Disponível o System Reference Document do Pathfinder RPG

pathfinderrpg
Rápida no gatilho, a Paizo já disponibilizou em seu site o SRD do Pathfinder RPG. Diferentemente do (mais ou menos) recente documento de referência de uma outra editora, que mais se ocupa em informar o que não se pode usar, o system reference document do Pahtfinder traz todas as regras constantes do livro básico — incluindo breves descrições de cada raça, classe, etc.
As regras podem estar lá, integralmente, mas, da minha parte, isto não previne a aquisição do livro — que é bonito demais para não ter em mãos. Mas, enquanto não sai uma segunda impressão, ou, se você tem curiosidade sobre o Pathfinder RPG, mas caminha na trilha prudente de analisar antes de comprar, ou, ainda, possui o livro mas curte a comodidade de consultar online, está tudo lá — totalmente aberto. ¡Viva la OGL!

Você pode gostar...

15 Resultados

  1. @caioviel disse:

    Muito legal!
    Eu particularmente acho muito legal ter as regras em html, fica bastante fácil encontrar o quê procura. Estou amando Pathfinder cada vez mais!

  2. vale salientar, que o feito da suprasumo Paizo, nada mais é do que uma cópia do feito da antiga outra editora no srd da 3.5, é interessante como tendem a falar mal da outra editora, mesmo todos usando inicialmente a SRD lançado por ela. É o verdadeiro "cuspir no prato que ainda come", tendo como única diferença: o molde do prato sendo dado para outra empresa.
    com certeza irei adquirir o pathfinder, o livro realmente está muito bonito 🙂
    🙂

    • Shido disse:

      Não é "supra-sumo" ou nada nuclearmente inovador, de fato. Mas é *simpático* — e mais simpático do que na casa anterior; *tudo* o que a Paizo há de lançar, muito provavelmente, será integralmente sob a OGL, o que permite derivados (o que geralmente dá origem a muito material interessante). O "prato velho", fora os básicos, não permitia derivados do material restante.
      Sem falar que a empresa antiga, atualmente, só disponibiliza um prato ruim demais, com toda sua postura antipática de "é tudo meu". Essa pira monopolista é um modelo velho, microsoftiano; modelos de design aberto, que permitem desenvolvimento de material existente para gerar formas novas é bom para todos — e não só para a mega-empresa.

    • RogerioSaladino disse:

      Sim. É uma cópia, e é também o que eles se dispuseram a fazer. Ou seja, prometeram e cumpriram.
      Acho é muito ruim o povo vir com essa tentativa de desmerecer uma boa atitude de uma editora que está se esforçando para fazer um trabalho legal.
      Não estou aqui para dizer que a Paizo é a supra-sumo ou coisa parecida. Mas achei legal a postura deles em dar continuidade a um sistema que eu gosto.
      Prefiro elogiar boas iniciativas do que desmerecê-las.

      • Cassaro disse:

        Apoiando o Saladino e acrescentando:
        Não achei nenhuma cláusula na SRD da Paizo dizendo "podemos cancelar ou mudar tudo isso quando não estivermos mais a fim de dividir nosso jogo com outros".
        Acho bem pouco provável que, em alguns anos, a Paizo venha fazer um "Pathfinder nova edição" totalmente incompatível com o jogo atual, e sem uma SRD.
        Enquanto a Wizards tenta de tudo para enfiar o gênio de volta na garrafa — licenças restritivas, cancelamento de vendas em pdf, proibições para sites… –, a Paizo prova, mais uma vez, que liberar conteúdo online não prejudica a venda dos livros físicos.
        A Paizo tem hoje a iniciativa e coragem que a Wizards teve no ano 2000, e perdeu.
        Aplausos a eles.

  3. Vale lembrar que "códigos abertos", mesmo que nada esteja no meio da informática, não são novidades. Vieram antes da outra editora implantar isso.
    Gilson

  4. Tek disse:

    Fora que antigamente a Wizards disponibilizava o SRD em uns RTF feios.
    Outros sites que fizeram versões bonitinhas (e funcionais) em HTML, não eles…

  5. Wicttor disse:

    Os antigos SRD's da Wizards eram muito feios, e nada funcionais, você tinha que baixar dezenas de arquivos para poder ter o sistema completo. A Paizo está de parabéns! Vai rolar SRD do Tormenta?

  6. vale salientar, que meu comentário anterior não é uma critica a paizo, ao contrário, como o saladino disse por ai, é muito bom que eles dêem continuidade ao sistema, pois apesar de não jogá-lo mais, sei que muitos gostamm, e apesar da guerra 3.5 vs 4.0, quero que todos se divirtam.
    o que critiquei é a ofensa constante em cima da Wizards, ela é uma empresa e como tal, precisa de grana, não sei os motivos por trás do cancelamento dos pdfs, mas ela tem o seu direito e venhamos e convenhamos, se não tivesse problema com as vendas, teríamos isso no Brasil. (parabéns para a Jambô pelo 4d&t)
    Assim como os aqui presente resolveram andar com a DS seguindo pelo caminho exclusivo do D&D 3.5 (por causa de Tormenta), e alguns dos seus leitores tb se sentiram lesados (como eu), por não ter mais revistas nacionais com materiais para vários sistemas, não gostei da decisão deles, mas sei que foi o melhor comercialmente/logisticamente falando, por isso não critico as empresas, ao contrário, apoio! (e tb sou fanboy Microsoft)

    • Rogerio Saladino disse:

      Ok, isso está bem contraditório, na melhor das hipóteses.
      Você critica, mas diz que não estava criticando. É agressivo no seu comentário, mas afirma que não tinha a intenção de ser agressivo… Sabe, não era pra ter uma guerra de edições. Só tem porque gente como você fica insistindo que todo e qualquer comentário como sendo um ataque ao sistema que gosta. E reclama que o povo não "viu a luz" da maravilha do outro sistema.
      A questão não é o fato da Wizards querer lucrar, ser uma empresa e etc. Ninguém vê problema nisso. O problema é a interferência da Hasbro nas políticas da editora, exigindo lucros e explosões de venda constantes e forçando mudanças que podem não ser necessárias. Eu não concordei com algumas das políticas deles para obter o tal lucro.
      Tem muita coisa que foi porcamente explicada por eles, e sinceramente acho que não tem exatamente uma explicação. A questão dos pdfs é só uma delas.
      Me diz uma coisa, como um leitor pode se sentir lesado por uma revista não trazer material de suporte para sistema de RPG que ela não se propunha a fazer? Você reclamar pra uma revista chamada "Jogos para Playstation" que ela não fala de jogos para Wii?
      Você diz que não critica as empresas ou só algumas empresas? Você postou uma crítica (que não estava criticando) num tópico sobre uma empresa que você diz que não faz diferença pra você, só pra reclamar dos que criticam outra empresa. Acho que o nome disso é trollagem, não? Por favor, me corrijam se eu estiver enganado.

      • Volz disse:

        Calma ai Saladino. Nesse segundo topico.
        O cara apenas externou que gostaria que ouvesse uma revista de rpg multisistemas. O que não há.
        Sim eu sei que a Proposta da DS desde a primeira edição éser uma revista especifica da D&D 3.5. Ao menos era. Hj ela tem a politica de ser um arevista de suporte ao material da jambo. Visto que publica 3d&te mutantes e mestres mentais (que é d20 system mas não é D&D 3.5).
        Trollagem pra mim é o que que faço. Ele foi até bem leve no segundo comentario dele. O Cassaro deve me achar um imbecil (direito dele). O Tek Eu tenho certeza que acha. Apesar dele me perseguir eu sei que fundo ele é um cara legal… No fundo no fundo mesmo… huahauhahauhau (olha o Troll ai gente)
        Até uns anos atrás eu não via empresas que trablahm como rpg como empresas. Eu via como publicadores de hobbies. E assim ficava fazendo cobranças idiotas. E reclamações bestas.
        Sim a wizards tem direito de fazer o que quiser com o que pe deles. O pathfinder tbm. Vcs de tormenta podem fazer o que quiserem com o sistema de vcs. Ser um sistema mais aberto, ou um sistema mais fechado. A questão é como o mercado vai agir em conta disso.
        Eu acredito que a wizards e a hasbro deram um tiro no pé. A 4 edição gerara uma perda de 50% dos jogadores que eles tinham. Em contrapartida acho que a Payzo encontrou um belissimo nicho de mercado e se antes trabalhava com revistas pra Dungeons and dragons, essa abertura de mercado que a wizards gerou vai ser sanada por eles.
        Parabens a eles por terem disponibilizado seus sistema aberto. Assim muitos jogadores do Brasil podem escrever seus proprios materias nesses sistema.
        Em contrapartida o primeiro post do maluko é realmente muito agressivo e deve ser chamado de Trolagem. Eu o Rei dos Trolls ewxconhço isso como trolagem absoluta….
        huahuahuahuahuahua
        Ps. Adoro o teu trabalho saladino. Tanto em otrmenta como na area de quadrinhos. Cara tenho comprado de novo X-man. Tu é o cara como editor.

  7. Vermei disse:

    O Negócio é aproveitar =)

  8. Malkavian disse:

    Acho que sistemas abertos são o futuro sim… e em tudo. Não vivemos mais uma era de grandes gênios, mas sim de conhecimento difuso, onde várias pessoas em atividade colaborativa produzirão as obras geniais.
    Ser "open content" é ter a humildade para admitir isso, ou seja, de que ninguém sozinho é genial o bastante para fazer o "melhor sistema possível", e que somente com a colaboração de todos (editores, usuários etc.) é possível gerar uma obra de valor, superior inclusive às obras individuais (inclusive pq. a obra aberta não para no tempo, permanece em constante evolução…).
    A Wizards não estava perdendo nada com um sistema aberto, pois seus livros continuavam sendo uma referência, queira ou não, geravam grandes vendas cada nova atualização de edição (foi assim com a 3.0, e depois com a 3.5, recordes de vendas, mesmo que os usuários depois acabassem misturando com elementos de outras editoras ou ainda introduzindo regras próprias…). Deixou a Wizards então de lucrar, poderia ter feito uma 4a. edição dando continuidade à evolução da 3.5, sem prejuizo de lançar uma linha paralela nos moldes da atual 4a. edição (como já conviveram no passado o AD&D e o D&D, só que com a vantagem de que agora existe uma clara diferença entre o 3.5 e a 4.0, não haveria superposição entre os dois, ao contrário do que ocorria com D&D e AD&D). Basta uma rápida consulta ao site da Amazon para ver quem é o atual top de vendas em RPG: Pathfinder.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: