Dragon Slayer #25 nas bancas

Já está nas bancas a vigéssima quinta edição da revista DragonSlayer, com Berserk na capa e matérias para 3D&T, D&D e M&M, a DragonSlayer tem 68 páginas e custa R$ 14,90.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

68 Resultados

  1. Arquimago disse:

    Eu em! Será que chegou hoje as 5H por aqui? Eu fui lá mas falaram que mercadoria nova só esse horario… preciso passar lá amanhã!

  2. Heitor disse:

    Opa! 68 páginas! Já é sinal de melhorias! Mas pensando bem, nem sei quantas páginas as últimas edições tiveram… ( =: / )

  3. Ulisses disse:

    Acho que os editores devem começar a colocar na capa que as regras são para D&D 3.X…porque com o sucesso da quarta edição alguém pode acabar comprando a revista achando que tera material compatível com a quarta…
    PS: Quem vive de passado é museu galera!!!!!!!!

    • Pyromancer disse:

      Já deu pra perceber que o povo da 4E é brasileiro, mas já está começando a ficar chato também.

    • ordo_dracul disse:

      O problema é que, se a revista tiver material para D&D 4, também vai ter que ter aquelas mensagens do Ministério da Saúde, dizendo que faz mal à saúde.

    • FIreslinger disse:

      Sério que a 4 edicaum estah fazendo sucesso? Que legal! Entaum talvez agora eu consiga formar um grupo, pq estou tentando, mas estah muito dificil. Todo mundo que eu conheço diz que eh uma porcaria, muito ruim, dah nojo e naum dah pra jogar.

    • Shido disse:

      Passado? A corja da Hasbro/Wizards pode não estar mais trabalhando com d20 OGL, mas ainda há editoras (como a Green Ronin nos EUA e a Jambô por aqui) que trabalham com o sistema. (Os Reinos de Ferro, aliás, não foram, e nem pretendem ir para a famigerada 4a. edição…)
      A marca "D&D" continua sendo citada, acredito eu, porque mesmo tendo perdido o tão-sagrado suporte (insira coro angelical e raios de luz divina) *oficial*, o LdJ, por enquanto, ainda é o livro de sistema do d20 3.x mais difundido por aqui. No momento em que a Jambô publicar seu livro básico de sistema OGL, é possível que passem a usar o nome do novo sistema (bem como outros OGLs já existentes aqui — M&M — ou que venham a ser publicados).
      (Ah, sim, e sem essa de reclamar que "eles só publicam pros sistemas/cenários da casa". A Dragon só publicava coisas para D&D — bem como, de maneira semelhante à DS, adaptações e Ctrl+C+Crtl+V de livros da casa, como os Warforged na íntegra em uma edição que folheei — e nunca vi uma alma reclamando.)
      E acho difícil alguém fazer confusão — do jeito que a GSL é murrinha, duvido que tenhamos algum dia uma revista com material de D&D 4a. edição.
      Para os avestruzes que decidiram desenterrar a cabeça do burado Hasbro/Wizards e ampliar os horizontes, OGL 3.X não é passado.

      • Frederick Vaz disse:

        Shido a GRANDE diferença é que a Dragon não utiliza suas páginas para ficar difamando os sistemas dos concorrentes como acontece nas páginas da DS. E sim, eu comprei e li uma DS (#24). E devo dizer que fiquei decepcionado com o que encontrei. Nada contra divulgar seu produto, mas desmoralizar o produto alheio é no mínino nojento.
        Mas falarei sobre isso em breve em uma resenha sobre a revista. E sim, vai ter acidez, muita acidez. =P

        • Shido disse:

          Não sei se você acompanhou os previews da 4e no site da Wizard$, antes da publicação. Os caras desmereciam seu ex-sistema (d20 3.5) a torto e a direito. Nada contra divulgar o seu produto, mas desmoralizar um sistema que uma porção de outras editoras ainda usam é no mínimo nojento.
          Antipatia por antipatia, a Hasbro/Wizards dá de 10 a 0 na DS. (Mas duvido que você gaste uma gota de ácido sequer quando se refere à Hasbro…)

          • Ulisses disse:

            Eles desmereciam o sistema DELES!!!!!!!!(Foram eles que criaram o 3.5, quem não têm competencia pega carona no sucesso…Vê se a white wolf transformou toda a linha dela em d20….)Tipo agara eles estão errados de falarem do sistema antigo deles?

          • Ulisses disse:

            A hasbro me dá miniaturas no game day, ela me mandou (sem eu saber) uma aventura de brinde, só porque eu me cadastrei no site dela…
            têm um software excelente para criação de pj (gratuito até o 3 nivel…)…E ela ainda cria sistemas de regras e abre opurtunidade para os äbeiros( que ficam na aba) pegarem carona…Odeio a wizard!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
            Basta eles quererem parar com a bagunça (todo mundo sabe que a licença d20 virou bagunça…nem sei como ela, wizard, não faliu de tanto clone…) e a galera já chama de lobo mau…
            Tormenta d20? Porque não mostrar competência, faz um tormenta todo 3d&t de forma a ficar interessante de ser jogado tanto por veterano quanto por iniciante. Não é segredo para ninguém que todos os clones do d20 que tentaram fazer afundaram….(4D&T, Primeira aventura etc…)

          • Frederick Vaz disse:

            Ulisses 3D&T é interessante. Não é um sistema para mim, mas é interessante. Não tenho nada contra os produtos de Tormenta/3d&t. A única coisa que me incomoda é a campanha que tenho visto contra D&D4e.
            E sobre a Wizards criticar o D&D3.5 é um produto deles como o Ulisses já falou. E quando eles criticam a 3.5e eles falam sobre o que a 4e esta corrigindo/alterando (é, nem tudo na quarta edição é melhoria da terceira edição e não me dói nem um pouco assumir isso).

          • Shido disse:

            "Eles desmereciam o sistema DELES!!!!!!!!(Foram eles que criaram o 3.5, quem não têm competencia pega carona no sucesso…Vê se a white wolf transformou toda a linha dela em d20….)Tipo agara eles estão errados de falarem do sistema antigo deles?"
            "Basta eles quererem parar com a bagunça (todo mundo sabe que a licença d20 virou bagunça…nem sei como ela, wizard, não faliu de tanto clone…) e a galera já chama de lobo mau…"
            Bem sabia que esse argumenteco iria aparecer cedo ou tarde… Seguinte, sistema deles até certo ponto — foi uma decisão louvável (por parte das pessoas que estavam naquela época na Wizards) abrir o sistema, mas, feito isso, o sistema deixou de ser deles, ao menos inteiramente. Na real, eles fizeram isso para que as demais editoras lançassem certos tipos de suplementos que eles queriam (aventuras principalmente) — e, segundo a própria Wizards, eles não seriam ameaçados pois "possuíam os melhores designers". Só que não foi bem assim — as editoras preferiram livros de cenário (muitos deles melhores que os cenários da Wizards) e de sistema. Nessa última categoria, não eram clones — afinal, clones são *iguais* à matriz, e não *melhores*, como são muitas das variantes que apareceram.
            Havia bagunça — muito suplemento ruim de gente que não entendia patavinas do sistema de regras e queria uma grana rápida. Mas havia também muita editora séria que publicava material de qualidade — que não raro era mais interessante que o da Wizards. E por não precisarem dar de comer a vacas sagradas (como o D&D era obrigado a fazer), tinham muito mais liberdade para modificar conceitos e regras, o que nos rendeu muita coisa bacana como o Blue Rose/True20 (uma das variações d20 mais rápidas, fluidas e customizáveis que já vi), o Black Company Campaign Setting (ótimas regras de magia e criação de itens mundanos), Mutants & Masterminds (mais customizável ainda que o True20, mas não se presta bem pra níveis de poder baixos), Iron Heroes (que eu chamaria de "avô da 4e"). O que você chama de "bagunça" eu vejo como "ter muito mais opções".
            A Hasbro nunca me deu coisa alguma. Quando eu quis um bardo bacana na 3a. edição, a Wizards só me vendeu aquela coisa chulé do LdJ — mas o Monte Cook, da Malhavoc Press, me vendeu o bardo variante do Complete Book of Eldritch Might, que finalmente era bacana. Quando eu quis psiônicos, a Wizards só tinha a oferecer aquelas regras que não passavam do sistema de magias, só que baseado em pontos (ainda que seja uma melhoria em relação aos slots) — a Green Ronin, por outro lado, tinha à disposição o Psychic's Handbook, com regras bem mais legais. Se você gostasse do sistema d20, mas a Wizards não tinha a oferecer aquilo que você queria, havia a possibilidade de permanecer com o sistema que se aprendeu e ter opções diferentes.
            A Wizards, portanto, não estava falando mal do sistema "dela" — ela estava desmerecendo por tabela os produtos de outras editoras. E ela poderia ter falado bem do novo sistema sem detonar o d20 3.5.

          • Frederick Vaz disse:

            Shido acho que você esta confundindo as coisas.
            Me diga quando a Wizards criticou o M&M ou o Blue Rose/True20?
            Ela criticou o D&D e não o sistema D20.
            E sobre a nova licença ela não revogou a antiga. As empresas podem continuar fazendo material para a OGL. Sendo assim não ´há necessidade alguma de choramingar sobre a GSL. Só porque eles não querem abrir as pernas para seu novo produto como abriram para o produto anterior não quer dizer que não se pode mais produzir material para OGL.
            A OGL foi uma grande jogada da Wizards, mas elan ão era perfeita, ao menos não na visão da própria Wizards, pois abria espaço para que se produzisse material totalmente independente do material da Wizards quando, segundo você disse, a intenção era criarem produtos que agregassem valor aos produtos da Wizards.
            Criticar a empresa por tentar proteger seu novo produto é chorar por não poder mais control copiar control colar.

  4. Ulisses disse:

    Meu eu só pedi para eles avisarem!!!!!
    Tipo estamos falando de um jogo que já teve trocentas edições. O mais provável é que quando uma revista tem na capa material para jogo x, eu acredito que seja para a edição corrente do mesmo…e não material antigo (de edições passadas). Quem vai querer fica publicando velharia?
    Acredito que deve aver algo sobre isso no código de defesa ao consumidor…

  5. Filipi disse:

    Po cara, as revistas não são lacradas, basta dar uma olhada antes…

  6. Thiago disse:

    Bom se você não pode publicar coisas antigas, então as revistas de história deveriam ser proibidas!
    A revista é sobre RPG, o vivente que folheie ela antes para saber qual é o sistema que está sendo abordado.
    E outra, muitas das matérias publicadas contêm somente descrições, sem regras, o que possibilita a adaptação para qualquer sistema e/ou cenário. Nada impede um jogador da quarta edição de utilizar as descrições e ambientações para os seus jogos.

    • Ulisses disse:

      kra lê direito!!!!!
      Não estou falando que é proibido publicar coisa velha…estou pedindo que indiquem na capa que se trata da versão diferente da atual…é só ler…

      • Matheus disse:

        Ulisses, teu aviso é válido. Mas a revolta da galera foi com seu comentário "quem vive de passado é museu".
        Usa o sistema X, Y ou Z quem gosta. Quem não gosta não usa nem compra material que não interessa.
        Quem tem imaginação fértil pega QUALQUER COISA e adapta.
        Os caras tem o direito de publicarem sobre o q kiserem e vc de ler e apoiar o q kiser.
        Mas se vc sabe q a galera n curte o mesmo q vc, vale a pena insistir?
        A propósito: tem editoras como a Paizo e a Green Ronin q tão publicando material pra 3.X e n pretendem parar tão cedo. Logo, não é passado e sim presente e, queira Deus, futuro tb. 😉
        falow! braços! fikem com Deus! té +!
        Math

  7. Havoc disse:

    Nada sobre GURPS nem WoD? 3d&t? Argh..

  8. Ulisses disse:

    Bem já que é assim…poderiam fazer uma materia de D&D para complementar a caixa básica da grow de forma que os pjs possam jogar do nível 11 ao nível 15 …na antiga DB (bons tempos) tem uma materia assim, mas só leva os pjs ao 10…
    …rs…

    • vmoes disse:

      Tomara, ainda acho aquela caixa da Grow mais legal e com o texto mais bem escrito do que o da 4ª edição!!
      Tô tremendamente arrependido de ter comprado aquela porcaria!!!

