Impressões sobre Ledd – Episódio 06 (Parte 01)

Como de costume, alguns dias após o Di Benedetto sair com suas teorias malucas no site de Ledd, nós aqui do RPGista também ficamos viajando nos detalhes sórdidos sobre o […]

Como de costume, alguns dias após o Di Benedetto sair com suas teorias malucas no site de Ledd, nós aqui do RPGista também ficamos viajando nos detalhes sórdidos sobre o mais recente episódio da trama, comentando inclusive as ideias dele quanto ao meio-capítulo. O Sexto. Acho que já está ficando batido dizer que esse episódio está melhor que o anterior, mas devo fazer isso obrigatoriamente, pois ainda é verdade. Tanto a arte quanto a história em si estão ótimas. Além disso, trata-se de um…

Flashback!

Eu, particularmente, gosto do recurso. Tanto que quando conto uma história fico brincando com as idas e vindas do tempo no texto. Em Ledd o autor J.M. Trevisan vem fazendo isso usando a mesma fórmula adotada por One Piece: se a borda da página estiver preta, a coisa é antiga. Vemos neste caso de que maneira Kashii (a dragoa que está sob o assoalho da Ganso Afogado) acabou ferida e refugiada nos dias de hoje.

Neste início de história também descobrimos um pouco mais sobre um dos possíveis passados do próprio Ledd: ele está ligado de alguma maneira a Ordem da Lança Rubra, um bando de caçadores de dragões que possuem (ou possuiam, mais provavelmente) um artefato que mata qualquer dragão em três golpes, desde que você nunca erre um deles. Há toda uma “treta” envolvendo o amor de um destes caçadores de dragão e a própria Kashii. Desta pegação zoofílica medieval provavelmente nasceu a Drikka.

O medalhão que o último clone esfregou no rosto de todo mundo no episódio 05 é o símbolo da Ordem da Lança Rubra. Neste ponto se confirmou que sim, é uma ordem de caçadores de dragões. Isso, claro, abriu uma série de possibilidades, mas a última delas é que o próprio Ledd tenha feito parte dessa Ordem em algum momento de sua vida. Por que? Por que provavelmente a Kashii ao invés de chorar no ombro da Drikka diante de Ledd, teria torrado o caçador de dragões  até os ossos assim que o viu entrando pela Ganso Afogado.

Eu, pelo menos, quanto dragão ferido e puto da vida, teria feito isso.

Então, meu amigo, bem vindos ao ponto de partida. Estamos tão na mesma quanto antes, só que agora mais entretidos. Vamos brincar com as idéias do Benedetto?

Brincando de Benedetto e formulando teorias

O nosso companheiro está girando em torno do mistério da função de Ledd na história. Afinal, ele é o protagonista, alguma coisa ele deve ter feito para merecer esse posto. Notavelmente, protagonistas de mangás shonen tendem a ser panacas e até então o próprio Ledd não é exceção. Mas, assim como eu sei disso, tanto o Trevisan quanto o Lobo também sabem. Por isso, eu acredito que o Ledd deve sim ser a pica das galáxias dessa história. Alguma coisa que tu leia, olhe e pense “ah, não cara. Não… NÃO”.

Essa é a minha expectativa, ao menos.

Analisando a história “de fora” sem me ligar ao universo em que ela se passa (mais especificamente, em Yuden e em Arton de forma geral), eu penso da seguinte maneira: apareceu um DRAGÃO no segundo volume da história. Nada de começar por kobolds e goblins. Já estamos no ápice da monstruosidade fantástica em forma de lagarto logo de saída. Então, sim, a história vai girar em torno de uma treta monstruosa envolvendo dragões. Direto ao ponto.  Dragões que andam por aí em forma humana. Kashii foi a primeira… talvez. Eu imagino agora que o camarada que lavou Hardorf com sangue também seja um.

Dragões são criaturas vingativas. Sabe como é, vivem muito, não tem muitos inimigos naturais… eles precisam de alguma coisa pra passar o tempo. Vingar-se daqueles que os chateiam não deixa de ser um hobby para um monstro sauróide com trinta metros de comprimento. Por que alguns dragões pediriam ajuda a Ledd (como disse ai, eu acho difícil a Kashii não saber mais sobre Ledd do que o próprio Ledd) enquanto outros querem seu couro é o mistério desse arco que, talvez, seja solucionado quando o protagonista conseguir o medalhão.

A espada devolveu “a perícia” pra ele. Talvez o medalhão entregue uma parte do ouro sobre seu passado, mais especificamente, sua missão. Isso evitaria tirar o Ledd do caminho em que se encontra agora, mesmo que ainda às cegas (como quase aconteceu se não fosse a frigideira da Golinda).

De volta ao bando da Lança Rubra

Personagens muito legais e com características marcantes, cada qual.  Muito se lamentou pela morte do bardo logo de cara. Mas, convenhamos, com aquela cantoria toda, alguém tinha que calar a boca dele! Além disso, aparentemente, a Kashii descobriu da pior maneira possível que a máxima em Arton continua verdadeira: matar bardos dá azar. Ninguém que tenha torrado um se deu bem no universo de Tormenta. Um péssimo primeiro passo.

PS: cantem essa música com esse ritmo. E depois durmam com esse barulho huheuah

Todos os demais são carismáticos, mas por terem ficado mais calados por culpa do bardo acabaram em segundo plano. Eu nem tinha notado o nariz quadrado do Halfling até o Benedetto reclamar. Por ler One Piece, estou acostumado com a idéia de enfatizar características com detalhes físicos… diferentes do usual. Acho bacana e até recomendado. O Lobo já tinha brincado com as caras dos frequentadores do Ganso, um nariz quadrado aqui ou ali não faz diferença pra mim.

Por fim, resta saber agora o que o Tosh vai fazer em relação ao ultimato recebido contra Kashii. Eles precisam caçar a dragoa e matá-la. Ele, pelo esfrega no fim, aparentemente não curtiu a ideia.  Como a dragoa está viva (ainda que escondida) espero de verdade uma lança rubra à menos, um bando de caçadores de dragões a mais e tantas outras emoções na continuação de Ledd!

Sobre Marlon Teske

Marlon "Armageddon" Teske é de Timbó, Santa Catarina, onde vive isolado do resto do mundo traçando planos de conquista enquanto cursa uma faculdade de regente do universo por correspondência.