Tormenta: história militar de Arton, Guerra contra a Tormenta

Guerra Contra a Tormenta 1400 c.e. ─ presente Apesar de presente em Arton desde 1390, quando atacou e destruiu a ancestral nação de Tamu-ra, Arton só começou a levar a […]

Guerra Contra a Tormenta

1400 c.e. ─ presente

Apesar de presente em Arton desde 1390, quando atacou e destruiu a ancestral nação de Tamu-ra, Arton só começou a levar a ameaça mais a sério quando, em 1398, uma área de Tormenta se formou próxima ao reino de Trebuck, levando pânico ao Reinado. Dois anos depois, em 1400, a área se expandiu e engoliu Forte Amarid, dizimando as tropas de Trebuck estacionadas lá. Era o início da Guerra Contra a Tormenta.

No mesmo ano o Exército do Reinado marchou contra a área de Tormenta de Trebuck no que ficou conhecido como a Batalha de Amarid. Contando com tropas de cada nação civilizada no mundo e auxiliada pelos maiores heróis de Arton, parecia impossível que o Exército do Reinado pudesse perder, mas foi o que aconteceu. O fracasso não foi total, durante o combate foi descoberta a existência dos Lordes da Tormenta e de seu poder de corromper artonianos, aumentando a quantidade de informação disponível sobre o inimigo.

Em 1402 uma nova área de Tormenta se formou em Zakharov, próxima do coração do Reinado. Um grupo de aventureiros épicos conhecidos como a Companhia Rubra foi incumbido pelo Rei-Imperador Thormy de destruir a nova ameaça, mas foi um novo fracasso. No processo, no entanto, são descobertas novas informações essenciais, como o objetivo dos Lordes da Tormenta de se tornarem deuses.

Em 1403 um grupo de cavaleiros da Luz corrompidos pela Tormenta ataca a cidade de Norm, quase a destruindo, enquanto em Trebuck o Exército do Reinado enfrenta um exército de bárbaros da União Púrpura corrompidos pela Tormenta, triunfando em sua primeira batalha nesta guerra.

Em 1405 surge o Dragão da Tormenta, que aterroriza o Reinado, e o Reino de Glórienn é tomado pela Tormenta, com a deusa dos elfos se tornando uma deusa menor escrava de Tauron, provando que a Tormenta ameaça até mesmo os deuses. Em seguida, no entanto, o Dragão da Tormenta é destruído pelo poder combinado de Schkar, o Rei dos Dragões Vermelhos, os arquimagos Talude, Vectorius e Reynard, e outros aventureiros épicos. Antes do final do ano um cavaleiro da Luz lidera um batalhão de deuses menores em um ataque contra a área de Tormenta de Tamu-ra e a destrói com a ajuda de Kallyadronoch, Deus dos Dragões, que retorna ao Panteão. Além disso, novas informações são obtidas sobre a verdadeira natureza dos lefeu e sua relação com a Revolta dos Três.

Nos últimos cinco anos não houveram grandes desenvolvimentos, pois a Guerra de Arsenal, as Guerras Táuricas e outras mudanças tectônicas na política artoniana impediram qualquer esforço maior nessa direção, e os lefeu também não tomaram nenhuma ação ofensiva desde então.

Beligerantes: Arton vs Tormenta.

Alianças de Destaque: nenhuma.

Rolando uma campanha durante o conflito

Enfrentar a Tormenta é o maior desafio possível em Tormenta RPG. Embora entrar em uma área de Tormenta seja um desafio para personagens poderosos e mesmo épicos, há espaço para aventureiros de todos os níveis fazerem sua parte na luta contra a corrupção da Tormenta. Seja derrotando cultistas, demônios da Tormenta menores ou procurando informações sobre a natureza dos invasores. Você pode encontrar maiores informações sobre como rolar uma campanha contra a Tormenta nos suplementos Área de Tormenta e Guia da Trilogia.

Navegue pela série<< Tormenta: história militar de Arton, Guerra de Independência de Portsmouth       Tormenta: história militar de Arton, Guerra de Arsenal >>

Sobre Nume Finório

João Paulo Francisconi, entre outras enormes perdas de tempo, é blogueiro há dez anos, escreveu para a finada Dragon Slayer, publicou alguns livros de RPG e assistiu quatro episódios de Punho de Ferro.