Janeiro avança e nada de D&D 4E em terras tupiniquins…

Primeiramente prometido para 12 de outubro de 2008, o Livro do Jogador de D&D 4E teve a previsão de lançamento alterada para uma data próxima do Natal, e como vocês sabem já estamos na segunda semana de janeiro de 2009

Não vou discutir mais a incapacidade da Devir de cumprir suas previsões de lançamentos, isso já está claro para todo mundo. Mas é provável que, nesse ritmo, Reinos de Moreania RPG e Tormenta RPG sejam lançados antes da 4E de D&D no Brasil. E aí me pergunto: se vou ter a disposição dois livros com sistemas OGL agradáveis (pelo que eu vi das regras de magia na DS 22, pelo menos) e cenários que gosto, por que eu iria gastar provavelmente o dobro com um livro que tem um sistema que até agora não me agradou exceto em poucos pontos e nenhum cenário?

Pois é. Não vou. Porque se a editora concorrente conseguir projetar um novo sistema e atualizar todo o cenário com os eventos mais recentes descritos em romances e suplementos e ainda lançar outros livros no período em que a equipe responsável por D&D na Devir trabalha em apenas um livro… Bem, acho que eles perdem a corrida pelo dinheiro do consumidor.

Você pode gostar...

68 Resultados

  1. Concordo plenamente. Infelizmente a DEVIR está com uma planejamento muito fraco, há muito tempo.

  2. valberto disse:

    Quem faz mesmo o planejamento da Devir? Não sei, mas se fosse na minha escola esse cara já estaria no olho da rua. É incompetência atras d eincompetência. Vai findar que só os tres livros básicos serão lançados, se muito, numa situação parecida com o vácuo deixado pela Abril na década de 90.

  3. Gun_Hazard disse:

    Eu já havia imaginado que a 4ªed não iria agradar a todos.
    Agora a 4ªed versão Devir, eu arrisco que possa ser um fracasso:
    – Por causa da falta de divulgação do produto.
    – Por causa da falta de cuidado com a tradução.
    – Porque se o dolar abaixar vai voltar a ficar mais barato comprar o Grigo que o Devir.
    – Por que a demora em traduzir um livro é imensa (Comparando seu lançamento lá fora e seu lançamento aqui dentro)…
    – Porque o público já tá de saco cheio da devir (No sentido pessoal da expressão) e prefere comprar importado.
    Mesmo quem gostou da 4ª ed (O que não é uma unanimidade), vai ter séria restrições para comprar os livros da Devir…

  4. Metal Sonic disse:

    Gun, você disse TUDO o que eu ia falar!
    E que venha o Moreania RPG!

  5. hackbarth disse:

    Vocês que jogam D&D estão muito mal acostumados. O pessoal de GURPS está esperando a 4ed da Devir desde 2005.

  6. Romullo disse:

    Pois é, concordo com tds. O q a Devir pretende com isso? Além de a 4ed ser horrível (eu infelizmente comprei o Players e o Monster Manual), com uma péssima tradução, demora infinita e pouca ou nenhuma publicidade, acho q ninguém comprará essa joça traduzida…
    Bem, se desagrado a ag, me desculpem, mas pelo o q vejo, o mercado nacional de RPG vai mt bem, obrigado, e temos só a agradecer!
    Qnt ao GURPS, meu caro hack, veja bem… Vc ainda tem esperanças de vê-lo traduzido? Sinceramente, são 4 anos de promessa…
    Parece q a Devir está mais para o WOD… E msm assim, devagar quase parando…
    Agora, por favor gente, se vcs querem 4ed, é só criar uns templates com bastante espinho, add regras de videogame e encher de miniaturas a mesa de jogo. Roleplay nemexiste mais…

  7. Gilson disse:

    A falta de respeito dessa editora em não responder nada sobre o Gurps (não faço birra para ser traduzido, só queria uma resposta) deu um novo significado às palavras nojo e repulsa.
    E com blog fazendo gincana de caçar arquivo de áudio do brinquedo da Hasbro… Sem comentários.
    Gilson

  8. Nibelung disse:

    Gun, concordo com quase tudo que vc disse, menos na questao do atraso. Apesar disso, concordo com a questao do cronograma falho e inconfiavel.
    Prometer um livro pra uma data e nao entrega-lo nessa data? Inadmissivel. é um dos piores erros da Devir, e algo que compromete e muito o profissionalismo deles.
    Atraso no lançamento? Ja nem tanto. Veja o mercado americano e os livros que sao traduzidos aqui. A maioria absoluta demora mais de um ano pra sair por aqui, entao reclamar que um livro que saiu tem SEIS MESES ainda nao tem versao traduzida é uma reacao exagerada. Desde que o livro foi publicado la fora eu “apostei” que a versao brasileira saia em março, e mantenho a aposta até hoje.
    Claro, ainda tem os problemas com GURPS, o velho mundo das trevas, e o D&D 3.5, mas eu ja acho que é um problema mais de cronograma (que eu tambem reclamo) do que de necessariamente “atraso”.
    So de curiosidade, alguem sabe qual foi a traduçao que saiu com o menor intervalo em relacao ao americano com relaçao a RPG? Livro do Jogador 3.0/3.5, um ano.

  9. Gun_Hazard disse:

    Nibelung deixa eu ser sarcástico um pouquinho…
    Quando saiu o último livro do harry potter (Minha esposa gosta…), demorou UM MÊS para um Fã Comprar o Gringo Ler, Traduzir e publicar na Internet.
    A Empresa dona dos Direitos demorou um pouquinho mais, coisa de 2 a 3 Meses do Lançamento Gringo.
    Desculpa mas uma “EQUIPE de tradução”, não dar conta de um livro, pelo tempo que já se foi, é no mínimo incompetência.
    Lembrando que está “EQUIPE de tradução Profissional”, consegue resultados próximos aos de Fãs não remunerados…

  10. Fabiano Neme disse:

    Só pra constar: a 4E em italiano saiu no mesmo dia da edição em inglês. A 4E em alemão já foi lançada e já desistiram de seguir traduzindo.
    Eu até poderia continuar falando mas, como o d3 me falou no fórum da Rede RPG: como eu não sou cliente Devir (só compro livros importados), não tenho o direito de reclamar.

  11. Heitor disse:

    Mas temos que lembrar que aqueles que curtem Harry Potter são os maiores fanboys atuais… não surpreende ter traduzido o livro em tão pouco tempo (e que a qualidade da tradução amadora seja péssima).

  12. Romullo disse:

    Heitor, não considero a tradução tão ruim assim ñ… Agora, pense bem, se os fãs conseguem traduzir, pq os caras q são pagos para isso ñ o fazem? Falta a paixão q os fãs de HP tem com os seus livros? Estranho, não? Por exemplo, no mercado nacional, livros brazucas, até Netbooks, saem aos montes e mts de excelente qualidade… O q isso nos diz? Os caras são apaixonados pelo o q fazem…
    Abçs!

  13. rsemente disse:

    Eu não sei em que pé está o processo de lançamento da 4E em portugues, mas não é só tradução.
    Comparar um livro de RPG com um livro de história é bem diferente. Tem indices, tabelas, referencias, diagramações, etc…
    O Erro da Devir está em divulgar datas.
    Eu diria, estamos tentando publicar para dezembro, em vez de dizer, o livro sai em dezembro. e só dizer que o livro sairá em Més tal, quando estiver indo para a gráfica, ou quando estiver recebendo a qualificação da idade.

  14. Romullo disse:

    Ah, tá, aí eu concordo plenamente contigo! É um pleno desrespeito com o leitor! Agora, venhamos e convenhamos, o mercado nacional está muito melhor, não é? Se antes tínhamos de comprar vários e vários títulos importados, agora já ñ são tantos.
    Abçs!

  15. Romullo disse:

    Ah, tá, aí eu concordo plenamente contigo! É um pleno desrespeito com o leitor! Agora, venhamos e convenhamos, o mercado nacional está muito melhor, não é? Se antes tínhamos de comprar vários e vários títulos importados, agora já ñ são tantos.
    Abçs!
    http://gaiaspriest.blogspot.com/

  16. Alexandre disse:

    Mamãe já dizia: “Não prometa o que você não pode cumprir”.
    O pior não é demorar. O pior é frustrar a expectativa.
    Quanto ao GURPS, eu já desisti. Está na cara que a Devir abandonou o sistema.

  17. Gabriel Toshimi disse:

    Tá, agora diga uma novidade…
    Sinceramente, RPGistas Brasileiros, vamos incentivar a Wizards arrumar outra editora (uma feita por pessoas boas no que fazem). Porque a devir, vish…
    Vocês já foram lá? É um galpão com estantes. E nem preço os livros têm…

  18. Gilson disse:

    Já tentei isso, Gabriel. A SJG ignorou com uma resposta imbecil, como tudo parece ser.
    Gilson

  19. Nibelung disse:

    Na boa, comparar qualquer livro de RPG com o ultimo do Harry Potter é o mesmo que comparar a fabricaçao de PS2 com Mega Drives.
    O mercado de RPG brasileiro é restrito. Nao tem tanta gente assim disposta a comprar. Eu me assustei quando o d3 divulgou que até o fim de 2007 eles tinham vendido 21000 LdJ 3.0. Olhe qualquer livro e me diga como voce classifica um livro que vende pouco mais de 3000 livros por ano. E olhe que D&D é, de longe, o sistema mais jogado no Brasil.
    Novamente, nada justifica publicar prazos e nao cumprir.

  20. Arquimago disse:

    Eu não pretendo comprar.
    Mas sobre o tormenta, vamos ver… o sistema novo me interessa!
    Divulgar e não cumpriri é complicado, vejam a Jambô, ela traduz, mais rápido que a Devir, mas não na mesma velocisdade que os livros são lançados, mas ela só divulga quando o livro esta andando bem, tanto é que mais de um lançamento foi adiantado!
    Ou seja na cabeça do consumidor ela é uma super editora, fodona, mas o que ela faz na verdade é um bom trabalho e ser esperta! E isso é bom! Ela trabalha, não deixa todo mundo chupando o dedo e frustrado, e trabalha com ética!
    Coisa que as vezes acho que a Devir perdeu…

  21. valberto disse:

    Se vende pouco, é melhor nem investir. Por que então pagar tradutores para não lançar o livro? se a grana tá boa assim manda um pouco para mim. 🙂

  22. Jagunço disse:

    Certo, “O mercado de RPG brasileiro é restrito”. Eu concordo. Me pergunto, muitas vezes, numa boa (sem inventar crise) até onde esse tipo de negócio rende lucro, mesmo (contabilizando a pirataria, etc). Mas, por outro lado, a gente sabe que se não desse nenhum lucro não tinha gente metida na coisa. Durante anos a Devir tem apenas se aproveitado de um largo espaço de atuação, praticamente sem concorrência consolidada, pra tratar o consumidor com um certo descaso (é assim que eu me sinto, como consumidor, pelo menos). Torço pra que editoras como a Jambô se consolidem e façam esse jogo mudar. Torço, muito, pra ver a Devir se decidir entre respeitar o público que – ao menos em parte – a sustenta ou largar de vez negócios supostamente inviáveis.
    (Não, eu não estou esperando a 4e. Mas já esperei sim, muitas vezes, por muita coisa).
    Abraços.

  23. Romullo disse:

    Já repararam como a Devir monopoliza as coisas? Tipo, se o cenário/livro de regras básicas tá funcionando lá fora, a Devir anuncia q vai traduzir. Traduz? E quem mais pode traduzir o q ela anunciou? Assim foi com GURPS 4th, Vampiro, Hunter (se lembram de qnd ela anunciou o Hunter há uns dois anos?), Arcana Evolved (pô, esse foi drástico: disseram q ñ haveria mercado consumidor pq o livro custaria 120 pilas… como eles foram ver isso dps de terem traduzido o livro?!) e assim vai. Teoria da conspiração? Sou milhares de milhões de vezes a Jambo e os independentes (como nós).
    Abçs!
    htt://gaiaspriest.blogspot.com

  24. Shin disse:

    Bem,
    Eu tenho uma opnião um pouco diferente.
    Eu penso mais como o Nibelung, sejamos francos, o mercado brasileiro é uma coisa “pequena” comparado a outros mercados…
    Mas claro que isso não justifica nem um pouco.
    Quanto a tradução independente, vamos apenas SUPOR que haja algo assim, já pensaram em como é traduzir alguma coisa?
    Eu pensava como muitos aqui, mas depois de ouvir os PodCasts do D3, percebi como o trabalho de tradução é complicado, afinal cada termo que se traduz é uma coisa que irá ficar, e não se pode voltar atras.
    Então, acho que o trabalho de tradução de uma coisa que TERÁ suplementos é bem mais dificil que traduzir um livro de um romance.
    Bem esse é meu ponto de vista.
    Cya

  25. Nibelung disse:

    Vou parecer um disco arranhado agora, mas so vou listar o que tem la fora que nunca foi traduzido aqui e nao esta “amarrado” pela Devir.
    7th Sea, Spycraft, Legend of 5 Rings, In Nomine, Warhammer 40.000, Paranoia, EBERRON…
    Pois é, a Devir nao tem a licença pra publicar Eberron 3.5. Talvez tenha pra 4e, mas o 3.5 continua la.

  26. valberto disse:

    O problema é quem poderia pegar essas linhas. A daemon não tem interesse nisso. A Jambô já tem linhas de rpg demais e Eberron seria cocorrente direto de Tormenta… sobre… ninguém. fezes!

  27. phil souza disse:

    Lerê lerê lerelerelerê….

  28. Gun_Hazard disse:

    Shim.
    Me desculpa mas tenho o Starwars Saga traduzido por fãs (e o livro original também caso queiram saber).
    Ele é diagramado o mais próximo do original, a tradução pode não ser perfeita, mas é melhor que a da Devir. O único ponto falho é que as imagens são em baixa qualidade para tornar o pdf mais leve.
    E o que quem traduziu ganhou com isso? Nada!
    Agora porque quem pode Traduzir e GANHAR com isso não faz com a mesma qualidade rapidez e respeito?
    Se a Jambo Comprar os direitos do Pathfinder e Traduzir o TRUE20 eu acredito que a Devir Pare de vez com os RPGs, mas como estamos falando da Devir seele fizer isto ela não vai avisar ou dar justificativa nenhuma e vai simplesmente deixar o negocio trancado/empacado.

  29. Raul disse:

    Eu comprei o box importado um pouco antes de anunciarem que o Livro do Jogador sairia em outubro.
    Acredito que quanto mais tempo eles perderem, mais gente irá buscar outros títulos ou importarão os livros. Se demorarem demais, perderão boa parte do público interessado, ai o livro vai encalhar mesmo…

  30. Romullo disse:

    Vcs acham q a Devir ainda quer vender RPG? Eu acho q ñ…

  31. Filipi disse:

    Francamente, eu nunca acreditei que ia sair um GURPS 4a… Tudo bem que o processo de tradução tem que ser muito bem feito, ainda mais dos livros básicos, e até que a tradução esta legal nos ultimos suplementos oficiais da Devir, os romances que ela traduziu estão devendo quanto a isso, vide a triologia de Dragonlance. Quanto a D&D 4a ed. bem, ao meu ver o problema será que, além de ter de comprar 3 livros básicos que são caros (provavelmente cada um deve chegar por volta de 90 reais ou mais), certos aspectos dessa edição devem ser considerados, como o fato da NECESSIDADE de ter miniaturas para o jogo, miniaturas são sempre caras, eu gosto delas e tudo mais, porém necessitar de miniaturas sempre que for jogar… isso é um absurdo. Fora ao lance de miniaturas, temos os suplementos… o que significa gastar mais dinheiro ainda. Acho que apostar na 4a edição do D&D foi um erro por parte da Devir, existem muitos suplementos interessantes da edição 3.5 a serem explorados pela editora.

  32. Nibelung disse:

    Filipi, eu tenho certeza que tu nem vai voltar aqui pra ler isso, mas a 4e é tao dependente de miniaturas quanto a 3.5.

  33. Nume Finório disse:

    Mais de trinta comentários em um dia! As pessoas realmente gostam de falar mal da Devir. 😀
    O pessoal já discutiu bastante, então vou tentar dar uma de advogado do Diabo aqui: apesar dos percalços com a 4E e com GURPS, a Devir está fazendo um ótimo trabalho com o NWoD no Brasil e, como já lembraram aqui, mesmo com os atrasos eles ainda tem seis meses para quebrarem seu recorde anterior de velocidade de tradução ? a 3.5 demorou um ano para chegar aqui.
    O que fode com a credibilidade da Devir são as expectativas destroçadas pelo planejamento ineficiente.
    A Jambô Editora tem uma maneira muito boa de lidar com isso: não dá datas nem prazos fixos ? no máximo uma lista de lançamentos para o semestre, avisando muito claramente que são apenas previsões. A Devir devia copiar esse comportamento. Sem promessas, sem confete, apenas trabalho duro.

  34. Shido Vicious disse:

    Não, Nibelung, não é não.
    A linha de design da Wizard$ na 3.5 pode ter feito parecer assim, mas não há nada inerente ao *sistema* que o faça sê-lo. True20 e Mutantes & Malfeitores são ótimos exemplos — são sistemas d20 funcionais que não fazem uso delas. E nem são tão diferentes do “core” assim — se você for ver o apêndice de conversão d20-True20 (http://grfiles.game-host.org/gr_files/d20toTrue20.pdf), o que difere mais dramaticamente é mesmo o sistema de dano (que, em si, não tem nada a ver com mapa ou não-mapa).
    Já na 4e não há como não usá-lo (sem ter problemas, ao menos). Uma parte enorme dos golpes especiais (ou “Powers”) lida com “shift 1 square”, “slide X squares”, etc., o que mostra uma dependência inerente do sistema.
    (E, em tempo, o Warrior’s Handbook — que eu já resenhei aqui — tem ótimas opções de combate tático e opções para guerreiros, sem precisar recorrer a mapas — embora o livro traga regras pro uso deles, mas é opcional — ou golpes especiais — ainda que os stunts sejam interessantes.)

  35. valberto disse:

    Apenas trabalho duro só serve para metade da devir. A outra metade, recheada de sapos, só sabe ameaçar.

  36. Allana disse:

    Eu estava pensando nesse assunto esses dias. Não somente sobre a 4ª edição – que eu não tenho lá muita esperança de ver em Português, e mesmo que venha, vai ter um número ridículo de vendas, acredito. Quem queria comprar, comprou o box que além de mais barato, quando o dólar tava em baixa, tem uma qualidade de encadernação muito melhor (ainda não saiu, mas isso não é novidade). E divulgação? Essa palavra existe na Devir?
    Mas bem, voltando ao assunto, eles lançaram Demônio e Anjo (não sei quando, mas vi um dia desses na livraria) e eu penso: MEU DEUS, O QUE ESSE POVO TEM NA CABEÇA? Lançar um material que está sendo pouco jogado do Brasil (Storyteller e derivados não anda sendo muito jogado, pelo que vejo) e completamente desatualizado? Por que não traduzem Hunter – que além de ter uma boa receptividade, pela temática mais aberta, está cheio de suplementos lá fora que também poderiam ser traduzidos?
    Não menosprezo o trbalaho dos caras – livro é caro, eu sei, publicação e tudo o mais, mas o

  37. Allana disse:

    Minha internet comeu meu post. Continuando, não menosprezo que lançar um livro de RPG é uma trabalheira grande, e como o Nume falou, eles até que tão fazendo um bom trabalho com o NWod (apesar que aqueles erros de tipografia com os acentos foi barbaridade…). Mas bem, vamos rezar pra sair a 4e um dia aqui. ;p

  38. Allana disse:

    Ok, agora eu me reitifico: o livro saiu no EIRPG do ano passado (google fu), mas ainda assim, já saiu “meio” atrasado, convenhamos. 😛

  39. Moreau do Bode disse:

    Onde, nume?
    Acho que essa opção só existe para a moderaçao do blog o

  40. Nume Finório disse:

    Ah, é? Ops! 😀

  41. Nibelung disse:

    Shido, eu nao falei “o sistema d20”. Eu falei especificamente o D&D 3.5 e seus sistemas de ataque de oportunidade, flanqueios e afins.
    Alias, la no Tomo4e eles deram uma sugestao interessante pra jogar a 4e sem miniaturas e tabuleiro. Eu nao testei ainda, mas gostei da teoria: http://tomo4e.wordpress.com/2009/01/01/fugindo-dos-quadrados/

  42. Filipi disse:

    Cara, de qualquer maneira, quando sair a 4a edição vou pegar com calma para dar uma analisada… quando falei da necessidade de ter miniaturas, bem, eu levei em conta o que todo mundo esta falando, em sites especializados e tudo mais…

  43. Romullo disse:

    Gente, infelizmente eu comprei a quarta edição nos tempos de dólar baixo. E tem até algumas coisas boas… Mas depende, sim, de miniaturas. Virou mais um wargame/videogame do que roleplay. O sistema de perícias é uma piada, ñ existe multiclasse, temos raças extremamente desequilibradas (hun… eladrins podem se teletransportar…) e sem mt background. Sei lá, do meu ponto de vista, sou mt mais a 3.5, D20 SAGA e Pathfinder. Acredito q o novo D&D ñ vá durar mt ñ.
    Qnt a Devir, realmente, ela corta o tesão de seus consumidores. Se ñ tem prazo, então ñ prometa. Fora q mts livros saem cheios de erros…
    Abçs!
    http://gaiaspriest.blogspot.com

  44. Shin disse:

    Gun_Hazard
    Bem, te pergunto uma coisa, a sua versão de Star War traduzida por fan, é compativel com qualquer outra tradução? Ela funciona com qualquer outro livro, os termos usados eram os melhores e mais adequados?
    Não estou falando que eles não fizeram um bom trabaho, mas posso garantir que um tradutor profissional, se preocupa com muitos outros fatores que você pode nem ao menos conhecer.
    Traduzir é uma coisa tão complexa, usar uma palavra errada para um radical que não temos em nosso idioma pode garantir um erro terrivel, basta olhar o “Agarrar” do D&D 3.5, que foi usado para duas coisas diferentes e a mesma palavra.
    E então o Duelist (Duelista) e o Swashbuckler (Duelista), um erro de tradução em um causou grandes problemas e não se teve como organizar depois. Esse tipo de coisa é bem frequente.
    E por final, você chegou a ler o “Contatos Imediatos”? O blog oficial da Devir? Ele tem todas as informações e arquivos interessantes para aqueles que são interessados.
    Filipi,
    O Nibelung já falou a respeito de quanto o D&D 3.5 é tão dependente de miniaturas quanto a nova edição. Se você acha que não existe como jogar, passa e dá uma olhada no Tomo4e, é bem interessante a maneira como podemos lidar com isso sem precisar interferir gravemente no sistema.
    Romullo,
    Que bom que comprou enquanto o dolar estava em baixa, economizou uma boa grana!
    Se reparar bem, não depende de “D&D Miniatures” e sim de “Miniatura”, qualquer coisa serve (feijões, pedaços de papel, clips, dados de 12 faces…).
    Wargame? Acho que está esquecendo a origem do D&D, que tal olhar na Wikipédia a origem disso? Se reparar muita coisa que temos hoje em dia é resultado da origem dos wargames. Que por sinal não é uma coisa ruim, se busca um sistema onde a interpretação vem antes do “wargame” que fala, então use outros sistemas como Storyteller e etc.
    D&D é um sistema focado no combate, focado no heróico, em batalhas e mais batalhas!
    Quanto ao sistema de multiclasse… bem acho que precisa ler mais ao site da Wizards, afinal eles explicaram (e muito bem) como funciona (matematicamente falando) o sistema de multiclasse, e irei supor (já que comprou o Box em ingles) que tem o domínio do ingles para ler essas matérias.
    Raças estão equilibradas, e estão diferentes das raças básicas de D&D 3rd, acho que está ainda com o pensamento de “ECL”.
    Quanto ao Background, na Dragon 366 existe uma boa forma de fazer background ser introduzido em personagem e afetarem (realmente) o personagem. Acho que isso supre a parte de backgrounds do personagem.
    Nas referências de “ecology of” também da Wizards temos uma boa pincelada a respeito de algumas raças, que servem de base para qualquer mestre, com muita história e muita qualidade de escrita.
    Se isso ainda não for o bastante para o background, ainda tem mais opções e formas de fazer um background nos livros de Forgotten Realms, que ajudam e colocam ideias de como e onde o personagem pode vir.
    Então background existe sim. Acho que inclusive, o background é mais por parte do jogador que do sistema (existe background muito bem bolado em sistemas bem pequenos, como “Phantasia”).
    Sobre os prazos da Devir, bem, isso é um problema, mas imprevistos acontecem, tanto que os livros já estão prontos, ficam no aguardo de outros fatores (que não é problema de tradução).
    Desculpe se ofendi alguem, esse é meu ponto de vista, minha forma de analisar as situações.
    Cya

  45. Filipi disse:

    Bem, só falta mesmo é daui a uns 6 ou 10 meses eles chegarem com uma versão 4.5…

  46. Gun_Hazard disse:

    Respondendo ao Shin:
    “a sua versão de Star War traduzida por fan, é compativel com qualquer outra tradução?”
    R: Que outra Tradução? Da Devir? Ela não vai traduzir SWS…
    Agora se voce estiver falando de tradução compatível com outro sistema d20 também não faz nenhuma diferença pois SWS é um Sistema Independente e fechado nele mesmo.

    “Ela funciona com qualquer outro livro, os termos usados eram os melhores e mais adequados?”
    R: Como já disse “SWS é um Sistema Independente e fechado nele mesmo” e Sim os Termos usados nele são melhores e mais adequados que os da Devir. Mas isto também não é credito pois a Devir é “Idiota” neste ponto como “Trip” Traduzido como “Imobilizar”, “Sunder” como “Separar” (Separar o que? as duas metades da arma?), os “Feats” como “Talentos”, etc
    Neste pondo Fãs 10 x Devir 4

    “Não estou falando que eles não fizeram um bom trabaho, mas posso garantir que um tradutor profissional, se preocupa com muitos outros fatores que você pode nem ao menos conhecer.”
    R: E eu estou falando que a Devir Faz um Mal Trabalho e que Fãs NÃO-REMUNERADOS fazem um serviço melhor que o deles, eu não preciso saber os detalhes de um processo de tradução para comparar duas traduções e saber que a Devir faz um Mal serviço de Tradução e um péssimo serviço de Revisão (Meu Cyberpunk 2020 nos idos de 90, já tinha erros de revisão que foram se mantendo ao longo dos anos, os romances do DragonLance me faziam parar de ler para rir dos erros que escaparam da “Revisão” deles).

    “O blog oficial da Devir? Ele tem todas as informações e arquivos interessantes para aqueles que são interessados.”
    R: Sendo bem grosso neste ponto (E já pedindo desculpas, pois não é com você é apenas uma visão acertiva sobre o caso):
    Eu não estou interessado em saber porque eles erraram eu estou interressado é que eles façam um serviço bem feito.
    Ficar se desculpando e voltar a repetir os mesmos erros é coisa de incopetentes.

    Sobre Miniaturas.
    3.x Era desenvolvido para ser um Table-Game com suporte Total a Miniaturas. Ou Seja era possivel jogar sem perfeitamente (Eu jogo desde 2001 sem nunca ter usado e sem nunca sentir falta).
    Já a 4ªed foi desenvolvida para ser jogada com miniaturas.
    Claro que é possivel jogar sem. Da mesma maneira que é possível por exemplo jogar sem os Dados.
    Agora dizer que por causa dos Flanqueamentos e Ataques de oportunidade o 3.x é tão dependente de miniaturas quanto o 4ªed é coisa de preguiçoso mental, pois calcular medidas como “Linha Reta” ou “Alcance de 1,5 metros ou 3 metros” não dá tanto trabalho assim.
    Mas se quiserem mais argumentos vamos a eles:
    As medidas do 3.x eram em pés ou metros (Brasil), as medidas no 4ªed são em quadrados. Isto por sí só já mostra qual é a intensão do jogo e dos desenvolvedores do jogo.
    As ações dependentes de localização e posicinamento do 3.x como os exemplos de Flanqueamento Ataques, alcance, area de efeito (que vem com medidas em metros), são bem menos relevantes a toda a movimentação e area de efeitos dos poderes do 4ªed (que vem em medida de quadrados).
    Se “QUEM ACHA” complicado jogar 3.x sem as miniaturas e papel quadriculado, Vai “ACHAR IMPOSSÍVEL” jogar 4ªed sem ela…

  47. Romullo disse:

    Concordo, Gun. É praticamente impossível jogar sem as miniaturas na 4ed. Sim, sim, sei das origens do RPG, no entanto jogo Wargames até hj. O fator q eu ressalto, meu caro Shin, é o da completa incompatibilidade com o 3.5. Tds podíamos criar, mudar aqui e ali. As regras ficavam mais arrojadas. Bem, pelo menos é o meu ponto de vista. Como vc pode ver, ñ sou nem um defensor da 4ed pq prefiro como as coisas eram antes, onde tds podiam participar sem ter suas regras modificadas ao bel prazer do mercado internacional. Temos a licença aberta para o 3.5 e para a 4ed? Como funciona. E é claro, se vc ñcurte a mecânica de combate do 3.5 (q eu considero mt boa, tirando as magias decoradas…), então é uma pena, pois supõe-se q vc tenha jogado uns bons anos de cara amarrada.
    E ñ, vc ñ me ofendeu e errou feio com relação ao meu inglês e ao fato de eu ñ saber das novidades da 4ed. Desta maneira (ñ me interessando o sistema), de q adianta conferir com o msm afinco suas novidades. Acho q gastei dinheiro a toa com as novas edições e não pretendo gastar mais um centavo com a 4ed. Bem e dsd qnd ela seria compatível com Tormenta, Moreania e Reinos de Ferro? Shawdorrun? WOD? Cenários modernos? Bem, se assim fosse, esperaríamos uns longos anos para a reformulação destes cenários q são tudo de bom…
    Abçs!
    http://gaiaspriest.blogspot.com

