Elfos do Deserto: Os Mozeraneos

Os elfos do deserto habitam Madyan, o deserto das areias flamejantes. Eles são chamados “Mozeraneos” ou “os filhos de Mozeran”.
Sua aparência é musculosa, e sua constituição é firme e resistente, com altura e peso similares aos humanos.
Eles possuem uma pele bastante morena, com cabelos escuros. Os olhos também são escuros, a maioria tem olhos negros ou castanhos escuros.
Sua pele é grossa, que os protegem das areias e do sol, além de serem muito resistentes ao calor e a seca.
Apesar de não procurarem a aparência selvagem dos Silvyn, também podem ser considerados introspectivos e sanguinolentos.
Habitat:
Apesar de ser um deserto, a vida é abundante em Madyan.
Criaturas gigantescas, como os vermes da areia, salamandras de fogo e os escorpiões do deserto formam uma fauna rica e perigosa sob as areias do deserto.
O deserto das areias flamejantes recebe esse apelido por abrigar em suas areias árvores esparsas. No entanto, inexplicavelmente, o chão arenoso pega fogo e mantém todas as árvores carbonizadas através dos séculos.
A região do deserto é vulcânica, com rios de lava e metal correndo tanto na superfície quanto no subsolo do deserto. Por isso, as poucas fontes de água são sempre ferventes, o que não é problema para os Mozeraneos.
Magia e cultos:
Igual aos seus primos da selva, a magia do deserto é altamente ritualizada e xamanística.
No entanto, ao contrário dos Silvyns, existe o culto ao deus escorpião Tantak.
Como parte do culto, de tempos em tempos, são organizadas competições de gladiadores entre as tribos do deserto.
O vencedor da competição faz com que sua tribo torne-se a líder dentre as outras.
A competição ocorre de 4 em 4 anos (o tempo de vida de um escorpião do deserto), com as lutas de gladiadores acontecendo até a morte. Os perdedores têm seus corpos queimados, e os vencedores bebem suas cinzas, dessa forma mantendo perene a força do deus escorpião. Ao final das cerimônias, o último sobrevivente simboliza a vitória de Tantak sobre a morte, e o nascimento de um novo deus escorpião.
A arma usada nessa cerimônia é a chamada “garra de Tantak”, usada em pares, como uma espécie de “katar” ou “roda-espada” chinesa. Apesar de possuir significado religioso, a garra de Tantak também é usada pelos guerreiros na defesa das tribos.
Artes marciais:
Os elfos desenvolveram uma arte marcial – semelhante ao Ba Gua Zhang (de movimentos circulares) – que usa as guarras de Tantak como arma.
Essa arte marcial é altamente ligada ao culto à Tantak, e os que se tornam mestres nela são vistos como pessoas sagradas, e ocupam o lugar mais alto na sociedade.
Economia:
Os elfos são incrivelmente habilidosos nas técnicas de forjaria. Embora não sejam delicadas, as armas forjadas são incrivelmente resistentes e afiadas. Sendo uma das poucas espécies que dominam completamente a arte da têmpera do aço e com isso conseguem comercializar seus produtos a outras nações.
Existe inclusive uma espécie de aço negro fortíssimo que só pode ser forjado no deserto. Esse aço pode ser produzido em circunstâncias bem específicas, só conhecidas pelos Mozeraneos.
Além do domínio da forja, as histórias dizem que o kashra das areias de Madyan possui algum papel na produção do aço negro, mas a localização exata – bem como o processo de fabricação do aço – é mantido em total segredo.
Armas:
Espadas, cimitarras, lanças e garras de Tantak.
Roupas:
Leves e que protejam das areias. Os elfos não têm problemas com o sol, mas os ventos de areia são cortantes, apesar de resistentes, usam roupas que os protegem.
Outra opção bastante comum é cobrir o corpo com cinzas e argila, especialmente em combates rituais.
Os guerreiros usam armaduras de couro, com pouco metal.
Sociedade:
Tribal e matriarcal.
Existem castas bastante rígidas nas tribos. Os mais respeitados são os guerreiros sagrados, seguidos logo pelas mulheres (que são impedidas de trabalharem), os xamãs e os demais.
Casas:
Vivem em casas feitas de pedra e cascos de insetos gigantes, além de couro e tecidos.
Cidades:
Não existem cidades, mas vilarejos. Todos são construídos sobre antigos restos de lagos de lava metálica, que se solidificaram e se transformaram em proteção contra as criaturas que vivem sob a areia.
Embora não tenham mais contato direto com o metal, o chão das vilas ainda é quentíssimo para uma pessoa normal, mas os Mozeraneos são resistentes ao calor (mas não são imunes ao fogo!).

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: