A Mecânica Central

O artigo mais recente da coluna Design & Development, do site da Wizards of the Coast, chama-se “The Core Mechanic” (o que pode ser traduzido como “A Mecânica Central”), e ele lida com a rolagem que compõe o coração do sistema de regras: “role d20 mais modificador para superar um valor de dificuldade”. Como o artigo aponta, a nova edição ainda utilizará a mecânica central da 3ª Edição, mas haverão algumas diferenças em sua aplicação. Ele essencialmente faz um resumão de uma porção de informação que quem acompanha as notícias sobre a nova edição já sabe (agradecimentos ao usuário do EnWorld Spectre666 pela notícia).

  • Testes de resistência “save-or-die”: sumiram.
  • Conjuradores fazem rolagens de ataque para magias e podem conseguir sucessos decisivos.
  • CA de toque ou surpreendido: sumiu.
  • CA é uma das quatro defesas básicas (CA, Reflexos, Fortitude e Vontade), e todas as quatro funcionam da forma como a CA funcionava na 3ª Edição – em outras palavras, um atacante deve tentar rolar um valor maior que elas: “Quando um dragão sopra fogo em você, ele faz o teste de ataque contra seus Reflexos e causa meio dano caso erre. O mestre rola o d20, adiciona os modificadores do dragão e pergunta quanto é o seu valor de Reflexos”. Estes ataques podem falhar automaticamente com um 1 ou serem sucessos decisivos com um 20 no dado.

Fonte: EnWorld.org

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Diego disse:

    Até que eu achei legal o lance dos testes de resistências. E isso vai tornar os combates mais rápidos, já que pra magias de área acredito eu bastar apenas uma rolagem de ataque e verificar quem foi atingido ou não. heheheh
    Isso também explicou o porquê do fim dos Save or Die… pq se o próprio conjurador faz a jogada de ataque, não existe de fato save or die. Ânimo pessoal, dedo da morte e assassino fantasmagórico ainda poderão ser opções de magias de mago. Huahauhauahua

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: