Jurassic Park IV

Tivemos sorte, e conseguimos fazer o helicóptero funcionar e usá-lo para fugir da cidade. A infestação havia tomado proporções incontroláveis; não havia mais esperança para os que ficaram para trás. Sobrevoamos as ruínas que restaram da civilização e seguimos em direção ao oceano, cruzando quilômetros de água e ondas. Não tínhamos muito combustível, no entanto, e tive que escolher uma ilha próxima à costa onde poderíamos pousar.
Foi um pouso complicado. O terreno era irregular, e não havia como evitar choques e algum dano aos passageiros. Tive que pilotar no limite da minha capacidade para reduzi-los ao mínimo possível, e garantir ao menos que todos saíssem vivos. Descemos – talvez caímos fosse mais próximo de como aconteceu – em uma espécie de clareira em uma floresta. Saímos todos do veículo e corremos para longe, ajudando os que estavam mais feridos a andar com velocidade. Entramos em meio às árvores pouco antes de ouvir o helicóptero explodir.
Apenas então nos demos o luxo de parar para descansar e recuperar o fôlego. Foi quando percebemos o ambiente à nossa volta, coberto de ossadas e cascas de ovos chocados, ambos grandes demais para pertencerem a qualquer animal que conhecêssemos. Não muito longe vi uma cerca de arame derrubada e o que restou de uma placa de metal, e me dei conta de onde estávamos.
Já tinha ouvido histórias a respeito: uma ilha abandonada, onde, anos atrás, um milionário excêntrico utilizara de ciência avançada para montar um parque exótico, diferente de tudo que já fora feito pelo homem. Um funcionário descontente e um acidente inesperado, no entanto, o forçou a desistir dos seus planos, e deixar para trás o trabalho de uma vida inteira.
Havíamos saído de um pesadelo e ido parar em outro ainda pior.
Não tive tempo de absorver completamente a minha dedução, no entanto, pois logo ouvimos um barulho do meio das matas, e percebemos que não estávamos sozinhos.
– Velociraptors? – perguntei, de um fôlego só.
– Não. – Christine respondeu.
Ela estava certa. O cheiro de podridão os anunciava antes mesmo que entrassem no nosso campo de visão; quando o fizeram, olhamos aterrorizados para a sua carne decomposta, os pedaços das escamas se depreendendo do corpo, os vermes que saíam de suas narinas e entravam pelas cavidades vazias dos seus olhos.
Velociraptors zumbis.
Estávamos condenados.

Você pode gostar...

7 Resultados

  1. Alex Gabriel disse:

    Muito massa!! (y)
    Fique surpreso com o final, muuuuuito exótico pensar nisso.
    E traumatizante com meu sonho de infância XD

  2. Vc’s num tem mais o que inventar!!!! Muito massa vou usar numa aventura!!!
    kkkkkkkkkkkkkkk

  3. Di Benedetto disse:

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAHHAhaah
    (foi minha reação ao ler)

  4. Jagunço disse:

    Genial. FIlho da… XD

  5. erigion disse:

    Oh não! Fujam para as colinas! (Melhor ainda se aparecessem dinossauros ciborgues também…)

  6. Jonathan disse:

    Caraca véi!! Corre registrar essa idéia antes que o Steven Spielberg (escreve assim?) use-a sem vc ganhar com isso!!! ^^

  7. Kuro disse:

    O cúmulo da nerdisse xDDDD

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: