Ryan Macklin Narrando RPG Fate Básico no TableTop

Ryan Macklin, um dos autores do premiado RPG Fate Core, narrou uma aventura no programa TableTop apresentado por Will Wheaton, com participações de Felicia Day e John Rogers. Há pontos […]

Ryan Macklin, um dos autores do premiado RPG Fate Core, narrou uma aventura no programa TableTop apresentado por Will Wheaton, com participações de Felicia Day e John Rogers. Há pontos interessantes sobre como narrar Fate para iniciantes que destacarei. Vocẽ pode assistir ao programa (em inglês) no canal Geek & Sundry no Youtube.

Criação de Mundo

Uma conversa rápida e temos uma ambientação com toques de Sobrenatural e Fringe para Fate. isso mesmo, apenas uma conversa: “gosto disso”, “não quero que tenha aquilo lá”, “mas se isso tivesse mais disso seria legal”. O jogo não é (apenas) do Narrador, é de todos que jogarão.

Criação de Personagens

Cada jogador criou um conceito, com “c” minúsculo mesmo. A partir daí criaram os aspectos Conceito (um resumo de personagem) e Dificuldade (aquilo que gera limitações e encrenca). Felicia quis jogar com uma personagem que fosse uma monstra. Basta um aspecto para isso ser possível.

Para começar, cada jogador escolheu sua perícia principal (+4) e depois outras duas do “topo” (+3 cada) utilizando Skill Prompt Cards for Fate, um baralho (em inglês) relacionando perícias, ações e conceitos. A ideia é graduar as sete perícias restantes da ficha durante o jogo. Uma olhada se alguém tem caixas de estresse bônus e é só jogar!

Veja a criação de três personagens que fiz anteriormente.

Agindo sem Falar das Quatro Ações

A grande sacada para mim foi o Ryan narrar a aventura sem mencionar os detalhes “técnicos”. Nada de diferenciar as Ações Superar, Criar Vantagem, Atacar e defender. Nada de entrar nas minúcias de Desafios, Disputas e Conflitos. Basicamente o ciclo “O quê vocês fazem?->Rolem os dados se for interessante->Narrar os resultados”. Fazendo o que cabe a um Narrador: orientar.

Embates físicos, mentais e sociais fluíram bem enquanto os jogadores se acostumavam a invocar aspectos nos momentos certos, além de compartilharem suas invocações gratuitas para trabalho em equipe.

Adicionando Aspectos, Façanhas e Perícias

Conforme foram jogando e a necessidade de completar a ficha foi aparecendo, escolhas foram feitas naturalmente. Novos aspectos revelaram detalhes dos personagens como numa série ou filme, assim como o preenchimento de suas sete perícias restantes, pouco a pouco.

Criaram façanhas com limitações que não remetiam fielmente à combinação ação+perícia+circunstância. Eram mais como: “faça isso uma vez por cena/dia”.

Encerrando

Foi uma bela aula de como narrar uma aventura divertida deixando novatos confortáveis com o Fate. Assista ao programa para ver a cara do Ryan como ficaram os personagens. Caso não entenda o idioma do Tio Sam, há várias artes detalhando os mesmos e suas ações.

Veja mais conteúdo sobre Fate, incluindo traduções, em postagens anteriores.

Não posso deixar de recomendar a revista especializada Conexão Fate. Você pode fazer uma assinatura mensal para tê-la em diversos formatos ou baixar em pdf gratuitamente com um tempinho de espera.

Encontre o RPG Fate Sistema Básico e outros suplementos via Solar Entretenimento.

Até.

P.S.: Não recebi uma moeda para fazer jabá, é reconhecimento de bom trabalho mesmo.

Sobre Jaime Rangel

Jaime "JJ" Rangel é um cara de Duque de Caxias (RJ), franco, tranquilo e desmemoriado. Gosta de levar inquietação às mentes alheias (antes através do Juca's Blog e Roleplayer). Prefere 10 inimigos sinceros a 1 amigo indeciso. Cuidado ao perguntar algo, ele responderá a verdade. E a verdade é sempre mais divertida (pra ele).