Resenha – Ao Cair da Noite

Horror Nacional de Qualidade

Como haviamos prometido em uma prévia postada há alguns dias, trazemos hoje a resenha do primeiro de dois livros desenvolvidos por Tiago José “Deicide” para o cenário Ao Cair da Noite, da editora Underground Haven. Vamos abordar apenas o conteúdo do livro de regras básicas que traz tudo o que você precisa para narrar dentro da temática e do estilo de ACN, e num futuro próximo traremos a resenha do suplemento de cenário, o Desbravadores do Oculto.

O que é a Underground Haven e Ao Cair da Noite?

Em tempos passados, o autor de ACN Tiago “Deicide” tornou-se conhecido dentre os fãs nacionais da linha Storyteller ( da gringa White Wolf ) por criar material de apoio de qualidade  e espalhar  os mesmos gratuitamente na net, preenchendo certas lacunas que nunca viram a luz da lua (hoo) aqui no país. Os títulos eram Demônio: O Preço do Poder e Anjo: A Salvação. Com o fim do antigo Mundo das Trevas, o autor resolveu desvincular totalmente o seu universo e desenvolvê-lo como um mundo próprio e independente. Nascia Ao Cair da Noite.

ACN é um cenário de terror, aventura e suspense ambientado num mundo similar ao real, mas assumindo que influências ocultas, monstros ancestrais e seres sobrenaturais existem e ameaçam a humanidade. Aqui você não é o monstro, não é o dominador poderoso ou o manipulador arrogante. Aqui você apenas é você, e deve suportar as consequências da descoberta do verdadeiro mundo que se oculta nas sombras noturnas. A morte vem fácil para os tolos, e a loucura permeia a incompreensão da magnitude daquilo que desconhecemos.

Mas, um dos lances que eu achei mais legais na coisa toda: o homem é o verdadeiro responsável pelos seus atos. Não há uma força oculta manipulando a humanidade. Ela é a própria autora de seu destino e escolhe o que sabe, faz ou desconhece. No fundo, é tudo culpa sua e não de uma entidade incompreensível e manipuladora.

A proposta do autor é corajosa. Apenas os livros impressos estarão realmente a venda. Todo e qualquer outro material adicional por ele criado (inclusive o próprio livro de regras) poderá ser encontrado gratuitamente para download no site da editora, que é constantemente atualizado com novos materiais que complementam o universo do cenário.

Visual

Ao dar de cara com Ao Cair da Noite você é pego de supresa pela qualidade gráfica  externa do livro, não devendo nada aos pesos pesados da mesma linha como o Trevas da Daemon ou mesmo os livros da linha de World of Darkness. Capa dura, miolo e papel de qualidade superior e uma imagem de capa não apenas bonita mas também totalmente condizente com a temática. Internamente, entretanto, o livro peca na escolha da fonte e em algumas ilustrações à lápis que além de passarem um aspecto amador ao livro, dificultam a leitura em alguns pontos mais escuros.

A arte fotográfica é bem superior neste aspecto. Em algumas das fotos (uma minoria, é verdade) talvez fosse necessária uma preparação maior do figurino da galera que serviu de cobaia, buscando uma maior caracterização. Não que uma gola polo ou uma camiseta desmereçam as poses de combate. Mas seria bem mais legal ver um terno ou alguma roupa mais “dark” ali como realmente  ocorre no restante do livro. A fonte escolhida  para o texto também foi equivocada, merecendo ser substituida por uma mais bonita. Apesar disto, a diagramação  do texto está impecável ao meu ver. Fica a dica para suplementos futuros.

Texto

Apesar de tratar de um tema denso como o contato com o sobrenatural, o texto é bastante flúido e sem enrolação, preocupado principalmente em passar as idéias do sistema da forma mais clara e coeza possível, não se preocupando tanto com a ambientação num primeiro momento (apesar da quantidade de contos ser expressiva e das várias regras voltadas para situações ligadas ao fantástico. Falarei delas no próximo tópico). A quantidade de exemplos é tão grande que dificilmente alguma dúvida resiste a uma ou duas páginas de leitura.

Além de explicar os pormenores clássicos como o próprio conceito do Roleplaying,  ACN realmente se aprofunda nos conceitos exigidos para um jogo dentro da mística do cenário. O funcionamento de turnos de combate é muito bem explanado, com diversas situações que geram idéias legais pra jogo apenas por serem mencionadas nas regras. A ordem dos capítulos também obedece a lógica da criação dos personagens, desde a idéia geral até a maneira de narrar, algumas idéias para jogos e o uso em campanha de uma série de animais e antagonistas comuns.

E uma grata constatação. Apesar do próprio autor ter sido o revisor (ilustrador, diagramador e defensor ferrenho do próprio trabalho) não encontrei grandes falhas de revisão e de texto (a não ser um ou outro ponto onde o uso de vírgulas foi meio exagerado, em especial nos contos).

O Sistema

A mecânica das regras em si é bastante próxima da utilizada no sistema Storyteller, com o uso de paradas de dados de dez lados, lançados utilizando a soma de Atributo+Perícia e buscando obter sucessos diante de uma dificuldade imposta. A quantidade de sucessos determina o quão bem sucedida ou não foi a ação do personagem. Entretanto, não espere super-vampiros ou lobisomens porradeiros neste sistema. A base e o foco dele é totalmente voltado para humanos enfrentando o sobrenatural, e por isso ele se apresenta muito mais “mortal” (trocadilho infame) e letal do que sistema da gringa.

Não sou exatamente o rei das regras, mas achei o sistema como um todo bastante coeso. O playtest foi satisfatório pelo visto, pois ele me parece rodar muito bem em mesa. Algo que eu particularmente gostei foi o sistema de Saúde e Dano diferenciando danos superficiais e letais de maneira bem clara e lógica sem complicação demasiada. Gostei tanto dele que estou bolando uma adaptação pra jogar aqui pro Inominattus ;D

E por enquanto é isso. Ao Cair da Noite é um sistema bacana e dá suporte a linha que seguirá crescendo se depender do esforço do autor. Só nos resta desejar boa sorte, bonanças e auxílio no que for necessário de hoje em diante.  E continuem acompanhando esse tópico. Na próxima semana traremos a resenha do primeiro suplemento do sistema, o Desbravadores do Oculto.

Conheça a Underground Haven. ;D

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: