisão instituiu uma política mais detalhada contra todo tipo de jogo de fantasia.
Ele recorreu contra a proibição, mas a corte de apelações que apreciou o caso decidiu ontem que esta foi uma medida razoável. O argumento da corte foi “Afinal de contas, a punição é um aspecto fundamental do encarceiramento, e prisões podem decidir por punir seus detentos privando-os de participar de algumas de suas atividades recreativas preferidas.”
Os oficiais iniciaram a proibição em 2004, motivados por uma carta anônima de um colega de prisão que estaria preocupado do grupo de jogo de Singer ser na realidade uma gangue criada com o objetivo de jogar aquele jogo.
A título de curiosidade: Singer foi sentenciado à prisão perpétua em 2002 por ter sido declarado culpado pela morte do namorado de sua irmã. A vítima foi morta a golpes de marreta.
Fonte: Inside Bay Area

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Jagunço disse:

    Aí está um castigo e uma prisão completos. Totais. “Você não pode sair. Para lugar nenhum”.
    Triste, ainda que para um assassino.

  2. Danielfo disse:

    Agora sabemos o que é um diretor de prisão maligno.

  3. Paulo Segundo disse:

    Não acho que o diretor seja maligno.
    Um dos principais objetivos da prisão é privar o preso de sua liberdade por ter agido contra as regras definidas num contrato social, ou seja, a lei.
    Num país sério (ou seja, não no Brasil), as penas para transgressões penais servem como medida desestimulante à prática de crimes, pois o sujeito sabe que será processado, e cumprirá a pena prevista na lei.
    Acho válido proibir a prática da ativade na prisão, afinal o présidio não é um hotel pago pelo contribuinte onde o apenado vai ter direito a passar o dia se divertindo. Ele está ali para pagar, com o encarceramento, por sua violação aos direitos estipulados pela sociedade.
    Achei correto o entendimento da corte de apelações:“Afinal de contas, a punição é um aspecto fundamental do encarceiramento, e prisões podem decidir por punir seus detentos privando-os de participar de algumas de suas atividades recreativas preferidas.”
    Quem dera aqui no Brasil fosse assim, um lugar onde as coisas funcionam…

  4. rangelfisica disse:

    Retirar os livros basicos e suplementos não é suficiente para impedir ninguem de jogar RPG.
    Imagino que tenha dado tempo para ele decorar as regras. De qualquer forma ele pode usar uns d6 e jogar um sistema jail-made.

  5. Jagunço disse:

    Ou usando alguma mecânica que envolva cigarros, cartas ou verrugas. Boa. É a imaginação a favor do RPG clandestino. X)
    Somos mesmo uma “tribo”, vai.

  6. KaiqueO disse:

    Pow.. não achei a ideia legal não. Ainda que fosse uma prisão com pena normal, até podiam tirar, afinal o cara é um assassino e não é pra ele se divertir ali mesmo. Mas é prisão perpétua e o cara vai passar o resto da vida dele lá, acho que podiam até liberar nessa parte hehe.

  7. alvaro disse:

    bem concordo com nosso amigo Kaique acho que privar um homem do convivio familiar e de toda atmosfera de mudança do mundo pela vida inteira é algo que está nas mãos da justiça e que já o faz sofrer muito, afinal se este homem tiver familia ele a perdeu na hora da sua condenação, pois naõ poderá conviver com ela nunca mais,acho que a proibição seria justa se o prisioneiro fosse sair um dia,mas mesmo assim presos tem direito a atividades esportivas e culturais afinal isto faz bem para ressocialização,para não me alongar mais eu acho que cortar as asas de um pássaro e não deixa-lo voar é um sofrimento incrivel e bastante,mas impedi-lo de sonhar com o céu e voos fantasticos passa de justiça e transforma-se em uma atitude cruel, o tribunal não puniu um homem apenas ele se igualou ao assassino talvez tornando -se ate pior, pois matou os sonhos de liberdade, os resquicios de inocencia e bondade, eles sufocaram o que restava de um homem de bem em um assassino.

  8. Maury disse:

    Eu já concordo com o Paulo. Ele está lá pra pagar, não pra se divertir. Se ele recebeu prisão perpétua, foi porque mereceu. Acho que principalmente no Brasil os criminosos se aproveitam da bondade alheia e da pena que as pessoas sentem umas das outras pra se safar e fazer o que querem. Acho que quem comete um crime como assassinato não é ser humano, e deve ser tratado como o monstro que é.

  9. Deadshot2x disse:

    Hum… acho correto, afinal, eles podem querer dar uma de prison break e tentar fazer planos de fuga e derivados no meio da jogatina!! tudo é possivel pra RPGistas!!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: