Concurso Alphaversos 2018 #7º – Na Sombra de Babel

Avaliação Completa – Na Sombra de Babel Presença dos Temas: 9,0 Lancaster: Os temas são Distopia, Construtos, Traição, e tudo está muito bem amarrado como uma virtual homenagem aos animes […]

Avaliação Completa – Na Sombra de Babel

Presença dos Temas: 9,0

Lancaster: Os temas são Distopia, Construtos, Traição, e tudo está muito bem amarrado como uma virtual homenagem aos animes cyberpunk dos anos 90, muitos com robôs gigantes — que lidaram muito bem com esses temas. É complicado avaliar item a item por uma razão positiva: todos estão muito bem entrelaçados. Só perdeu pontos por não ter deixado muito claro o papel e importância dos construtos no conjunto.

BURP: Os temas estão bem aproveitados e entrelaçados, embora ache que faltou explicitar mais algumas partes. O tema de distopia, por exemplo, fica mais evidente pelas referências que o cenário evoca do que pelo que é apresentado – imagino que é algo que apareceria mais no decorrer de uma campanha. Mas está tudo muito bem concebido.

Oriebir: Os temas Distopia, Construtos e Traição foram usados de maneira a conversar bem entre si. Construtos e Traição ficam mais pelo contexto do que apresentados de forma mais explícita, mas imagino que seja por conta da limitação de tamanho do texto. O autor soube passar as ideias que gostaria, dentro do espaço que tinha.

Armageddon: Gostei muito da forma como os construtos foram usados, e o futuro distópico imaginado é bem interessante. Eu senti um pouco de falta de um lugar mais claro para os personagens se aventurarem. A riqueza do universo o torna tão amplo que os jogadores podem perder o protagonismo e se sentirem perdidos em aventuras menores.

Uso das Regras: 8,5

Lancaster: Aqui ele poderia ter sido mais claro. Temos ideias de como poderiam ser os personagens e suas pontuações, mas não há menção clara aos construtos — presentes no tema — e como eles se encaixam, se são pilotáveis, etc. Por outro lado os oponentes são ao mesmo tempo genéricos mas ótimos.  

BURP: Não vejo problemas, mas talvez pudesse ter explicado melhor como funcionam personagens de cada pontuação.

Oriebir: São sugeridas regras para personagens jogadores de pontuações variadas, mas nada é sugerido sobre como pode funcionar a interação entre eles. Ainda assim, as fichas apresentadas estão bem organizadas.

Armageddon: Simples e direto.

Aspectos Gerais: 9,25

Lancaster: Apesar das observações acima, o cenário é muito bem escrito e repleto de ótimas ideias, com uma virtual amplitude de personagens possíveis. A Trindade funciona de forma ao mesmo tempo protetora e ameaçadora, os Nefallen tem grande potencial e eu vejo no material o potencial para ir muito longe. Tem arestas pra aparar, mas de modo geral só tenho elogios.

BURP: Um cenário criativo e bem escrito, que dá vontade de jogar. O aspecto político geral que talvez não tenha ficado tão bem explicado. Mas está ótimo.

Oriebir: O cenário tem potencial principalmente se focar no clima de traição e espionagem tecnológica, em minha opinião. Talvez seja interessante trazer uma regra como a de Escalas Virtuais (Manual do Defensor, pág. 66). Apesar do texto estar bem estruturado e claro, ainda ocorrem alguns erros facilmente corrigíveis, o que me passa a impressão de ter sido escrito à pressas. Não sei quanto tempo disponível o autor tinha para se dedicar à escrita deste material, mas uma boa sugestão é “engavetar” o texto por um dia e depois revisá-lo para encontrar esses pequenos erros. Um ponto que me chamou a atenção é a “não apresentação” das siglas (e elas são muitas). É possível depreender de que elas se tratam, mas poderia haver uma menção, na primeira vez que são citadas.

Armageddon: Todo o cenário me chamou muito a atenção e jogaria nele com certeza. A Trindade e os Nefallen são muito legais e as referências bíblicas misturadas a alta tecnologia sempre dão aspectos bacanas. Novamente, o único ponto negativo pra mim foi a falta de uma definição maior da ameaça. É um cenário que tem muito pra crescer.

Nota Final: 8,9

Pages: 1 2

About Edu Guimarães

Mestra RPG desde os 10 anos e nunca mais parou. É nerd, biólogo, Leal e Bom.