  9. Brauner disse:

    tem gente que gosta da 4 edição
    tem gente que gosta de pagode
    Tem gente que gosTa de teletubies…
    Então o que ce pode fazer?
    Ignorar.
    COm loco não se discute…

  10. Guilherme disse:

    Fake ou não, Gustavo, o teu "primo" tem razão…

  11. Anderson disse:

    Ah, essa adoravel disputa de odio entre sistemas e cenarios.
    Ainda lembro quando o alvo da vez era GURPS, e da disputa entre os fãs de Storyteller e D&D, representando os "frescos" qeu só queriam saber de rolepray puro e os "brutos" que queriam apenas porradaria.
    E o 3D&T? Quantas pessoas o xingaram de ser idiota ou ser coisa de criança, ou não ser um rpg "de verdade"?
    É interessante ver como um meio que reclama tanto de sofrer preconceito consegue exerce-lo tão bem.

    • Gustavo Brauner disse:

      Hehehe. Nunca esqueço num gibi do Batman uns anos atrás, qd o Robin disse algo do tipo "Ahm eles são apenas uns nerds jogadores de RPG" – não foram exatamente essas palavras, mas era pekorativo com relação aos nerds… Um personagem de HQ falando mal de nerds de RPG? Ou, melhor, um nerd de HQ falando mal de um nerd de RPG… O roto falando do rasgado…

  12. Guilherme disse:

    É, mas tem um gibi do Batman em que o Robin (Tim Drake) resolve um crime do Coringa jogando RPG com seus amigos! O Batman não está e ele tem que resolver o problema sozinho. Ele está sem idéia, e vai jogar RPG com os amigos do colégio. Ele é o mestre. Como ele não teve tempo pra preparar a aventura (ele é o Robin!), coloca para o grupo uma situação parecida com a qual ele está enfrentando. Durante o jogo os amigos dele resolvem o dilema! Daí ele termina a sessão, coloca o uniforme e vai pra cima do Coringa!

  13. Leonel disse:

    Howdy.
    Não entendi uma coisa: estão reclamando sobre falta de 4a edição e presença da 3.X na DragonSlayer? Então não seria lógico reclamar da GSL, que essencilamente proíbe que a gente ponha 4E na revista?
    Estão reclamando que a gente falou mal da GSL? Então não seria lógico achar que ela é boa e está certa, inclusive nas cláusulas que nos impedem de publicar material de 4E na revista?
    Decidam-se por uma reclamação. 😉

    • Cassaro disse:

      Ah, Leonel…
      Estão reclamando porque sempre, alguém, em algum lugar, vai reclamar.
      Depois que se aprende isso, tudo fica mais fácil!

    • shaka disse:

      Não é bem disso que o rapaz tá reclamando. Ele reclama da falta de um aviso na capa dizendo que a revista não produz material para a 4ª edição. Sinceramente, acho meio inútil, mas fazer o que?

      • Tek disse:

        Não Shaka, ele só está trollando mesmo. Alguém que reclamasse de uma maneira decente não usaria expressões como "quem vive de passado é museu" ou coisas do tipo.
        Se tu notar, tem gente que comenta no blog que faz isso direito, e tem os trolls.
        É como eu sempre digo: "Tormenta: 10 anos arrumando o que fazer pros trolls da Internet brasileira". Sabe esse povinho que teve pelo menos uns 8, 9 anos pra criar um cenário que fosse bom e pudesse competir com Tormenta (ou desbancar, afinal todos que reclamam são ótimos game designers…)?
        Bem… Como não estamos vendo esse monte de cenários perfeitos, só podemos concluir que esse pessoal continua falando asneira na Internet ao invés de fazer algo que preste.

        • Frederick Vaz disse:

          Interessante você falar de falta de decência a utilização de expressões como "quem vive de passado é museu" Tek.

        • Cassaro disse:

          Já eu, gosto de chamar "Clube dos Perdedores Frustrados".
          Mas troll também é divertido.

          • Frederick Vaz disse:

            Engraçado que reclamam dos comentários com modo troll ligado mas quando aparecem comentários sem modo troll ligado e com argumentos válidos ele é ignorado e a conversa é redirecionada para os comentários trolls novamente.
            E reclamar de modo troll é balela pois todo mundo tem seu lado troll. Embora em alguns isto seja mais evidente.

          • Leonel disse:

            Ok, I'll bite.
            Quanto às críticas: nós tecemos as críticas que achamos necessárias a qualquer produto. Inclusive à 4a edição e à GSL. Como eu já disse, tu deve perceber que a "maravilhosa" GSL está atualmente impedindo que um sistema que aparentemente tu gosta (a 4E) apareça na única revista de RPG do Brasil. Se isso não é digno de crítica, não sei o que é.
            Quanto a "fazer seu próprio produto" e não depender dos outros: concordo. Tanto estamos investindo em nossos próprios produtos e não nos responsabilizando pelos produtos dosoutros (o que não deixa de ser ilegal) que publicamos matérias dos sistemas da casa. Sistema d20, Mutantes, 3D&T…
            Quanto às críticas da Wizards para com o Sistema d20: a Wizards é livre pra falar o que quiser (e nós também). Mas é ingenuidade achar que "Este sistema que todas essas editoras usam é uma porcaria injogável!" é um comentário sem conotação depreciativa. Como eu disse, ela *pode* falar isso. Mas vamos assumir que é depreciativo. Eu digo que 4E não é um bom sistema. Isso é depreciativo, e tudo bem.
            Sobre o aviso na capa: não digo que seja algo 100% desnecessário. Pode até vir a aparecer. Mas até agora D&D no Brasil significa 3.X.
            Finalizando: se o público quiser 4E na DS, esforcem-se para que a GSL mude e sejam maioria. Nosso gosto pessoal nunca vai impedir que um material seja publicado se for a vontade do público.
            Mas por enquanto a maior parte do público prefere RPG, e não 4E.
            Abraço.

          • Tek disse:

            Cainitech é uma das maiores provas de que se pode publicar algo que vai contra o gosto pessoal de alguém.

          • Frederick Vaz disse:

            Leonel acho absolutamente normal vocês criticarem a 4e, minha critica é com a forma como isso foi feito na DS #24 (não posso dizer nada sobre as outras edições pois como disse anteriormente não tive a oportunidade de ler as mesmas).
            E repito o que disse anteriormente, a Wizards não criticou o sistema D20, ela criticou o D&D 3.5. Entendo que ele seja o principal sistema d20 existente no mercado, mas como já disse as criticas da Wizards não se aplicam aos demais produtos d20, e por mais que aplicassem uma coisa não justifica a outra.
            Não nego que a nova licença tenha suas falhas. Mas para mim a melhor coisa que fizeram com a 4e foi esta licença mais fechada. Quase escrevo um texto enorme aqui sobre o assunto mas vou esperar para organizar as idéias em uma matéria.
            E sobre 4e na DS eu ficaria contente se a DS simplesmente noticiasse as novidades referentes a 4e. Isso porque sempre acreditei na DS/DB como revistas voltadas ao RPG, e não se pode negar que a 4e tem sido o foco de uma parcela respeitável de novidades no mundo do RPG nos últimos meses.
            Espero que sua última frase do comentário não queira dizer que a 4e não é RPG, porque se foi isso que quis dizer para mim equivale a frase do Ulisses que disse que "quem vive de passado é museu". O que alias é uma das coisas que me incomodaram na DS #24.
            Só queria aproveitar que você comentou meu comentário (ficou estranho) e lhe dar os parabéns. Os seus textos foram os mais cativantes da DS #24 na minha humilde opinião (contando que você não seja o bardo :P)

          • Ulisses disse:

            4ed não é rpg…Porque vc sabe o que é rpg!!!!!….Sério?

          • Ulisses disse:

            Se a Ds continuar a exister daqui a um ano te pago uma cerveja…: D

          • Tek disse:

            Pf, cerveja mais fácil que já vi.

          • Cassaro disse:

            Eu pago uma vodka.

          • Tek disse:

            Aceito. A vodka mais fácil que já vi.

          • Leonel disse:

            Feito! Valendo uma ceva, DS existir ou não dia 23/06/2010. Tek, Nume & cia.: se puderem ajudar a lembrar, divido com vocês.
            It's on!

          • Tek disse:

            O ruim é que esse Ulisses é um desses sem-cara da Internet, nem vai dar pra cobrar. Até lá o cara já desapareceu.

          • trollslayer disse:

            Ei! Esqueceram de cobrar a cerveja e a vodka? Estão uns 4 meses atrasados 😛

          • Shamassu disse:

            ÉÉÉÉ aehaueahe Quebrou a cara muito legal.
            Como vai cobrar agora? :O

          • Tek disse:

            Cara, pode comentar em cima dos comentários com argumentos válidos. A gente deixa.
            Agora não reclame se as pessoas quiserem comentar nas trollagens. A gente também deixa.

          • Frederick Vaz disse:

            E quando falei sobre só responderem as trollagens não falei da geral, falei do pessoal do blog.
            Mas só comentei porque vocês reclamam das trollagens mas no final a atenção de vocês acaba sendo voltada para as trollagens ao invés de direcionar aos posts construtivos.

          • shaka disse:

            Engraçado você dizer isso. Já ví várias pessoas dizendo que nós ignoramos argumentos não agressivos e construtivos. O estranho é que, geralmente, essas pessoas são trolls querendo que argumentam com base em achismos ("na minha rua/ fórum/ loja que eu frequento ninguém gosta de Tormenta") e factóides criados por gente frustrada e invejosa. E, quando alguém comenta a trolagem do cara, ele geralmente vem com essa de "vocês não aceitam argumentos" e fiucam nisso, ignorando que a gente realmente discute os tais "argumentos" (eu, pelo menos, cansei de explicar coisas como o preço da DS, a falta da 4ª edição na revista, a presença de material repetido nas publicações, etc).

          • Corvo da tempestade disse:

            Onde tem uma explicação sobre o preço da revista???…sério não é "trollagem" sempre tive curiosidade sobre esse assunto.

          • shaka disse:

            na comunidade oficial da DS no Orkut tinha uns três ou mais tópicos em que este assunto é discutida à exaustão (até o Trevisan ja postou lá). São meio antigos, mas não devem ser difíceis de achar. Fora isso o Cassaro já explicou isso em uma entrevista para um site chamado Critical Hit (ou algo assim, não lembro bem).

        • Corvo da tempestade disse:

          "Sabe esse povinho que teve pelo menos uns 8, 9 anos pra criar um cenário que fosse bom e pudesse competir com Tormenta"
          Discordo dessa parte. Não é necessário ser um escritor para reclamar de um livro, não precisa ser um designer para reclamar de um jogo de video-game…o importante é como reclamar. Talvez (eu disse talvez) tenha, sim, um cenário muito bom que não "foi pra frente", por falta de incentivo/vontade, ou outro fator qualquer.

          • shaka disse:

            Corvo, presta atenção no contexto, o Tek está falando de certos autores que foram malsucedidos tentam aliviar seu fracasso descendo a lenha em quem fez sucesso.

      • Corvo da tempestade disse:

        Seria a mesma coisa que a Playboy colocar um aviso: "Contém mulheres nuas" em suas revistas rsrsrsrsrsrs

  14. Leonardo Borba disse:

    Já comentei isso no fórum da Jambô (sou o Kerd), a nova edição tá bacanuda, como sempre, apesar de umas imagens meio borradas.
    E, como comentei no fórum também: não acho nem um pouco engraçado esse novo personagem nos Encontros Aleatórios. Se é que eu tou pensando quem é, não é necessário ficar chutando cachorro morto, dando ibope indireto pro cara. Aquele velho ditado "falem bem ou mal, mas FALEM de mim" ainda vale.
    Com tanto personagem bom para usar, como o Katabrok, os dois "antis" vão e colocam "ele"?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: