Polêmica: JBC está ou não em projeto de animes por streaming?

Depois de se espalhar pela internet como fogo em cueca usada de uma semana, o boato de que a JBC estaria em um projeto em parceria com o Crunchyroll para trazer animes por streaming ao Brasil foi desmentido pelo site Diário Otaku, que alega ter entrado em contato com Leandro Lopes, diretor de comunicação da JBC, que negou conhecimento de qualquer parceria sendo arquitetada entre as duas empresas.

Por outro lado, ainda não ficou explicado como a diretora de produção de mídia da JBC, Marina Shoji, pode ter registrado diversos domínios da Crunchyroll no Brasil (como Crunchybrasil.com.br, crunchyroll.com.br e crunchyroll.net.br). Ou porque o Crunchyroll vem fazendo diversos ajustes em sua página para trabalhar com visitantes do Brasil, além de licenciar animes para o Brasil também, conforme mostrou o blog Subete Animes.

Algumas teorias minhas sobre essa confusão incluem que a Editora JBC possa sim estar trabalhando no projeto, mas o Leandro Lopes não estar ciente: é pouco provável mas possível que em uma empresa um setor não faça ideia do que está acontecendo em outro até que seja necessário que os dois trabalhem juntos. Ou seja, o setor de produção de mídia da Marina Shoji pode estar trabalhando no projeto há meses, mas o setor de comunicações do Leandro Lopes só seria informado quando o projeto entrasse em fase de divulgação.

Outra opção é que o Crunchyroll esteja se preparando para abrir um escritório no Brasil e atender ao mercado nacional por si próprio, o que explicaria as atualizações na página e o licenciamento de animes para o Brasil. Quanto ao registra pela Marina dos domínios, é uma velha prática mundial na internet, você registra domínios legais ou relacionados a empresas conhecidas por alguns reais e depois os vende para pessoas interessadas ou para as empresas por algumas centenas ou, às vezes, por milhares de reais. É a versão digital da especulação imobiliária, onde você faz apostas de quais domínios web vão se valorizar nos próximos anos.

Seja qual for a resposta para este mistério, esperamos todos que o streaming de animes realmente chegue ao Brasil nos próximos meses, seja pela Editora JBC, seja pela Crunchyroll ou qualquer outra empresa.

Sobre Nume Finório

João Paulo Francisconi é autor dos livros Bestiário de Arton (Jambô Editora) e do RPG independente Cosa Nostra através do Estúdio V, um estúdio de criação que fundou com seus amigos e profissionais do RPG.