  48. Romullo disse:

    tds poderíamos*

  49. Shin disse:

    Gun_Hazard,
    Bem, não quis desmerecer os creditos da tradução (caso eu tenha ofendido), mas tenho certeza que um trabalho profissional é mais qualificado, afinal ter o titulo “profissional” significa alguma coisa… mesmo que seja da Devir.
    Quanto aos erros de tradução, eu concordo e discordo. Concordo que existem outros termos melhores, mas também discordo, deve ter algum motivo para o uso desse termo, da mesma maneira que usar Agarrar e Agarrar…
    Sobre os ramances de Dragonlance, eu gostei, e assim como nos livros originais em ingles tinham erros (eu os li também), em portugues esses erros originais estavam corrigidos, mas acabou por ter outros erros.
    Quanto ao seu Cyberpunk 2020, acho que você está confundindo “Revisão” com “Re-Impressão”, e acho que foi isso que aconteceu.
    Quanto a não querer saber os motivos dos atrasos da Devir, e saber os motivos de traduzir isso de uma maneira e outra, também o faz “não ter direito de reclamar” afinal, como jogador “sem-interesse” você não fez nada para mudar.
    Aposto que não participou de nenhuma maneira das traduções e ajudou o pessoal para fazer uma coisa melhor. Certo que eles são profissionais, e sabem o que fazem, mas se você tem interesse e acha de alguma maneira a Devir está errada em alguma tradução, e não faz nada para mudar, mostra que voce não pode reclamar.
    Okey, troque 1,5 por 1 quadrado e 3 metros por 2 quadrados. O que muda? Nada, ainda teremos uma area quadriculada do mesmo jeito.
    Para quem tem acesso a Battleground, isso ajuda e deixa o jogo mais rápido, para quem não usa, faça apenas a conversão de pés.
    Acho que a escolha de quadrados por pés, é algo mais para simplificar e deixar o jogo mais rápido. Eu ainda me recordo de quantas vezes eu fiquei calculando a distancia, e contando nos dedos, e usando um tabuleiro improvisado para ter certeza.
    Os Ataques de Oportunidade, Flanquear, Magias em Área, tudo isso era necessário TER o battleground, mas é claro você poderia jogar sem isso. Da mesma maneira que na 4th edição ainda se pode fazer o mesmo.
    Eu mesmo tenho algumas miniaturas que comprei a pouco tempo, tirando fora isso, eu sempre usei dados e miniaturas de papel para mostrar no tabuleiro (que também fiz em casa com papel impresso em A4, e cola).
    Ou seja, você NÃO precisa de miniaturas, dizer isso é um completo erro.
    Claro que a sugestão do Core Rules Book é para o melhor proveito do jogo é com miniaturas e todo o arcenal de material interessante (como fichas de poderes, marcadores de status negativos e buffs, assim como alguns papercraft de casas, mesas e caixotes que a propria wizards tem liberado de graça), o jogo cria uma atmosfera melhor.
    Então, acho que isso é mais para “preguiça” do mestre, do que o próprio sistema, afinal em muitos lugares da internet (e como sei que você sabe ler ingles não irá ter dificuldades) encontrará material adequado para fazer a melhor imersão de roleplay e gameplay.
    Bem Gun_Hazard, espero que tenha percebido meu ponto de vista, e me desculpe caso tenha ofendido em algum ponto.

  50. Gun_Hazard disse:

    Não esquente a cabeça não Shin, eu não me ofendí (Assim como espero que voce também não o tenha feito).
    Nas questões de Reclamação da Devir é um ponto que muitos Leitores esquecem:
    Eu sou Consumidor!
    Eu tenho todo Direito de exigir que o produto que eu Pago seja bem feito e de EXIGIR ser bem atendido.
    Quando a gente vai no restaurante a gente não ajuda o cosinheiro a preparar o prato, eu quero que se dane se o fornecedor de gaz não entregou o gaz…
    Por que com Livros de RPG seria diferente?
    Este é o problema. Muitas vezes é passado a idéia que o pessoal da Devir tá fazendo favor prá gente.
    E não! Eles estão prestanto um serviço e sendo pagos por isso.
    Agora o que voce faz se quem tá te prestando serviço faz mal feito e ainda te trata mal?
    É por isso que digo quem não tem Profissional da Devir.
    Eu tenho todo direito de Reclamar!
    Pois eu estou PAGANDO por um serviço.
    Quanto a fazer algo pra mudar eu estou fazendo estou fazendo campanha contra a Devir e afavor de outras alternativas melhores.
    Uma vez que NUNCA recebi nenhum retorno de nenhum dos contatos que fiz para Devir tanto de Reclamações quanto de Sugestões.
    PS: A Reclamação é de Revisão malfeita mesmo, coisas como uma habilidade ou mesmo classe ter um nome em 50% do livro e outro nome nos outros 50% (Jogadores de Lobisomen reclamavam a mesma coisa), e no caso dos Romances do DL o caso de escritas erradas, coisas que TEM de ser vistas pelo cara que tá ganhando Salario de Revisor, os Livros de outras editoras não tem palavras erradas já o 1º do DL tinha quase uma por capitulo…

  51. Shin disse:

    Gun_Hazard,
    Irei ser sincero com você, se acha que o trabalho brasileiro de revisão é ruim, é porque não leu nenhum livro em ingles. Eles cometem tantos erros que chega a ser uma coisa de “catar palavras corretas”, e não estou exagerando.
    Um segundo ponto interessante é que a Devir está te dando o material que está pagando, o unico detalhe é que temos poucos consumidores, então quem vence?
    Acredite, tem profissionais trabalhando na Devir, e ela é uma empresa de porte “pequeno” e tem um publico alvo muito restrito.
    Enquanto em outros lugares a cosia é diferente, temos uma gama de revisores e designers que trabalham muito para o bem estar do “Funcionário” e não do produto.
    No brasil, somente nos ultimos 30 anos é que se tem pensando em “funcionário” como uma pessoa. E nos ultimos 10 anos apenas é que se tem pensando em maneiras de ajudar os trabalhadores.
    Então, erros acontecem, e é preciso que “nós” jogadores façamos alguma coisa, e não somente aqueles que te pagam.
    Agora pensa comigo:
    Você vai a um restaurante, e ele te serve uma sopa com muito sal… Você reclama, diz que tem sal demais, e eles irão te explicar a situação, e perguntar se queres outra sopa.
    Agora com a Devir, todos chegam xingando o lugar. Todas as vezes que pedi qualque tipo de informação a Devir, fui completamente formal e me responderam de maneira formal em prazo muito curto (menos de uma hora).
    Então acho que o problema é um tanto pela falta de edução dos consumidores.
    Um terceiro detalhe é que certa vez eu comprei um livro numa livraria e ele veio “penga” com folhas caindo, então devolvi o livro e peguei um novo.
    Quem faz a venda e a publiciade não é somente a editora e sim as livrarias. Eu mesmo já promovi um ou outro evento em livrarias para aumentar as vendas de livros de RPG. Isso é um ponto interessante, e ajuda a todos.
    Então eu te pergunto Gun-Hazard, o que você tem feito?

  52. Metal Sonic disse:

    Shin é funcionário da Devir, neguem. 😀

  53. Shin disse:

    HahuhaUHuhuahUA!
    Normalmente falam isso, mas na verdade não sou!
    Eu já trabalhei em muitas graficas e sei como é o trabalho de impressão e como dificil é lidar com maquinário, tintas, e papel.
    Eu ja trabalhei em algumas editoras e sei como é dificil organizar e diagramar, mesmo estando estudando a respeito é sempre algo complicado, e eu ajudava os tradutores e revisores fazendo alguns materiais em aplicativos próprio (também sei programar alguma coisa em C++)
    Ja trabalhei uma vez em uma agencia publicitária, e sei o quão dificil é organizar alguma coisa, e sei também que quando uma empresa faz um evento ela paga muito imposto e muito aluguel, e quando um grupo “independente” realiza alguma coisa é mais pratico e menos custos.
    E por final, atualmente eu trabalho em uma fabrica de capachos, como Designer (e assim que terminar a faculdade terei o diploma e poderei dizer que sou um Designer!)
    Ps.: Eu moro em Itajaí-SC, bem longe de SP.

  54. Romullo disse:

    auhauhauhau! Gostei mt da eoria, Metal Sonic! uahauauhauahu E quem sabe ñ está envolvido na tradução da 4ed? XD

  55. Gilson disse:

    Tem gente que baba ovo por sistemas e por empresas. Curioso.
    Gun e outros ácidos, vocês são f*oda e a frase acima não é para vocês.
    Gilson

  56. Metal Sonic disse:

    Que bom que meu cometário acalmou os ânimos.
    Eu gostei de algumas idéias da 4º Edição, como algumas coisas dos itens mágicos, entre outras… E tenho que adimitir, o Livro do Mestre é fantástico.

  57. Romullo disse:

    Cara, tem boas inovações, mas ñ faz mt o meu estilo. E Nume, eu ñ tive a intençã ode ofender ng. Só estava brincando para tentar alcamar os ânimos msm! Ñ tenho a intenção de levar nd para o lado pessoal mt menos de ficar ofendido (só fico ofendido com o fato de existirem editoras que prometem e ñ cumprem…). Qnt ao resto, quero é discutir RPG e literatura. Nunca ofender, ok? Se passei essa impressão, desculpem-me!

  58. Nume Finório disse:

    Romullo, o aviso não foi especificamente pra você, relaxa guri 😉
    A treta é que eu senti que o clima tava esquentando e decidi deixar claro que a discussão aqui deve se manter só no campo das idéias antes que alguém ficasse exaltado demais com alguma coisa e fale algo de que vai se arrepender depois.

  59. Gun_Hazard disse:

    Não que isso Jão…
    Eu nunca me arrependo de nada!

  60. Nibelung disse:

    Fortaleza no Pendor das Sombras saiu.

  61. Já notaram que no blog Contatos Imediatos não existe nada relacionado à Gurps? Se é para fazer contato com os consumidores, que façam direito.
    Ps: isso é só mais um dos defeitos da Devir adicionado aos muitos que a galera já postou aqui.

  62. Gilson disse:

    Alexandre, é uma empresa com administração maluca, com uma política de não falar com seus clientes.
    Eu acharia bastante divertido esses livros em pdf caindo na rede, os traduzidos.
    Gilson

  63. Gilson disse:

    (Gurps, nMdT, DeD, etc…)

  64. Gun_Hazard disse:

    Isso Gilson seria uma utupia…
    Não sou a favor de Scanearem os livros traduzidos pela Devir e publicar na rede, pois querendo ou não é sacanagem com o trabalho que eles fizeram.
    Mas apoio 100% as traduções livres e gratuitas de livros “Oficialmente Ignorados pela Devir”.

  65. Fabrício disse:

    A 4ª Edição traz uma benesse ao RPG: Cassaro e Cia NÃO VÃO FAZER MATERIAL PARA 4ª EDIÇÃO. Que alívio! Não vou mais precisar jogar RPG e ter que atorar jogadores querendo cenários com furries, deusas hentai, nações de minotauros tarados e outras cretinices da mente pervertida do Sr. Cassaro. Por isso, QUE BOM QUE A QUARTA EDIÇÃO VAI BEM NOS EUA, OBRIGADO. E tomara que venda MUITO MAL aqui. Assim se cria um nicho agradável para jogar (leia-se: a Quarta Edição sem material de terceira).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: