Monstro – Kobolds da Tribo da Rapina

Kobolds da Tribo da Rapina

“Não tenham medo companheiros, são apenas kobolds.”
— Duor Oakstone, guerreiro anão, últimas palavras.

Os kobolds da tribo da rapina são uma homenagem aos Tucker’s kobolds, que desde a década de 80 aterrorizam os aventureiros que ousaram adentrar no seu território. Assim como seus predecessores, esta nova encarnação utiliza armadilhas, conhecimento do terreno e táticas de guerrilha para fazerem frente aos heróis.

Apesar de a ideia ser simples, quando bem aplicada, ela cria um desafio memorável para o grupo, que pode repensar a sua opinião sobre estes “monstros inofensivos”.

Tribo da Rapina

Antes de passarmos para as traquinagens propriamente ditas, é necessário definir as motivações dos kobolds da tribo da rapina, justificando em jogo o que os levou a se comportarem dessa maneira.

Como escrevi no meu último artigo, a tribo servia o dragão azul Azigard e mesmo após a sua morte continuou a guardar o seu covil. Desde então, os kobolds atacam qualquer um que invada os seus domínios e perseguem implacavelmente aqueles que profanem o tesouro do seu antigo senhor. Em poucas palavras, temos a explicação para o territorialismo destas criaturas, o fanatismo por Azigard, além de um gancho atrativo para os aventureiros, o tesouro “abandonado” do dragão.

Ser pequeno é uma vantagem

Primeiro todos os kobolds são criaturas pequenas e devem transformar esta limitação em um benefício contra os oponentes de tamanho maior.

Túneis feitos especificamente para a sua estatura são um ótimo exemplo de como favorecê-los. Eles podem ser utilizados tanto como passagens rápidas, como lugares de emboscadas para aqueles que tentam a se esgueirar neles. Além disso, a altura largura reduzida podem trazer dificuldades para qualquer aventureiro que empunhe armas grandes, como montantes ou machados de de 2 mãos.

Outra forma de lhes garantir vantagem deste fato, é considerar que este tipo de construção limita o movimento e a destreza de quaisquer criaturas que sejam de tamanho médio ou maior. Sem contar, no uso de armadilhas com mecanismos que só são ativados contra alvos de estatura maior do que a de um kobold.

Armadilhas para todos os gostos e tamanhos

Segundo, os kobolds são armadilheiros habilidosos, que só tem a sua perícia em armadilhas superada pelo modo diabólico como eles as constroem.

Como já dito antes, os gatilhos das armadilhas dos kobolds são normalmente sensíveis apenas a criaturas de tamanho médio ou maior. Portanto, se prepare para surpreender os seus jogadores com um fosso no lugar onde aquele lacaio acabou de passar ou disparos de uma besta escondida. E nunca, mas nunca, se esqueça das maravilhas que óleo ou piche podem fazer, tanto em poços como em tonéis prontos a desabar na cabeça dos aventureiros.

Kobolds adoram forrar o chão com estrepes, normalmente afiadas e enferrujadas, e normalmente o fazem logo após uma corda posicionada para derrubar. Eles utilizam também da escuridão para ocultar suas traquinagens, se aproveitando da sua habilidade de enxergar na completa escuridão. Uma outra técnica muito utilizada por estas criaturas, é colocar de uma a duas armadilhas secretas próximas a uma armadilha aparente.

Um componente que precisa ser levado em conta são os próprios kobolds, que não veem problema algum em se sacrificar para maximizar o estrago causado nos heróis. Um exemplo é o aventureiro que ao cair em um fosso cheio de óleo, é surpreendido pelo mergulho de um kobold com uma tocha. Outra tática muito usada, são kobolds que ateiam fogo alquímico aos seus corpos e se agarram ao aventureiro mais próximo.

Criaturas malignas fazem coisas más

Terceiro, os kobolds são criaturas naturalmente malignas, que utilizam os mais fracos como bucha de canhão contra os seus oponentes. Na visão deles, a defesa do seu lar é mais importante que a vida, em especial se for a vida de outro kobold.
Os reais motivos de um destes monstrinhos sacrificar a sua vida sem titubear são:

  • A certeza que aqueles que os comandam são mais cruéis que os personagens que estão na sua frente.
  • O instinto territorialista faz com que os kobolds utilizem todos os artifícios disponíveis para expulsar os invasores do seu lar.

Explicado isso, não espere que um kobold recue frente a ameaças do grupo, normalmente eles só fazem para servirem de isca em alguma tramoia mais elaborada. Cada um destes pequeninos, sabem que cada segundo que mantém um aventureiro engalfinhando e parado, são algumas flechadas adicionais que garantem para os seus besteiros na retaguarda. Do mesmo modo, não espere misericórdia por parte de algum deles, invasor bom é invasor morto.

Considerações finais

Espero que tenham gostado do texto, a intenção é trazer ideias do passado de Dungeons & Dragons para a sua mesa, sem ficar preso às regras. Caso alguém esteja interessado na parte mecânica, posso trabalhar em outro artigo lidando com as fichas dos kobolds, as suas estratégias e complementos do campo de batalha.

Disclaimer

O artigo acima foi originalmente publicado no blog Notícias da Terceira Terra, daí resolvi dar uma pequena revisada e trazer para o RPGista. Às imagens dos kobolds azuis são de propriedade de © 2009 Miki. Arte dos kobolds com ouro é de autoria de Brynn Metheney e publicada no Volo’s Guide to Monsters da Wizard’s of the Coast.

Cavaleiro Morto

Mestre de RPG eclético, fã de fantasia medieval e RPGs Eletrônicos das antigas. Conhecido pelo hábito de fazer TPK em suas mesas de jogo.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: