Primeira tiragem de Pathfinder RPG esgota dez dias antes do lançamento

Mostrando força e popularidade impressionantes, a primeira tiragem do Pathfinder RPG Core Rulebook esgotou-se dez dias antes do lançamento oficial dia 13 de agosto. A má notícia para quem ainda não encomendou uma cópia é que a segunda tiragem só deve chegar nos primeiros dias de novembro.
“Nós achava-mos que tinhamos imprimido o suficiente para durar no minímo até o fim deste ano, mas a espetacular demanda pelos nossos clientes e distribuidores nos fez reimprimir agora,” disse Lisa Stevens, CEO da Paizo. “Temos um montante saudável para a Gen Con, mas acho que mesmo esses vão sair muito rápido, não se atrase em pegar o seu!”
“O fenomenal suporte da comunidade constantemente em crescimento de jogadores de Pathfinder RPG tem sido uma espantosa coisa de se ver,” diz Erik Mona, editor-chefe da Paizo. “Para vender uma ambiciosa gigantesca primeira tiragem antes da data de lançamento apenas mostra que imensa audiência este jogo irá ter nos anos que virão.”
Pathfinder RPG Core Rulebook tem 576 páginas, capa dura, papel colorido (e mais de dois quilos de peso!) por US$ 49,99. Uma versão em PDF também está disponível para pré-venda por US$ 9,99.

João Paulo Francisconi

Amante de literatura e boa comida, autor de Cosa Nostra, coautor do Bestiário de Arton e Só Aventuras Volume 3, autor desde 2008 aqui no RPGista. Algumas pessoas me conhecem como Nume.

Você pode gostar...

42 Resultados

  1. É o povo que não aprovou a 4a edição do DeD mostrando a preferência.
    Gilson

  2. Arquimago disse:

    Nossa!

  3. Pablo Urpia disse:

    Viva a resistência!

  4. Volz disse:

    Vive la resistance!!!

  5. Soturi disse:

    karaka!!!!!

  6. Volz disse:

    seraque a jambo publica uma tradução???

  7. Marcelo Tomaz disse:

    Tomara!

  8. Keldorl disse:

    Mandaram bem, mesmo não gostando de algumas regras acho que o livro ficou muito bacana e pretendo ter um, se a Jambô traduzir fica melhor ainda.

  9. RogerioSaladino disse:

    Por um lado, fiquei assustado a saber que o PFRPG Core Rules já esgotou antes do lançamento. Eu estava esperando o livro sair pra comprá-lo e o bicho já esgotou!
    Por outro lado, fiquei muito contente, porque quer dizer que tem muita gente interessada em continuar com o sistema OGL/3.X. É uma mostra de que o sistema tem potencial ainda.
    E que teremos mais do material legal da Paizo no futuro.
    E de Tormenta também…

  10. Snake disse:

    Impressiona mesmo. É a Paizo mostrando toda sua força. Espero que Tormenta bombe também.
    Eita… se a Jambô publica-se Pathfinder no Brasil huahuahuah

  11. valberto disse:

    2kg de livro… é muita coisa para levar para a mesa de jogo. PF é um dos melhores corerules d20-a-like que eu já vi.

  12. Cassaro disse:

    "Todos vão migrar" diziam eles.
    "O povo também reclamou nas outras edições, mas no fim todo mundo mudou" diziam.
    Puxa, como eu adoro ter razão…

    • Potemkin. disse:

      Eu adoro a D&D4E, mas também admiro o que a Paizo fez pela 3.5 e consideraria comprar ao menos o PDF (U$ 9,99 ; só preciso de um cartão internacional :'( ); ainda mais com aquelas ilustrações [email protected]
      Tem um pessoal que joga por aqui Tormenta (que ainda é 3.5) e o outro grupo o FR 3.5 e nenhum deles acham válido adaptar para 4E com os personagens em épico; contudo eles acham fácil mudar para a Pathfinder (apesar de eu achar que eles não o fariam isso) o que com certeza levaria eles a comprar o Path (ainda que somente se traduzido). Boa parte do que jogam 3.5 talvez pensem assim, talvez também por isso esse boom.
      Mas será que eles continuarão a jogar 3.5 pra sempre? Talvez… ainda tem quem jogue AD&D por que não teria gente que pense do mesmo jeito em relação ao 3.5.
      Um amigo meu tem vontade de mestrar D&D (1º edição mesmo) e eu jogaria amarradão. E como eu já disse o pessoal que joga por aqui joga D&D 3.5 , e mesmo eu adorando a D&D4e alguém acha que vou perder oportunidades de jogar e me divertir a baldes de birra… óbvio que não.
      O importante é se juntar aos amigos e se divertir não importa se com sistema A, B, C ou D&D…

      • Volz disse:

        bem. Se meu grupo vai jogar 3.5 pra sempre. Isso eu não posso ter certeza.
        Se os filhos que eu vou ter vão jogar rpg D&D 3.75… Seja tormenta rpg, seja forgotten seja pathfinder rpg. Com certeza.

    • Tiago Lobo disse:

      "Puxa, como eu adoro ter razão…" Ah Cassaro, não vem com essa conspiração.
      Todo mundo sabe que o Pathfinder não vendeu nada, nem foi lançado, logo ele não existe! Isso é uma jogada de marketing da Paizo pra tentar desmentir a crise mundial dos jogos de RPG 😛

  13. Gruingas disse:

    Caramba! Essa eu não esperava mesmo, tem realmente uma galera que não curtiu a 4a edição!! Viva a resistência!
    Não tenho interesse, porém, num pathfinder traduzido, eu gosto muito do d20 / D&D3.x, mas fico satisfeito com UMA versão alternativa. E pra mim essa versão será o novo Tormenta.
    De qualquer forma, é sempre bom ver que tem mais gente que não aprovou a 4a edição!!

  14. Medonho disse:

    Eu migrei mas mesmo jogando (aprovando e gostando) da 4.0 eu ainda continuarei jogando a se surgir a oportunidade 3.5 😀
    Nossa, que surpresa bôa, e pensar que ontem mesmo eu ouvi alguém dizer: "E alguém jogar essa mer** de Pathfinder?". Isso mostra que tem muita gente ansiosa pelo livro. Ponto (mais um) pro Pathfinder.

  15. Cassaro disse:

    Que tenha gente gostando e jogando a 4E, tudo bem.
    MUITO chato mesmo são os espertos alegando que "ah, quando mudou de AD&D pra 3E foi a mesma coisa, todo mundo reclamou, e no fim acabaram mudando. Agora vai ser igual."
    Não é igual. Antes não havia a Licença Aberta. Ela faz toda a diferença.

  16. Aiken Frost disse:

    "Se você está lendo esse comentário, então você é a resistência." Hehehehe
    Pô, mandou muito bem, Paizo. Sacanagem é que JUSTAMENTE quando eu consigo um emprego pra comprar tudo é que é livro que eu quero, o número um da lista esgota… Vou ter que me contentar com o PDF até o livrão voltar.

  17. Mamorra disse:

    Eu sabia que o Pathfinder era muito bom, mas esgotar antes do lançamento… Nossa… É até complicado de falar
    Espero que saia a tradução pela Jambô, por que se a Devir assumir…

  18. Thiago disse:

    O do meu grupo só chega em setembro. Mas pelo menos vem antes de novembro.
    Muita ansiedade pelas próximas semanas!

  19. Renato Moreira disse:

    No Pathfinder agente ainda dá para ver aquela luz que bateu quando chegou o 3ª Edição.
    Estou acompanhando o sistema desde que saiu a edição alfa, e está parecendo bem interessante. Dá pra sentir que estão caprixando bastante.
    As gravuras estão excelentes, diferente do 4ª Edição que parece que regrediu ou está economizando com desenhistas.
    Para comprar mesmo, vou esperar sair em português se sair. Mas creio que é um excelente investimento!
    Vamos ver o que acontece…
    PS: DEVIR não!!!!!!!!!!!!!!!!!

  20. Heitor disse:

    As gravuras estão excelentes, diferente do 4ª Edição que parece que regrediu ou está economizando com desenhistas.
    E quem Wayne Reynolds não desenha pra 4e?
    Bom, ainda acho que parte do sucesso do Pathfinder se dá pelos livros básicos da 3.Xe já estarem esgotados a tempos, e não só pelas novidades.

    • Renato Moreira disse:

      O Wayne Reynolds está bem menos atuante no 4ª Ed.
      Alguem se lembra do Fodástico Todd Lockwood o designer conceitual gráfico chefe do 3.0? Ele mal faz gravuras no 4ª Ed.
      Foi broxante ver as ilustrações inferiores do que a 3ª ed na quarta no LdJ.
      O interior tá mais pra William O'Connor, q não é um Wayne da vida.
      Vai dar uma olhada no Pathfinder! 😉

      • Medonho disse:

        Wayne Reynolds sem dúvida é meu artista favorito, tento desenhar no estilo dele mas o mestre é insuperável. Concordo em parte que a arte do D&D 4E está inferior que nos primeiros livros da 3E e 3.5 (exceto pelos últimos livros dessa edição, algumas artes são horrorosas).
        Concordo também que a arte interna do D&D 4E está muito pra cara do William O'Connor, que aliás eu acabei gostando do estilo dele, e também sinto saudades do Todd Lockwood.
        Porém, se a questão aqui é arte, noooossa, a arte interna e de capa das Dragon Magazines e das Dungeon Magazines são incríveis, verdadeira obras de arte. As melhores obras infelismente não estão dos livros, mas nessas revistas.
        Procurem aqui: http://www.wizards.com/default.asp?x=dnd/4arch/ag são um encanto para os olhos

      • Heitor disse:

        Lockwood é relamnet foda. Sinto falta.
        Mas Reynolds demais também não é legal.

  21. Heitor disse:

    Opa, sem "quem antes de "Wayne".

  22. Cleber disse:

    Alguém sabe quantos títulos foram vendidos? Afinal "zerar o estoque" fica subjetivo quando não se tem números…

    • Cassaro disse:

      Eu também gostaria de ter essa informação.
      Claro, "esgotar uma edição" é sempre sinal de sucesso, venderam mais do que esperavam — mas quanto, exatamente, esperavam vender? A Paizo parece cautelosa quando às tiragens. Lembro que ano passado, na GenCon, também esgotaram os Pathfinder Alpha versão impressa.
      Não duvido da força do Pathfinder, mas também tenho curiosidade em saber a tiragem exata.

  23. Heitor disse:

    Parece que 10,000.

    • Rogerio Saladino disse:

      Meio improvável, já que o livro foi impresso na China. Pra esse tipo de negócio (da China) compensar, precisaria ser uma tiragem maior.
      Acredito que algo em torno de 20.000. Note, isso é uma especulação minha, não tenho dados ou informações precisas, nem conversei com nenhum amigo meu e etc.
      De qualquer forma, é uma marca impressionante.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: