Crise financeira faz mais vítimas no entretenimento

A crise financeira está afetando fundo o mercado de entretenimento americano, recentemente foi a WizKids que encerrou suas atividades, e agora a Broccoli International U.S anunciou o mesmo destino para 2009. A Broccoli Books era responsável pela publicação de diversos mangás, como Disgaea, Galaxy Angel e Murder Princess, e desde o início da crise as editoras já diminuíram suas previsões de vendas em 22%.

Não é novidade que, em tempos de crise, os primeiros gastos retirados do orçamento familiar são os supérfluos. HQs, cinema, DVDs e as idas regulares aos shoppings são as principais vítimas. E o RPG. O impacto da crise econômica sobre os jogos de RPG não foi sentido com intensidade até agora, nenhuma editora digna de nota faliu, nenhuma linha foi descontinuada. Isso acontece porque a maior parte das pequenas editoras de RPG americanas hoje publicam em PDF, em sites como DriveThruRPG e RPGNow, e tem seus custos de produção extremamente baixos. Não é incomum que essas pequenas editoras sejam apenas um cara que trabalha no Wal-Mart com um computador ligado a internet e vontade de escrever RPG. Das restantes, ou são grandes demais e com produtos sólidos demais para caírem, ou são pequenas, mas com linhas sólidas e administração competente.

Por aqui, as coisas não parecem mudar muito com a crise mundial, a Devir vai bem com o novo Mundo das Trevas e promete D&D 4E para dezembro. A Jambô lança mais dois livros este mês e deve continuar no mesmo ritmo frenético de lançamentos dos últimos anos. A Caladwin recentemente adquiriu os direitos de publicação da série de romances Wheel of Time e deve se dar bem com sua linha de literatura fantástica se fizer bem seu trabalho (especialmente se o filme de Wheel of Time realmente sair). A Daemon segue com seus lançamentos para RPG e outros livros dentro da gama de interesses do Marcelo Del Debbio como a Enciclopédia de Mitologia. Os lançamentos continuam a ser anunciados e preparados, embora a alta do dólar provoque um aumento nos preços dos livros (para quem não sabe, papel é cotado em dólar), então ao que parece esta crise mundial passará ao largo do mercado editorial de RPG ao menos pelos próximos meses.

Nume Finório

Você sabe quem eu sou.

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Gilson disse:

    De onde foram tirados esses dados? O fechamento dessas e outras empresas pode ser de outros efeitos: produtos que não venderam o esperado, má adminstração, concorrência, etc.
    Isso não procede com HQs, com dados demostrativos, que faz sentido com o argumento da possibilidade: escapismo mais barato:
    http://www.omelete.com.br/quad/100016598/Quadrinhos___Mais_Vendidos.aspx
    Gilson

  2. Nume Finório disse:

    Se refere aos 22% de queda de vendas? É informação das próprias editoras de mangás.
    Quanto aos fatores que levaram ao fechamento dessas empresas, tanto faz, o fato é que em outros tempos elas renegociariam as dívidas ou fariam novos empréstimos em vez de falir. Esse é o principal efeito da crise, as empresas não tem mais como se recapitalizar em caso de má administração, vendas baixas ou coisa do genêro.
    Já o salto das vendas de HQs em outubro, primeiro no ano todo, é um contra-senso fodido. Mas válido. HQs são mais baratas que ingressos de cinema e volumes de mangá. Além disso, não foi em outubro que Barack Obama declarou ser fã de quadrinos, não seria um efeito da Obamania?

  3. Jagunço disse:

    Me pergunto: a indústria pornográfica será também vítima?
    Será que os americanos cortarão (ouch!) esse gasto?
    XD

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: